LULA SE ELEGE OU ELEGE QUALQUER UM QUE ELE INDICAR, EM PERNAMBUCO

A pesquisa realizada em parceria da Datamétrica com o Diário de Pernambucofez simulações de segundo turno. Lula venceria os dois adversários testados, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin, com larga vantagem: 74% a 11% (cenário com Bolsonaro) e 73% a 7% (com Alckmin). Os números são de maior vantagem ainda para Lula nessa pesquisa do que foram em junho (de 69% a 14% e 71% a 7%, respectivamente).
As duas simulações com Fernando Haddad, novamente com a informação de que esse tem o apoio de Lula, repetem a liderança de um candidato do PT. Entre Haddad e Bolsonaro, o petista teria 45% e o pré-candidato do PSL, 14%. Fosse a disputa entre o petista e o pré-candidato do PSDB, Haddad teria 46% e Alckmin, 9%.
Bolsonaro e Alckmin tampouco superam Marina, nas duas simulações equivalentes feitas com a pré-candidata da Rede. Entre Marina e Bolsonaro, 35% preferem Marina, 15% Bolsonaro. Entre Marina e Alckmin, os resultados seria de 35% a 10% em favor da candidata da Rede.
Finalmente, quando se considera Ciro no segundo turno, ele vence tanto Bolsonaro (25% a 16%) como Alckmin (23% a 14%). “Pernambuco, neste momento, está dizendo que prefere Lula ou um nome que receba sua indicação a qualquer outro. E que prefere qualquer nome menos identificado com o campo do centro ou da direita. Ou, pelo menos, que não nutre simpatias por qualquer dos dois postulantes desse campo de mais visibilidade até aqui – Bolsonaro e Alckmin”, comenta Analice Amazonas, sócia diretora da Datamétrica responsável técnica pela pesquisa.
AMOSTRA

Candidatura de Marília Arraes consolidou-se …


Foto Matheus Bernardes/PT

A pesquisa Datamétrica divulgada ontem trouxe um cenário que os bastidores da política já estavam captando, que era o crescimento significativo da candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco. No levantamento ela aparece com 21%, quatro pontos abaixo do governador Paulo Câmara, que tenta a reeleição, e quatro pontos acima de Armando Monteiro, que foi candidato em 2014 e não conseguiu polarizar com o atual governador.

Os números de Armando, apesar de comemorados pelo petebista, denotam certa fragilidade da sua candidatura, uma vez que no levantamento anterior ele tinha 14% e cresceu apenas para 17%, mesmo tendo vários movimentos positivos em relação ao seu nome, como o anúncio formal da sua pré-candidatura em 11 de junho que não tinha sido captado no levantamento passado, e o apoio do grupo Ferreira ao seu projeto que ocorreu posteriormente. De lá pra cá a pauta foi mais positiva pra Armando, então era esperado um desempenho melhor.

No tocante a Paulo Câmara, a situação é igualmente preocupante, uma vez que mesmo oscilando positivamente cinco pontos percentuais, a soma de seus adversários é consideravelmente maior do que suas intenções de voto, cristalizando a existência de um segundo turno no quadro mais provável que é o de três candidaturas competitivas.

Quanto a Marília Arraes, mesmo tendo a menor retaguarda política dos três principais candidatos, ela vem conquistando um crescimento sustentável e gradativo que faz dela uma candidata difícil de ser batida, uma vez que é o fato novo de uma eleição que tem dois candidatos que se enfrentaram no passado e não conseguem fazer uma disputa política que signifique uma discussão dos problemas do estado. Marília fica cada vez mais consolidada para ser candidata, pois é quem aparenta ter as condições políticas de estar no segundo turno e oferecer um projeto que faça frente à hegemonia do PSB no estado. Os números evidenciam que ao PT só cabe um caminho: reconhecer a força de Marília e garantir a sua candidatura ao Palácio do Campo das Princesas. (Por Edmar Lyra)

TODOS OS PRÉ-CANDIDATOS A GOVERNADOR DE PERNAMBUCO DIZEM QUE VÃO VOTAR EM LULA PARA PRESIDENTE

Coluna Fogo Cruzado – 18 de julho de 2018
Ainda não se sabe quem fará a campanha de Alckmin no Estado de Pernambuco
Sendo candidato a presidente da República ou indicando alguém do PT para substituí-lo, o ex-presidente Lula está numa situação confortável em Pernambuco. O PT deve ter candidato próprio ao governo estadual que é a vereadora Marília Arraes, a primeira a empunhar a bandeira do “lulismo” no Estado. Ela viaja permanentemente pelo interior não apenas para divulgar sua candidatura como também para reclamar da prisão do ex-presidente, que considera “injusta” e “sem provas”. O governador Paulo Câmara também pretende marchar com o candidato do PT, seja ele quem for, para não contrariar a vontade da maioria dos pernambucanos, que gostaria de ver Lula de novo no Palácio do Planalto. Câmara será dissidente no PSB, seu partido, que não fará aliança formal com o PT. Poderosas forças políticas do PSB não têm interesse nesta aliança, a começar pelo governador de São Paulo, Márcio França, cuja sabedoria e sagacidade ele deixou claro anteontem ao ser sabatinado no programa “Roda Viva” da TV Cultura. O candidato do PTB a governador, Armando Monteiro Neto, também vai votar em Lula, apesar de esta não ser a posição unânime de sua coligação, que conta também com antilulistas como o DEM (Mendonça Filho) e o PSDB (Bruno Araújo). Em razão da supremacia do “lulismo” em Pernambuco, ainda não se sabe quem fará a campanha de Alckmin aqui no Estado, mesmo ele sendo o candidato dos deputados Jarbas Vasconcelos, Bruno Araújo e Betinho Gomes. Por inaldo Sampaio 

LULA TEM 65% EM PERNAMBUCO


O desânimo de Renata Campos, a felicidade de Duque e o oportunismo de Armando

Voltando ao capítulo Felipe Carreras, cresce os rumores de que a própria Renata Campos não estaria tão empolgada com a reeleição  de Paulo Câmara em Outubro, o que abriria espaço para uma possível jogada política onde Renata, teria espaço para alavancar seu filho, João Campos, para assumir em tempo oportuno, ou eleição oportuna, o comando do Campo das Princesas: João Campos, futuro governador de Pernambuco num futuro bem lá sabe-se quando.
Outras informações, ainda indicam que entre a família do Pássaro Amarelo, em outras palavras, dentro do próprio governo pernambucano, já há uma tendência a se conformar com a derrota este ano para a neta de Miguel Arraes, Marília Arraes, do PT, num segundo turno entre ela e Câmara, pois a revolta de Carreras em decorrência da suposta torcida de Renata contra o próprio Palácio e as pesquisas de Opinião divulgadas há pouco, reforçariam essa derrota dos palacianos e a teoria do preparemos a bagagem sem choro e com resignação.
Feliz da vida: O prefeito Luciano Duque de Serra Talhada, responsável pelo lançamento da pré-candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco comemorou os números do Datamétrica, divulgados ontem pelo Diário de Pernambuco. Na sondagem eleitoral a vereadora do Recife aparece com 21% das intenções de voto.  “Quando a aliança é com o povo, o caminho da vitória é muito mais real. Lula Presidente. Marília Arraes Governadora!”, escreveu Luciano Duque no facebook.
Oportunismo?: De olho no apoio PT, o senador Armando Monteiro do PTB esteve ontem, em Curitiba. O pré-candidato ao governo de Pernambuco foi visitar o ex-presidente Lula, preso na sede da Polícia Federal, da mesma cidade. À imprensa, Armando disse que a visita teve caráter institucional e pessoal. Agora resta saber o que o petebista dirá aos aliados que formam o seu palanque, já que todos carregam o carimbo de Impeachment de Dilma (PT) e de defesa do governo Temer (MDB). http://www.juniorcampos.net/noti

Reforma trabalhista reduz em 80% empregos com carteira assinada

Dados referentes a maio mostram que seis meses após o presidente Michel Temer afirmar que a reforma trabalhista ampliaria os horizontes para o emprego, o quadro no mercado de trabalho ainda é desolador.
Pesquisa divulgada na sexta-feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra que o desemprego no país atingiu 12,7% no trimestre encerrado em maio, ou 13,2 milhões de desocupados.
Os números revelam estabilidade em relação aos três meses encerrados em fevereiro e queda de 0,6% na comparação com igual período de 2017.
Comparada ao piso registrado no fim de 2014, no entanto, a taxa de desemprego não só dobrou, como patina em um nível bastante alto e só não é maior em razão das vagas geradas no mercado informal.

Zé Maurício e Wolney Queiroz visitaram Saloá durante festas juninas promovidas pela NOVA oposição

Os deputados, Zé Maurício e Wolney Queiroz, estadual e federal respectivamente, prestigiaram no último sábado (14), as festas juninas realizadas pela NOVA Oposição de Saloá, no Agreste Pernambucano, junto à população local e na companhia de Wellington Freitas, que foi vereador na cidade e candidato a vice-prefeito nas últimas eleições, dos Vereadores Zé Cabeleireiro e Valdir Lopes, do suplente de vereador, Prof Bá e dos candidatos a vereadores na última eleição, Josa Vicente, Adonis Vicente além do blogueiro Francisco Elmes, Luiz de Abílio e demais amigos e lideranças.

Acompanharam os parlamentares nos festejos e nas visitas pela cidade, o vereador de Garanhuns Alcindo Correia, o vereador de Terezinha, Adriano Campos e a vereadora de Bom Conselho Ivete Enfermeira, além do presidente do STR da cidade de Terezinha Emanuel e o ex-vereador e ex-presidente da câmara de Saloá, Manoel da Maternidade (pai do vereador Zé Cabeleireiro) e também Washington Cadete.

A NOVA Oposição saloaense, realizaram festejos no povoado de Serrinha da Prata (30 de junho), cidade de Saloá (07 de julho) e neste sábado (14) os festejos ocorreram no sítio Batinga e contou com o som da banda Forrozão AD.  Antes houve a apresentação da Junina “Pé da Roça” de Saloá.

Durante a ocasião, Zé Maurício e Wolney, conversaram com a TV Saloá Web sobre os esforços que vêm sendo implementados na cidade – como a destinação de emendas para a construção de poços artesianos – a partir das demandas trazidas pelo grupo político e destacaram as obras estruturantes que já estão acontecendo, como a construção de três grandes barragens na zona rural do município.


Através dos esforços dos jovens políticos saloaenses em parceria com Wolney Queiroz e Zé Maurício, os sítios Manoel Ferreira, Camaratuba do Catimbau e Camaratuba da Prata estão sendo beneficiados com a construção das barragens. barragens. Por Wellington Freitas 

Advogados do Estadão garantem: é Lula 2018!

Há muito que se afirma que há espaço legal para o ex-presidente Lula ser candidato à Presidência em 2018. Apesar disso, a mídia vem garantindo que ele já é inelegível. A juíza teleguiada de Moro proibiu o ex-presidente de dar entrevista, decretando-o inelegível. Agora, porém, o jornal mais antipetista do país prova que Lula pode, sim, ser candidato.
Em maio, o especialista em direito eleitoral Luiz Fernando Pereira afirmou em reportagem do site Viomundo que não havia base jurídica para que se pudessse impedir a candidatura do ex-presidente Lula. Ele disse: “em relação a Lula existe hoje, quando muito, apenas uma inelegibilidade provisória – que pode ser revogada a qualquer tempo, mesmo depois da eleição” e acrescenta: “se o processo de registro (e a impugnação do registro) de Lula for o mais célere possível (apenas cumprindo os prazos mínimos), não termina no TSE antes da metade de setembro de 2018.
Em junho, porém, surge uma notícia estarrecedora: o ministro do TSE Admar Gonzaga diz que a candidatura do ex-presidente poderia ser cassada “de ofício”. O que diabos isso quer  dizer? É como se dissessem, mais ou menos, o seguinte: o TSE, subvertendo toda ordem legal, a Constituição e a jurisprudência consagrada diz assim:
— Se um sujeito chamado Lula tentar registrar sua candidatura aqui no TSE, não pode. Qualquer outro brasileiro, preso ou solto, condenado em segunda instância ou não, pode. Menos Lula. Será o primeiro e único brasileiro considerado inelegível e sem direito a apelação.
A proposta foi considerada tão absurda que a presidente do STF, Cármen Lúcia, teve que se pronunciar para salvar o que resta da imagem do judiciário brasileiro, lembrando ao ministro do TSE supracitado que “O Judiciário não age de ofício”, ou seja, sem provocação.
Agora, a discussão sobre até onde vai a candidatura Lula simplesmente acabou. O Jornal O Estado de São Paulo, vulgo Estadão, o jornal mais antipetista e conservador do país, escolheu especialistas ao seu gosto para responderem se Lula pode ser candidato mesmo estando preso e obteve uma resposta que não deve lhe ter agradado muito…
O jornal fez a seguinte pergunta aos especialistas em Direito Eleitoral que procurou:
“Se o PT oficializar candidatura de Lula até dia 15 de agosto, e usar isso como ‘fato novo’ para pedir um HC, qual a chance de ela prosperar?”
O jornal ouviu Silvio Salata e Karina Kufa, dois estudiosos de direito eleitoral. E descobriu, surpreso, que “Ambos acreditam haver… espaço legal para tanto”.  Assim mesmo, com reticências entre “acreditam haver” e “espaço legal para tanto”, denotando supresa.
Segundo a reportagem, para Salata, presidente da comissão de direito eleitoral da OAB-SP, mesmo preso Lula pode pedir o registro e organizar a campanha. “Ele tem a seu favor a cláusula pétrea da presunção de inocência, ainda a ser avaliada no STF”, explica.
Kufa, por sua vez, fez uma conta de chegar mostrando longa sequência de recursos e medidas jurídicas de que Lula dispõe até começo de setembro. Até dia 17 desse mês, se derrotado na gincana legal, pode ceder a vaga a Haddad.
Outro caminho, na área criminal: o art. 26-c da Lei da Ficha Limpa. Ele dá ao candidato o direito de pedir efeito suspensivo da inelegibilidade. Pelo menos 20 prefeitos já conseguiram essa medida cautelar e tomaram posse. Mérito julgado pelo TSE, parte deles perdeu o cargo.
Essa hipótese depende de, na ação criminal contra Lula, ainda no TRF-4, um ministro no STF ou STJ descobrir algo que o leve a dar liminar ao petista. E esta precisaria ser julgada em plenário.
Não é à toa que os antipetistas estão pedindo ao TSE que antecipe ainda para julho o julgamento de sua inelegibilidade. Só falta combinar com as instâncias superiores e convencer ministros do TSE a praticarem uma ilegalidade, oferecendo prova de partidarismo político.
Confira a reportagem em vídeo


Nova Pesquisa mostra que Marília Arraes tem tudo para ser a nova governadora de Pernambuco


Campanha do desespero é lançada nas redes sociais de Pernambuco

Coluna Pega-Fogo – 17 de julho de 2018
Campanha do desespero é lançada nas redes sociais de Pernambuco
Nas redes sociais, líderes do PSB e do PT de Pernambuco foram pegos de surpresa com os dizeres “Paulo é Lula e Lula é Paulo” (…) Um banner com Paulo Câmarae Lula juntos tem percorrido o estado, e muitos analistas da política estadual apontam como sendo a campanha de desespero político desenvolvida pela Frente Popular para as eleições deste ano.
Em 2016, o PSB foi um partido de apoio ao impeachment da ex-presidenta, Dilma Rousseff (PT), no entanto, nessa última semana, o socialista anunciou apoio total a candidatura do preso político e ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, ação que é elencada como desespero por parte dos adversários de Paulo Câmara, respectivamente, pela pré-candidata a governadora Marília Arraes (PT) e do pré-candidato a senador Silvio Costa (Avante).
O tempo passou e o discurso dos deputados do PSB que apoiaram o impeachment, assim como Paulo Câmara que liberou seus secretários para retornarem à Câmara Federal, já é página virada.
Mas, afinal, o que Paulo Câmara quer apoiando Lula? Simplesmente, rifar a candidatura de Marília Arraes ao Governo de Pernambuco. Há cerca de dois anos, membros do PSB, liderados pelo governador, comemoravam a desfiliação da ex-aliada, que decidiu seguir na esquerda, mas ao lado de Lula e do Partido dos Trabalhadores (PT).
E agora? Agora, Marília Arraes olha pra Paulo Câmara de cima para baixo, tendo em vista que carrega dois apoios que equivalem a toda a Frente de Oposição, capitaneada pelo senador Armando Monteiro (PTB), trata-se de Lula e do legado do ex-governador Miguel Arraes.
A campanha que se desdobra nas redes sociais tem muitos pontos para serem analisados, muito embora dois chamem atenção: primeiro, trata-se da falta de um projeto político do PSB e segundo de um marketing político que possa garantir uma vitória de Paulo Câmara em cima de Marília Arraes e Armando Monteiro, caso a petista não tenha sua candidatura rifada.
Na época de Eduardo Campos, a essa altura, o PSB estava com todo gás e energia para realizar sua convenção partidária e apresentar seu time de frente, entretanto, nesta eleição o time de frente está bem apresentado, mas o líder está sem saber se faz campanha criticando a oposição – o palanque de Michel Temer – ou se faz campanha para Lula – que está preso acusado de corrupção.
Para Câmara, o menos ruim é apoiar o ex-presidente do PT. Para o PSB, o menos ruim é seguir com Ciro Gomes e deixar Marília Arraes ser candidata. O cenário é de total divisão entre os deputados federais e estaduais que compõem o PSB de Pernambuco. POR Roberto Sá 

Para o Senado três nomes despontam

Do Diario de Pernambuco
Os nomes mais fortes hoje na disputa pelo Senado seguem sendo o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB), o senador Humberto Costa (PT) e o deputado federal Mendonça Filho (DEM). Seja na intenção de voto espontânea, seja na estimulada, esses são os nomes que se destacam entre os concorrentes às duas vagas no Legislativo federal.
Na resposta espontânea de intenção de voto, aparecem Humberto Costa - tenta renovar o mandato no Senado Federal - e Mendonça Filho com 10% e Jarbas Vasconcelos com 9%. Todos os demais ficam entre 0% e 1%.
Na resposta estimulada da pesquisa, os três principais pré-candidatos se reafirmam na liderança. Jarbas Vasconcelos, que já exerceu o mandato de senador anteriormente (entre 2007 e 2014), lidera com 32%, Humberto Costa surge em segundo lugar com 25% e Mendonça Filho vem em terceiro com 24%. José Queiroz (PDT) aparece com 8%, Silvio Costa (Avante) com 5%, Maurício Rands (Pros) com 3% e André Ferreira (PSC), Antônio Souza  (Rede) e Eugênia Lima (PSol) com 2% cada, enquanto Albanise Pires (PSol) obteve 1%.
Os que declararam intenção de anular seu voto ou votar em branco somaram 27% e 10% se declararam indecisos, segundo o levantamento.

Datamétrica – Camara 25%; Marília 21%; Armando 17%

Do Diario
Na segunda pesquisa sobre a corrida eleitoral deste ano em Pernambuco, realizada pela Datamétrica, entre os dias 11 e 12 de julho, observa-se pouca mudança em comparação à primeira, feita entre 8 e 9 de junho. Os três principais candidatos cresceram um pouco e as posições relativas deles permanecem as mesmas, tanto na intenção de voto espontânea como na estimulada. Paulo Câmara (PSB) na liderança, seguido de Marília Arraes (PT) e de Armando Monteiro (PTB). Estatisticamente, entretanto, os três continuam num empate técnico. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.
A intenção espontânea de voto apresenta Paulo Câmara com 13% (em junho ele tinha 12%), Marília Arraes com 11% (em junho ela tinha 8%) e Armando Monteiro com 6% (sendo 4% a registrada em junho)
Os demais candidatos obtiveram, cada um, menos de 1% das intenções de voto.
Os indecisos cresceram de 39% para 53%, e aqueles votariam branco ou nulo caíram de 28% para 14%.
Estimulada
A intenção estimulada de voto no cenário, considerando a participação da pré-candidata do PT, repete a ordem dos candidatos da espontânea, sendo todos com índices maiores, como se esperaria das respostas estimuladas. Os números de 25% (Paulo Câmara), 21% (Marília Arraes) e 17% (Armando Monteiro) confirmam a liderança do governador, ainda que estejam todos empatados dentro da margem de erro. Os números da pesquisa anterior foram: 20%, 17% e 14%, respectivamente. Os demais candidatos ficaram entre 0% e 2%. A mudança expressiva foi dos brancos e nulos, que caíram de 35% para 26%, o que é natural à medida que a eleição se avizinha.
O cenário sem a pré-candidata do PT mantém o governador na liderança, com 28%, seguido do pré-candidato do PTB, com 22%. A distância de 6 pontos, entretanto, ainda significa empate técnico. Nessa simulação, os demais candidatos atingem, cada um, no máximo 2%. Votos brancos e nulos seriam de 33% (antes 42%). Indecisos caíram somente 1% (de 10% para 9%).
A migração dos votos de Marília Arraes, quando se retira o nome dela da disputa, sugere uma preferência clara do seu eleitorado por Armando Monteiro. O pré-candidato do PTB recebe 33% dos votos dela, enquanto o governador recebe 13%. Essa vantagem de Armando Monteiro sobre os votos de Marília Arraes se ampliou significativamente desde a pesquisa de junho, quando ele recebia 20% dos votos que seriam dela, enquanto Paulo Câmara recebia os mesmos 13%.
Tendência
Segundo Analice Amazonas, sócia-diretora da Datamétrica e responsável técnica pela pesquisa, “a pesquisa não permite decifrar o motivo dessa inclinação maior dos eleitores de Marília a Armando, ou a ampliação dessa vantagem do senador entre junho e agora, mas, seguramente, é uma tendência que foge um pouco das expectativas, se considerarmos os campos ideológicos dos três pré-candidatos”.

Zé Maurício visita o município de Catende

Em visita à cidade de Catende, na Mata Sul de Pernambuco, nesta quinta (12), o deputado estadual Zé Maurício concedeu entrevista à Rádio Farol FM 90,7, para o programa Alerta Geral com o radialista Ribeiro Jr.

Na ocasião, o parlamentar pontuou as suas atividades à frente da Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Alepe, que vem tendo como foco a questão da destinação correta dos resíduos sólidos e o fim dos lixões em Pernambuco.

Na entrevista, foram debatidos também a importância da educação na formação principalmente dos jovens, e os investimentos do Governo do Estado neste sentido, como o Programa Ganhe o Mundo.  Os recursos de emendas parlamentares do deputado para obras de infraestrutura, abastecimento d’água e reforço na saúde do município também foram pontuados no encontro; além das articulações para a ampliação do serviço de telefonia na Cidade.

O parlamentar visitou ainda na Câmara Municipal de Vereadores de Catende, onde conversou com a população a respeito das demandas do município. Acompanharam a visita, os vereadores Biu Flor, Dida e Xavier, além do ex-deputado federal Severino Cavalcanti, a liderança local Nilton Lins, entre outros presentes.


Wesley Leal assessoria

Apoio de Lula faz Haddad DISPARAR em pesquisa tucana

Chega a ser irônico que uma pesquisa eleitoral encomendada por um setor da economia ligado umbilicalmente ao PSDB seja mais honesta e beneficie mais o PT do que as pesquisas tradicionais. Uma sondagem do instituto Ipespe encomendada pela XP Investimentos diz que se tirarem Lula da eleição podem torná-lo ainda mais forte politicamente.
A encrenca de domingo (8/7) passado no TRF4, com o desembargador Rogério Favreto, que estava de plantão naquele tribunal e concedeu habeas corpus a Lula, e com juiz de primeira instância (Sergio  Moro) desacatando decisão de instância superior em conluio com a PF, fez bem à imagem do ex-presidente Lula, segundo o site ligado ao mercado financeiro “InfoMoney”.
Lula subiu 2 pontos percentuais em pesquisa desse mesmo mercado financeiro, após a encrenca no tribunal gaúcho.
Mas, como já foi dito no Blog da Cidadania em matéria anterior, Lula subir em pesquisas eleitorais já não é novidade. Subiu em todas nas últimas semanas. Porém, a XP/Investimentos, em parceria com o Ipespe, mostra que o mercado financeiro pode preferir o tucano Geraldo Alckmin, mas não rasga dinheiro.
Apesar de o mercado financeiro, através da XP Investimentos, ligada ao Itaú, preferir o tucano, não confia nas pesquisas dos Ibopes e Datafolhas da vida porque essas pesquisas, apesar de reconhecerem a força política de Lula, são falsas por não citarem eventual candidato indicado por Lula.
A pesquisa semanal que o Ipespe (Instituto de Pesquisas Econômicas) faz para a corretora XP Investimentos revela que o ex-presidente Lula tem muita capacidade de transferir votos para um eventual nome alternativo do PT.
O levantamento publicado no site Infomoney trabalha com vários cenários. E, pela segunda vez na pesquisa XP-Ipespe, Fernando Haddad é apresentado como candidato de Lula. Isso fez com que saltasse de 2% para 12% da preferência dos eleitores, o que o colocaria atrás apenas de Jair Bolsonaro (com 21%) e em empate técnico com Marina Silva (11%).
Eis o fenômeno: Haddad melhorou sua presença em relação à pesquisa XP-Ipespe anterior. Quando o ex-prefeito de São Paulo foi apresentado pela primeira vez numa pesquisa como candidato de Lula, tinha 11%.
Agora, o ex-prefeito Fernando Haddad aparece com 12% ao ser associado a Lula.
São muitas as análises de que a prisão de Lula e a tramoia judicial para tirá-lo da eleição estão fazendo com que seu poder de transferência de votos aumente mais um pouco a cada dia.
Note-se que o ex-prefeito Haddad subiu na pesquisa Ibope sem sequer fazer campanha como Jair Bolsonaro, por exemplo. Imagine-se agora a população indignada por não poder votar em Lula. Aí aparece um vídeo de Lula indicando que o candidato dele é Haddad ou qualquer outro. É bem provável que tenha até mais votos do que Lula teria.
Confira a matéria em vídeo

Marília Arraes ironiza acordo “informal” com Gleisi

Pré-candidata ao governo do Estado pelo PT, à vereadora do Recife Marília Arraes afirmou ontem que o PSB “está desesperado” para que ela não tenha a candidatura registrada porque sabe da possibilidade de ela ir para o segundo turno. A petista afirmou que o ex-presidente Lula (PT) já se posicionou por candidatura própria em Pernambuco. Em entrevista a duas rádios de Carpina, na Mata Norte, Marília também disparou contra o governador Paulo Câmara, a quem acusou de fazer um “desgoverno”.

“Esse martelo (da aliança entre o PT e o PSB) já bateu tanto nos últimos seis meses que eu acho que ele já tá ficando achatado de tanto que tem batido. O PSB está desesperado”, ironizou Marília. “Tenho certeza de que nós, registrando a candidatura, estamos no segundo turno. E o PSB tem também, porque senão não estava com esse medo todo.”

Buscando se viabilizar como candidata ao governo, Marília fez questão de lembrar que o PSB votou favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e classificou o partido como “base de Temer”, assim como o palanque da frente de oposição Pernambuco Vai Mudar.

O PSB chegou a ter Fernando Filho (hoje no DEM) como ministro de Minas e Energia, mas desembarcou do governo em maio de 2017 após a apresentação de denúncias contra o presidente. “Não teria razão para retirar nossa candidatura. O presidente Lula tem esse posicionamento de que devemos ter uma candidatura firme aqui. O PSB já deu todos os sinais de que, na verdade, quer ganhar tempo, tentar nos desgastar e dificultar nossas articulações políticas aqui”, argumentou a pré-candidata.

Um dia após Paulo Câmara e a senadora Gleisi Hoffmann (PT) discutirem não ter o PT e o PSB como adversários principais na eleição de Pernambuco, Marília declarou que o governador “é até uma pessoa boa”. Mas criticou o loteamento político de áreas do governo, a quantidade de obras paradas, a violência e o descumprimento de promessas, como dobrar o salário dos professores.

Marília fez menções ao avô, o ex-governador Miguel Arraes, e ao primo, o ex-governador Eduardo Campos, mas disse que não considera a política um assunto de família. “Se eu considerasse um assunto de família, nem no PT eu estava. Eu estava no PSB. Tentando formar esse legado familiar que é coisa de monarquia.”

Ao ser questionada se aceitaria o apoio de Paulo ou do senador Armando Monteiro Neto (PTB) caso fosse para o segundo turno, Marília disse que poderia compor com essas forças desde que não interferisse na forma do PT de governar. “Apoio, a gente aceita, contanto que não flexibilize o projeto que a gente tem feito”, disse.

Via PE Notícias

A SITUAÇÃO DO GOVERNADOR PAULO CÂMARA É BOA???

Confirmação de Marília Arraes é péssimo sinal para o PSB 
Nas últimas semanas a pré-candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco ganhou ares de consolidação, sobretudo após a visita de Gleisi Hoffmann ao estado, quando reuniu-se com o governador Paulo Câmara e não houve nenhum indicativo de que PT e PSB marchariam juntos no estado.
O enredo da retirada de Marília Arraes terminou por passar a imagem de que o PSB estava desesperado para tirá-la a todo custo do páreo, caso conseguisse o governador Paulo Câmara daria uma grande demonstração de força, e isso traduziria em maior confiança da classe política na sua perspectiva de vitória. Como ao que tudo indica a tentativa foi fracassada, o Palácio do Campo das Princesas caminha para sofrer um duro golpe na tentativa de manter a hegemonia do PSB no estado.
O governador Paulo Câmara ao dizer que votaria em Lula em qualquer hipótese, passou a impressão de que não tem força suficiente no PSB nacional para levar seu partido para uma aliança com o PT. Em outras palavras, ele deixou claro que não levará o partido para a aliança nacional com o PT. Se o governador de Pernambuco, que é o principal estado sob o comando do partido, não tem força para indicar uma aliança nacional, ele mostra claramente que não exerce qualquer tipo de influência no seu partido, mesmo tendo a envergadura do cargo que ocupa.
Ao supervalorizar a aliança com o PT no estado e não conseguir viabilizá-la, Paulo Câmara deu mostras de fragilidade na tentativa de reeleição. Com Marília no páreo, praticamente fica cristalizado o segundo turno, e como se sabe que na segunda etapa a base de sustentação de um governo geralmente fica mais dispersa, é pouco provável que Paulo Câmara tenha resultado diferente do obtido por Mendonça Filho em 2006, pois quem ganhou vai pra casa descansar e quem perdeu vai colocar a culpa no governador e tentar tirar o prejuízo votando na oposição.
Faltando poucos dias para a definição das convenções partidárias, Paulo Câmara corre um risco muito alto de nem ter o MDB e muito menos o PT na sua coligação, o que ampliaria suas chances de não conseguir convencer o eleitor a votar nele, e o que é pior, tem um risco de perder dois potenciais candidatos a senador na sua chapa, Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa, na reta final das definições sem ter nomes a altura para colocar no lugar.www.edmarlyra.com/coluna-do-blog-des

João Fernando acerta PROS na vice de Marília Arraes



O deputado federal João Fernando Coutinho, presidente estadual do PROS, decidiu levar o partido para a coligação de Marília Arraes. A indicação veio do diretório nacional, uma vez que o partido fechou aliança com o PT nacionalmente. O partido, inclusive, indicará o vice de Marília Arraes. Com isso, a pré-candidata petista já conta com PT, PROS e Avante, tendo Silvio Costa candidato ao Senado. www.edmarlyra.com/joao-fernando-acerta-pros-na-vice-de-

PSB, mais uma vez, mente para o PT

Por Silvio Costa*
O Avante realizará sua convenção no próximo dia 5 de agosto, quando irá ratificar o compromisso e o comprometimento com a pré-candidatura da vereadora Marilia Arraes, do PT, ao governo do Estado de Pernambuco.
Desde que fui convidado para ser um dos pré-candidatos ao Senado, na chapa da vereadora Marília Arraes, tenho respeitado o tempo político do Partido dos Trabalhadores. Entendo como natural que todos os partidos priorizem as alianças nacionais, entretanto, quero registrar que mais uma vez atores do PSB estão mentindo para a Executiva Nacional do PT.
Lembro que no episódio do impeachment da ex-presidente Dilma, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, do PSB, repetia publicamente a expressão de menosprezo “temos que tirar aquela mulher”, numa referência à ex-presidente.
Lembro, também, que durante o processo do “golpe”, o governador Paulo Câmara esteve com o ex-presidente Lula para comunicar que o PSB votaria contra o impeachment. Naquela ocasião, eu disse ao ex-presidente Lula que não acreditasse, porque a informação em Pernambuco era que o governador iria liberar os deputados federais que eram secretários de Estado – como realmente o fez – para votar a favor do impeachment.
O Brasil sabe que quem derrubou a presidente Dilma foi o Partido Socialista Brasileiro. Eles tinham 34 deputados e apenas dois votaram contra o “golpe”.
Neste momento, quero – mais uma vez – registrar que o PT será traído pelo PSB. Este grupo do PSB de Pernambuco, que tem o governador como vice-presidente nacional do partido, não tem votos na Executiva Nacional, muito menos no Diretório Nacional da legenda, para aprovar uma coligação nacional com o PT. Eles adiaram a decisão para o dia 4 de agosto. Podem até adiar para 4 de dezembro de 2018 que eles não vão conseguir os votos.
É de conhecimento público que o PT só admitiria, segundo decisão posta em documento, a retirada da pré-candidatura da vereadora Marília Arraes – que, claramente, já extrapolou os limites do partido – caso o PSB aprove a coligação nacional. Não tenho a menor dúvida de que a vereadora Marília Arraes será candidata ao governo de Pernambuco, conforme o desejo majoritário da militância do PT.
Tenho dialogado, diariamente, com membros da Executiva Nacional do PT e todos ratificam que só retiram a pré-candidatura de Marília Arraes se o PSB entregar o tempo de televisão nacional. Sei o tamanho do desespero político do governador Paulo Câmara, porque ele sabe que o povo de Pernambuco vai derrotá-lo no próximo dia 7 de outubro. Ele vai perder a eleição para o governo e a vice-presidência do partido.
*Deputado federal e pré-candidato ao Senado pelo Avante

Sem Moro como juiz, Lula é absolvido na Lava Jato

Numa sentença em que aponta falta de provas e delações sem credibilidade, o juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal em Brasília, absolveu nesta quinta (12) o ex-presidente Lula.
Também foram absolvidos mais seis réus da acusação de atuar para obstruir investigações da Lava Jato. É a primeira vez em que Lula é isentado numa ação penal relacionada à Lava Jato.
Lula, o ex-senador Delcídio Amaral (MS), o banqueiro André Esteves, o pecuarista José Carlos Bumlai e seu filho, Maurício Bumlai, eram acusados de participar de trama para comprar o silêncio do ex-diretor Internacional da Petrobras Nestor Cerveró e, com isso, evitar que ele fizesse acordo de delação que os implicasse. Também foram absolvidos Edson Ribeiro, advogado de Cerveró, e o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira.
A investigação se baseou em gravação de 2015 de Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras, de conversa em que Delcídio prometia fuga e R$ 50 mil mensais a Nestor, que estava preso.

Absolvição de Lula começa a expor abusos da Lava Jato



Em diversos trechos da decisão desta quinta-feira (12) que absolveu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da denúncia de obstrução à Justiça, o juiz federal do DF Ricardo Augusto Soares Leite ressaltou a ausência de provas, a fragilidade de argumentos do Ministério Público e as dúvidas que foram levantadas mas não comprovadas ao longo da apuração.
As referências mostram que a raiz da absolvição de Lula foi uma investigação ruim, descuidada, conduzida pela equipe da PGR (Procuradoria-Geral da República) sob a chefia do então procurador-geral da República Rodrigo Janot.
Janot havia denunciado Lula em 2016. A denúncia pressupõe o esgotamento de toda a investigação. Meses depois, porém, os problemas ficaram mais evidentes quando um membro do MPF de primeira instância adotou entendimento oposto e pediu, nas suas alegações finais, a absolvição de Lula e de outros denunciados.

Cobra comendo cobra na Globo News



Uma reunião do tipo “brainstorming” da equipe de jornalismo da GloboNews, ocorrida nesta quarta-feira (11), teve momentos de tensão, críticas pessoais e expressões de frustração. Um dos objetivos da reunião era discutir a formação do novo núcleo (editoria) de economia na emissora noticiosa da Globosat. 
Sem citar nomes, a jornalista veterana Miriam Leitão já começou criticando colegas “economistas” e acadêmicos que, segundo ela, têm ocupado espaço demais na emissora com o que considera pautas banais do tipo “seu bolso”, “seu dinheiro” etc.
Ela deu a entender que sua forma de apresentar e discutir economia é mais didática e superior à de economistas e acadêmicos da casa.
O alvo da Miriam, 65 anos, aparentemente era a equipe do “Conta Corrente”, programa que será extinto, mas cuja equipe se tornou a base do novo “telejornalzão” de três horas que a GloboNews vai estrear no final do mês (leia mais abaixo).
Durante o evento, inclusive, o economista Samy Dana, 39 anos, foi criticado diretamente por ela por dar “ideias demais” na reunião. Nesse momento Miriam chegou a ser interrompida pelo novo diretor do canal, Miguel Athayde: “Não, não é isso, estamos aqui (para ouvir ideias mesmo)”.
Miriam continuou suas críticas com um exemplo. “Se a (produção da) indústria cai 10% e depois sobe 10% voltou a ser o que era. Precisa mostrar o histórico e mostrar que nada mudou”, disse a jornalista.
O que a irritou foi que Samy, que é PhD em economia, posteriormente a corrigiu –indiretamente: Se você perde 20% de R$ 100, você passa a ter R$ 80. Se se depois ganhar 20%, você não terá novamente seus R$ 100, e sim R$ 96. Ou seja, terá 4% a menos. 
Já o quesito frustração foi causado pelo provável adiamento da estreia do novo “telejornalzão”, que será ancorado por José Roberto Burnier e tinha estreia prevista para a próxima segunda-feira.
A equipe já está toda mobilizada e alguns profissionais já vinham entrando de madrugada para a preparação do produto. No entanto, Burnier –que estava na Rússia cobrindo a a Copa– pediu 10 dias de folga antes de sua estreia na GloboNews. Muitas pessoas ficaram ressentidas porque não foram informadas sobre nada e nem sabiam do provável adiamento da estreia

Fui à prisão de Lula e critiquei a Lava Jato

Na última terça-feira, 10 de julho de 2018, eu, Eduardo Guimarães, fui à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para receber de volta os equipamentos que me foram confiscados ilegalmente pela Polícia Federal em 2017 por ordem do juiz Sergio Moro. Aproveitei a viagem para conhecer o acampamento pró-Lula e para soltar os cachorros na Lava Jato – dentro da PF.
A seguir, você assistirá trechos do discurso que fiz na vigília Lula livre, a 50 metros Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, da entrevista que dei à rede latino-americana Telesur, da visita ao acampamento Marisa Letícia, da recuperação do equipamento que me foi confiscado em 2017 por ter divulgado que Lula seria alvo da 24ª fase da Lava Jato e das críticas que fiz dentro da sede da PF paranaense, onde Lula está preso.
Confira o mini documentário.