Foco na melhoria dos serviços e geração de emprego



Por Arthur Cunha – especial para o blog
Esse 1º de janeiro de 2019 marcou o início de mais um ciclo do PSB em Pernambuco. Com Paulo Câmara, empossado para mais quatro anos de governo em cerimônia na Alepe, a Frente Popular de Miguel Arraes e Eduardo Campos segue para um inédito período de 16 anos ininterruptos no Poder. Sabe onde avançou e onde precisa melhorar. Depois de vencer novamente Armando Monteiro em primeiro turno, Paulo quer fazer um segundo governo voltado para a melhoria dos serviços públicos e geração de emprego. “Todas as secretarias terão de dar a sua contribuição nesse sentido”, garantiu o socialista, justificando que “é isso que o povo quer”.
Para uma plateia de familiares, amigos, deputados, auxiliares e apoiadores, o governador fez um balanço da sua primeira quadra no Palácio do Campo das Princesas, afirmando que “Pernambuco avançou apesar da crise”; citando, em seguida, os êxitos da sua administração. “Em que pese esse cenário, o Governo de Pernambuco conquistou a posição de melhor educação pública do Ensino Médio do Brasil. Reduzimos a mortalidade infantil ao menor nível das séries históricas, a frente dos estados do Norte e Nordeste, com uma média melhor que a brasileira. Fizemos o maior investimento em recursos hídricos de todos os tempos. Levamos água a milhares de pernambucanos, muitos retiraram a lata d’água das suas cabeças”, destacou.
Câmara ainda citou a recuperação de equipamentos históricos, melhorias na infraestrutura e expansão da atividade turística. “Também não fugimos desse que é, talvez, o maior desafio do Brasil: o combate ao crime e à violência. Em Pernambuco, temos o Pacto Pela Vida, que teve sua efetividade restabelecida. No último mês de dezembro, completamos 13 meses consecutivos de redução no número de homicídios. Em 2018, registramos uma queda próxima a 24% nos CVLIS, comparando com o mesmo período de 2017”, argumentou.
Hoje, Paulo dará posse ao novo secretariado no Palácio do Campo das Princesas, a partir das 16h. Na próxima sexta-feira, já comanda a primeira reunião com o time. No final de semana já cairá em campo. Vai para o interior, provavelmente o Sertão, cumprir agenda administrativa. Não quer perder tempo. O jogo recomeçou.
Relação institucional – Sobre o presidente Jair Bolsonaro, que também tomou posse ontem, Paulo Câmara disse que respeita o novo governo, em um claro sinal de que, do seu lado, a relação será institucional. “Agora, vamos cobrar os interesses de Pernambuco e do Nordeste. Temos capacidade de dialogar; de tirar projetos do papel. E eu quero, como governador, ajudar o Brasil a voltar crescer, a voltar a gerar emprego e renda”, ponderou o socialista, que ainda não tem reunião marcada com o novo presidente.
Desce do palanque, Jair! – Ao contrário do que se esperava dele, o agora presidente Jair Bolsonaro disse, em discurso, que vai “libertar” o Brasil do “socialismo, da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto”. Desce do palanque, Jair! O povo quer menos ideologia e mais trabalho e dinheiro no bolso. Também quer ter segurança para andar nas ruas e não levar um tiro; além do fim dessa praga que é corrupção.
Boicotes – A posse do presidente Jair Bolsonaro foi cheia de boicotes. Dos partidos de esquerda e dos governadores do Nordeste, que não foram à cerimônia; boicote aos jornalistas, que sofreram nas mãos da equipe de Bolsonaro sem direito nem a água. Até para ir no banheiro, saindo do “cercadinho”, os profissionais tinham que pedir permissão. Esse tipo de postura não combina com o mais alto cargo da nossa República.
Adeus, MontBlanc – Não dizem que caneta de presidente recém-empossado tem força. Pois bem. A que Jair Bolsonaro utilizou para assinar a nomeação dos seus ministros foi uma esferográfica Bic. Aquela mesma que a gente usava na escola e pegava emprestado dos amigos sem devolver. E a de Bolsonaro ainda era daquelas com a tampa toda mordida – será ansiedade? Só para registrar que a cor era azul, já que, segundo o presidente, “a nossa bandeira jamais será vermelha”. Nem a caneta, pelo visto.
GRUDE – Bolsonaro tem cinco filhos, mas só o “02” do novo presidente, Carlos Bolsonaro, desfilou com o pai e a madrasta no Rolls-Royce presidencial. O vereador do Rio de Janeiro, segundo o irmão Eduardo, é o “pitbull do pai”, gestor das suas redes sociais e tal. Mas o problema é que Carluxo, como ele é conhecido, não larga do pai, é um grude só. 
TIETAGEM – Deputado federal reeleito por Pernambuco, o Pastor Eurico era um dos mais animados na posse de Jair Bolsonaro, ontem, no Plenário da Câmara. Na primeira fila, o parlamentar tietou muito o ex-colega de Parlamento e fez questão de registrar tudo com seu celular.
CONVERSAS – Nem bem terminou a posse do governador Paulo Câmara, ontem, na Alepe, o senador Humberto Costa e o futuro secretário de Desenvolvimento Agrário, Dilson Peixoto, se reuniram com aliados ali mesmo em uma das salas. Em pauta, as indicações do partido para o Ipa, Iterpe e ProRural, vinculados à pasta.
Perguntar não ofende: Em 2019, veremos mais políticos preocupados com o povo ou era só discurso eleitoral?