BRETAS DIZ QUE CRÍTICA AO ARMAMENTO É 'DISCURSO POLÍTICO' E LEVA INVERTIDA DE JORNALISTA


247 - A jornalista e roteirista Mariliz Pereira Jorge, que foi repórter de veículos como Veja, Marie Claire, VIP, rebateu as declarações do juiz Marcelo Bretas, que comanda a Lava Jato no Rio de Janeiro, que sem citar nominalmente Jair Bolsonaro, saiu em defesa do presidente, atacando aqueles que criticaram a política armamentista do governo. 
"Usar esse momento trágico como argumento de discurso político é exemplo claro de oportunismo e desumanidade", disse Marcelo Bretas, em sua página nas redes sociais.
"Não, não é", rebateu Mariliz. "É exemplo que nossa sociedade não precisa de mais armas. Nem legais, nem clandestinas. Usar esse momento trágico pra dizer que não é o momento de discussão é que é oportunismo", completou.
A também jornalista Milly Lacombe foi outra a manifestar nas redes sociais a sua indignação.
"Tudo o que está acontecendo era previsto. Tudo foi dito. Tudo era sabido. Que merda, Brasil. Que merda a falsa simetria criada entre um candidato decente e esse lixo que foi eleito. Raiva de quem fez isso. Gente escolarizada, gente atualizada. Como puderam? Como se submeteram?", afirmou.

Não, não é. É exemplo que nossa sociedade não precisa de mais armas. Nem legais, nem clandestinas. Usar esse momento trágico pra dizer que não é o momento de discussão é que é oportunismo


Não, não é. É exemplo que nossa sociedade não precisa de mais armas. Nem legais, nem clandestinas. Usar esse momento trágico pra dizer que não é o momento de discussão é que é oportunismo
1.080 pessoas estão falando sobre isso

Tudo o que está acontecendo era previsto. Tudo foi dito. Tudo era sabido. Que merda, Brasil. Que merda a falsa simetria criada entre um candidato decente e esse lixo que foi eleito. Raiva de quem fez isso. Gente escolarizada, gente atualizada. Como puderam? Como se submeteram?
3.071 pessoas estão falando sobre isso