PALMEIRAS PODE DAR UM PREJUÍZO DE R$ 100 MILHÕES À GLOBO. Castro e Andrade: negócio de R$ 1,7 bilhão da Globo pode ir para o saco


Pontape.jpg
De "Notícias da TV", de Daniel Castro, que só costuma errar quando diz o que vai "acontecer" daqui a dois anos e meio:

O Palmeiras está com a faca e o queijo na mão. Se resistir à pressão da Globo e dos clubes de futebol até o próximo dia 28, quando começa o Campeonato Brasileiro, passará a protagonizar os jogos mais cobiçados da TV e estará no centro de uma confusão que deve congestionar centrais telefônicas e gerar uma onda de ações judiciais, causando um prejuízo de pelo menos R$ 100 milhões e colocando em risco um negócio que gera uma receita de R$ 1,75 bilhão por ano ao grupo de mídia da família Marinho.

O Palmeiras é o único clube da Série A do futebol brasileiro que ainda não assinou contrato com a Globo para transmissão em TV aberta e em pay-per-view, no canal Premiere. Já o Athletico-PR ainda não cedeu à emissora os direitos para o PPV. Na TV paga, os jogos do Alviverde pertecem à Turner, que desembolsará R$ 100 milhões neste ano para mostrá-los nos canais Space e TNT.

Nenhuma das 38 partidas do Palmeiras no Brasileirão poderá ser exibida na Globo ou nos canais Premiere (e as do Athletico também ficam fora do segundo, se não houver acordo com o clube paranaense), cuja assinatura varia de R$ 79,90 a R$ 109,90 mensais. O problema é que os assinantes do Premiere pagam, desde 1997, quando o pay-per-view foi implantado, para ter todos os jogos, sem exceção.

A situação se agrava porque não prejudica apenas os torcedores do Palmeiras e do Athletico-PR. Os corintianos e os flamenguistas, por exemplo, não verão seus times na TV (nem na aberta, na paga ou no pay-per-view) toda vez que o adversário for o Palmeiras, em casa ou fora. Contra o clube paranaense, só se o confronto for exibido na TV aberta.

Fontes do mercado de TV por assinatura já preveem três consequências: (...)

1) Líder em seu segmento, o Sportv ficará enfraquecido, pois, dependendo da escolha da Globo em determinadas rodadas, não terá jogos de times grandes para transmitir em São Paulo e Rio de Janeiro. Poderá sofrer derrotas humilhantes para os canais da Turner, que terão Palmeiras com exclusividade em algumas rodadas (na terceira, por exemplo, o adversário será o Internacional).

2) A venda de novos pacotes de pay-per-view tende a cair.

3) Os assinantes do Premiere que se sentirem lesados pela ausência do Palmeiras (a princípio todos) entupirão as centrais telefônicas das operadoras de TV por assinatura com reclamações, pedidos de desconto e cancelamentos. Os mais insatifeitos poderão denunciar as operadoras para órgãos de proteção do consumidor e levar o caso à Justiça.

(...) Se confirmar esse cenário extremamente desfavorável à Globo, o Palmeiras vence a guerra já na primeira rodada do Brasileirão. Fontes do mercado de TV por assinatura estimam que a emissora terá um prejuízo de pelo menos R$ 100 milhões sem o Palmeiras no pay-per-view.

(...) Fortalecido por patrocínios e bilheterias sólidos, o Palmeiras está dificultando as negociações para forçar a Globo a remunerá-lo tão bem quanto Flamengo e Corinthians, os clubes com mais jogos na TV aberta. (...) Se ceder ao Palmeiras, a Globo sofrerá um efeito bola de neve: os outros clubes também pedirão mais (...) https://www.conversaafiada.com.br/pig/palmeiras-pode-dar-um-prejuizo-de-100-milhoes-a-globo