BATALHÃO DE CHOQUE INVADE AERJ E AMEAÇA ESTUDANTES MENORES COM PISTOLAS E GÁS


247 - O perfil da AERJ (Associação dos Estudantes Secundaristas do Estado do Rio de Janeiro) no Facebook e no Instagram denunciou a truculência da polícia militar de Wilson Witzel após as manifestações pacíficas por estudantes secundaristas contra os cortes da educação. Um grupo com 10 motos do batalhão de choque da polícia militar mandou todos correrem "em 5 segundos ou iam atirar". 
A descrição dos estudantes nos perfis de rede social é a seguinte: "após a dispersão do ato contra os cortes na educação, levamos os estudantes para a sede da AERJ e da FENET para dispersar e no momento que estávamos saindo, um grupo com 10 motos do batalhão de choque da polícia militar mandou todo mundo correr em 5 segundos ou iam atirar na gente. Neste tempo uma parte conseguiu sair, porém os que não conseguiram foram revistados pela polícia que ainda jogou bomba de gás com quem estava dentro da nossa sede. Depois de revirar tudo, intimidaram estudantes (inclusive menores de idade) e mandaram correr pra casa porque não tínhamos motivo nenhum pra estar ali.
Se nossa luta contra o fechamento das nossas escolas não é motivo pra nos organizarmos, então o que é?
Não vamos aceitar nenhum abuso daqueles que querem nos intimidar! Não temos tempo pra ter medo!"