Efeito domésticas: Dólar dispara e Banco Central intervém

Após a fala preconceituosa e classista do ministro Paulo Guedes que ofendeu as empregadas domésticas, o dólar disparou nesta quinta-feira (13), quebrando mais uma vez o recorde de seu valor nominal. A moeda norte-americana fechou em R$ 4,3339, após alcançar a cotação de R$ 4,38 no final da manhã.
O chamado “efeito domésticas” empurrou a moeda norte-americana para cima, um dia após as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes. Foi preciso o Banco Central intervir, realizando um leilão de swap cambial, para que o dólar mudasse o curso de alta e encerrasse em queda de 0,38%.
Na quarta-feira (12), Guedes ofendeu as empregadas domésticas ao defender as “vantagens” do dólar valorizado. “Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Vamos importar menos, fazer substituição de importações, turismo. [Era] todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para a Disneylândia, uma festa danada!”, declarou.
O desequilíbrio do câmbio, embora favoreça conjunturalmente as exportações, provoca o aumento da inflação e eleva os custos das matérias-primas e bens importados. Além disso, ameaça o colchão de reservas de dólares do país.