Campanha para cirurgia de afogadense

A cidadã afogadense Marleide da Silva, conhecida como Marleide do Posto de Saúde, moradora do Bairro São Francisco, está precisando fazer uma cirurgia urgente no quadril e não pode mais esperar na fila do SUS, que conta com mais de 170 pessoas à sua frente.
Amigos e familiares estão organizando um movimento solidário para conseguir os R$ 25 mil necessários para o procedimento. Quem puder ajudar, foi lançada a campanha 250 pessoas por Marleide. O projeto busca reunir 250 pessoas que possam doar R$ 100,00 cada.
Quem pude ajudar, segue abaixo os dados para depósito e o telefone para contato.
Caixa Econômica Federal
Agência 1433 // Operação 001 // Conta 620-9
Contato: (87) 9-9931-8668 ou (87) 9-9918-1972. Por Magno Martins 

VACINA RUSSA ESTARÁ DISPONÍVEL A OUTROS PAÍSES EM NOVEMBRO

Foto de divulgação fornecida pelo Fundo de Investimento Direto Russo com frascos de vacina contra a Covid-19 desenvolvida por um laboratório russo, em Moscou  RDIF/Divulgação via REUTERS

247 - Falando com Anderson Cooper e Dr. Sanjay Gupta, da CNN dos EUA, na terça-feira, Kirill Dmietriev, diretor do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), disse que "a segurança está no cerne da vacina."

"Sabemos que a vacina funciona e publicaremos os dados em agosto e setembro para demonstrar isso", disse Dmietriev, informa a CNN.

"A implantação na Rússia será muito gradual. Não vamos dar a 10 milhões de pessoas amanhã", disse Dmietriev, afirmando que os profissionais de saúde da linha de frente e como as pessoas com alto risco de contrair o coronavírus serão os primeiros a voluntariamente receber a vacina. A vacinação em massa está planejada para outubro.

MAIS DE 20 PAÍSES SOLICITARAM 1 BILHÃO DE DOSES DA VACINA RUSSA SPUTNIK V CONTRA A COVID-19

247 - O Fundo Russo de Investimento Direto recebeu pedidos de mais de vinte países para a compra de 1 bilhão de doses da vacina russa contra o coronavírus, disse o chefe da entidade, Kiril Dmitriyev. 

"Vemos um grande interesse no exterior na vacina russa desenvolvida" pelo Centro Nacional de Pesquisa Gamaleya para Epidemiologia e Microbiologia, e "recebemos solicitações preliminares de 20 países para a compra de mais de 1 bilhão de doses da vacina", disse Dmitiyev.

Kiril Dmitiyev não detalhou quais foram os países que se habilitaram a adquirir a vacina russa, mas enfatizou que a Rússia concordou em produzir sua vacina contra o coronavírus em cinco países e que espera receber a aprovação para a produção em vários países latino-americanos até novembro.

Ao anunciar o registro da vacina nesta terça-feira (11), o presidente Vladimir Putin especificou que a vacinação da população deve ser feita exclusivamente de forma voluntária, acrescentando que espera que a produção em massa da Sputnik V comece em breve, informa a RT

O JORNALISTA ALEX SOLNIK, DIZ QUE PUTIN NÃO SERIA IRRESPONSÁVEL A PONTO DE LANÇAR UMA CLOROQUINA

Alex Solnik, Putin e vacina russa

247 - O jornalista Alex Solnik, em participação no Bom Dia 247 desta quarta-feira (12), comentou a respeito da vacina Sputnik V, lançada pelo governo russo nesta terça-feira (11) como instrumento promissor no combate ao novo coronavírus.
Segundo o jornalista, “o Putin, não seria um irresponsável a ponto de lançar uma cloroquina. Ele não é Bolsonaro, ele não é Trump”. 

Ele refere-se à algumas críticas que a vacina têm recebido a respeito da real eficácia no combate ao vírus.  A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz estar em contato com a Rússia e que continua discutindo os "dados de segurança e eficácia necessários, compilados durante os testes clínicos".  

“Não acredito que Putin seria irresponsável a ponto de lançar uma vacina que não funciona ou que tem efeitos colaterais só para ser o primeirão”, acrescentou o jornalista. 

JORNALISTA MIRIAM LEITÃO, DIZ QUE DEBANDADA É CONSEQUÊNCIA DO FRACASSO DE PAULO GUEDES

Miriam Leitão e Paulo Guedes

247 – As demissões na equipe de Paulo Guedes, que ontem atingiram os secretários Salim Mattar e Paulo Uebel, são consequência do fracasso na implementação da agenda neoliberal, aponta a jornalista Miriam Leitão, em sua coluna no Globo.

"O programa econômico desmontou antes da debandada da equipe. O governo faria privatizações e nada fez, e isso antes da pandemia. A reforma administrativa foi preparada, levada ao presidente Bolsonaro, que exigiu mudanças, elas foram feitas e ele então engavetou. As reformas se limitaram à mudança nos parâmetros da previdência dos servidores civis e dos trabalhadores do setor privado. A dos militares, a equipe econômica não teve espaço para opinar. Teve que bater continência e aceitar", aponta a jornalista.

Miriam também lembra as mistificações de Guedes. "Na campanha, Paulo Guedes dizia que privatizaria R$ 1 trilhão, que venderia imóveis que também chegavam a R$ 1 trilhão. E ele afirmou que zeraria o déficit no primeiro ano. Ninguém que entende de números acreditava naquelas cifras voadoras", recorda.

"O Brasil já viu várias vezes a briga entre o ministro austero e os ministros gastadores. Não está sendo reeditada agora essa clivagem. O que há é que o programa era irreal e desmoronou."

Haddad: estamos sem ministro da Saúde, sem equipe econômica, sem rumo

Fernando Haddad e Jair Bolsonaro

247 - O ex-prefeito Fernando Haddad usou suas redes sociais nesta quarta-feira (12) para condenar a completa desordem do governo de Jair Bolsonaro e a falta de projeto de país, em meio à crise que país enfrenta.

“Agora, estamos sem ministro da Saúde e sem equipe econômica. Sem rumo também”, disse o petista. 

Haddad refere-se à mais nova debandada na área econômica do governo. Em mais um aceno contrário ao programa "Pró-Brasil", que terá impacto de R$ 35 bilhões no orçamento, os secretários especiais de Desestatização, Salim Mattar, e o de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, pediram demissão. O próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, reconheceu a “debandada” na equipe, que vem se sentindo escanteada. 

VÍTIMA DE COVID-19, MORRE A AVÓ MATERNA DE MICHELLE BOLSONARO

483 visitas - Fonte: Metrópoles

A avó materna da primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro, é mais uma vítima fatal relacionada ao novo coronavírus no Distrito Federal. O óbito de Maria Aparecida Firmo Ferreira, de 81 anos, foi confirmado ao Metrópoles nesta quarta-feira (12/8) por Maria de Fátima Ferreira, filha da paciente. Ela estava internada na enfermaria do Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

“Deus resolveu levar minha mãezinha, não consigo acreditar. Ela lutou tanto, mostrou tanta força, mas não resistiu. Estamos todos muito abalados”, declarou a tia da primeira-dama.

Na semana passada, a idosa havia deixado a unidade de terapia intensiva do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) com um quadro clínico considerado estável, quando foi transferida novamente para o HRC, primeira unidade onde ficou internada.

Maria Aparecida manteve as dificuldades respiratórias – ela chegou a ter 78% da capacidade pulmonar comprometida – e fez uso de máscaras de oxigênio como forma de dar mais conforto durante o tratamento contra o Sars-Cov-2. Ela também manteve a alimentação enteral, por meio de sondas durante todo o tratamento.

A Secretaria de Saúde confirmou o óbito. https://www.plantaobrasil.net/news.asp?nID=110357

Brasil pode ir para ´´lista suja`` depois que dossiê sobre antifascistas chegou à ONU

 

639 visitas - Fonte: UOL

Relatores da ONU (Organização das Nações Unidas) foram informados e se debruçam sobre a conduta do Ministério da Justiça brasileiro ao montar um dossiê para monitorar quase 600 servidores públicos e professores por seu envolvimento em atos antifascismo.

Uma das possibilidades é o Brasil ser colocado em uma espécie de "lista suja" de governos que promovem "intimidações". Procurado, o Itamaraty até o momento não comentou o fato de o gesto do governo ter entrado no radar dos relatores.

As informações chegaram de maneira discreta à ONU --as pessoas que levaram a informação temem represálias do governo brasileiro.

A ação sigilosa do Ministério da Justiça do governo Bolsonaro foi revelada com exclusividade pelo UOL há duas semanas. Um grupo de 579 servidores federais e estaduais de segurança foi identificado como integrante do "movimento antifascismo", além de três professores universitários.

Em Genebra, fontes do alto escalão da ONU revelaram que pelo menos dois relatores especiais de direitos humanos estão cientes da situação e do comportamento do governo, além da cúpula da organização mundial. As informações chegaram às instâncias internacionais por fontes que, por temer represálias, preferem se manter no anonimato.

Uma das relatoras que foi informada é Agnes Callamard, encarregada de investigar a morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi. No início do ano, ela já havia tecido duros comentários contra o governo de Jair Bolsonaro. "No Brasil, as autoridades políticas parecem estar virando as costas para alguns princípios chave, relacionados com a proteção dos direitos humanos", disse em entrevista à coluna.

Callamard pediu, naquele momento, uma autorização do governo para fazer uma missão ao país e investigar execuções e assassinatos sumários no Brasil.

O dossiê produzido pelo ministério tem nomes e, em alguns casos, fotografias e endereços de redes sociais das pessoas monitoradas. A atividade contra os antifascistas, conforme documentos aos quais o UOL teve acesso, é realizada por uma unidade do ministério pouco conhecida, a Seopi (Secretaria de Operações Integradas).

Dias depois, quatro parlamentares ouvidos pelo UOL indicaram que o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, confirmou que a Seopi realizou um relatório de inteligência sobre o grupo Policiais Antifascismo. Mas insistiu que não ser uma investigação.

"Lista suja"

No que se refere ao dossiê, fontes indicam que um dos caminhos avaliados é de que relatores enviem uma carta oficial ao governo brasileiro cobrando esclarecimentos. O gesto seria uma forma de indicar ao país que o caso está sendo acompanhado e colocar pressão.

A comunicação, meses depois, é tornada pública e circulada entre todos os governos, como maneira de constranger o país envolvido.

Outra consequência prática da chegada do caso à ONU é que ele pode entrar em um informe que a secretaria-geral produz a cada ano sobre governos que adotaram medidas de intimidação contra ativistas, professores, funcionários ou qualquer cidadão que tenha colaborado com o sistema internacional, seja prestando informação sobre as práticas do governo, submetendo evidências ou denunciando abertamente violações de direitos humanos.

Em sua versão de 2019, o relatório da ONU sobre as intimidações citou episódios envolvendo alguns dos principais regimes repressivos do mundo, como Venezuela, China, Egito, Irã e Arábia Saudita.
O documento também traz casos de intimidações na Argélia, Bahrein, Benin, Cuba, Hungria, Sri Lanka, Israel e Iemen.

O caso do Ministério da Justiça soma-se a 37 denúncias apresentadas por violações de direitos humanos no Brasil, apenas em 2019, nos órgãos oficiais da ONU.

Casos envolvendo povos indígenas, tortura, afro-brasileiro, desmonte do setor de saúde, liberdade de imprensa e meio ambiente recolocaram o país num patamar que não se conhecia na diplomacia internacional desde o final da ditadura, nos anos 80. O governo, em resposta, passou a criticar a sociedade civil e relatores da ONU.

A situação internacional do Brasil representa uma ruptura em relação ao caminho adotado desde a redemocratização. O Estado brasileiro abandonou progressivamente a opção negacionista no que se refere aos crimes existentes no país.

O Brasil aderiu ao Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos e ainda liderou de forma histórica os trabalhos, em 1993, da Conferência Mundial de Direitos Humanos realizada em Viena.

Terroristas

Em junho, os relatores da ONU já lançaram alertas contra líderes que classificam movimentos antifascistas como sendo grupos terroristas. A reação dos especialistas ocorreu depois que, nos EUA, a morte de George Flyod foi seguida por manifestações. Mas o Procurador-Geral dos EUA, William Barr, advertiu que a suposta violência realizada pelo "Antifa" e outros movimentos "é terrorismo doméstico e será tratada de acordo".

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro passou a usar a mesma retórica e classificou todos os integrantes de movimentos antifascistas como "marginais" e "terroristas". Em declarações no início do mês de junho diante dos protestos, o brasileiro usou tais termos para designar os grupos nas ruas.

"Começou aqui com os antifas em campo. O motivo, no meu entender, político, diferente [dos protestos dos EUA]. São marginais, no meu entender, terroristas. Têm ameaçado, domingo, fazer movimentos pelo Brasil, em especial, aqui no DF", disse.

Para os relatores da ONU, tal classificação é "preocupante". O alerta foi lançado por Fionnuala D. Ní Aoláin, Relatora Especial para a promoção e proteção dos direitos humanos e liberdades fundamentais no combate ao terrorismo, Leigh Toomey, Elina Steinerte, José Antonio Guevara Bermúdez, Sètondji Roland Adjovi, e Sr. Seong-Phil Hong, todos do Grupo de Trabalho sobre Detenção Arbitrária da ONU.

Também apoiaram a declaração Tendayi Achiume, Relatora Especial sobre Formas Contemporâneas de Racismo, David Kaye, Relator Especial sobre a promoção e proteção do direito à liberdade de expressão, e Clément Nyaletsossi Voule, Relator Especial sobre o direito à reunião e associação pacífica.

Para eles, tal comportamento por parte das autoridades "prejudica os direitos à liberdade de expressão e de reunião pacífica no país".

"A lei internacional dos direitos humanos protege o direito à liberdade de expressão, associação e reunião pacífica", disse Fionnuala Ní Aoláin. "É lamentável que os Estados Unidos tenham optado por responder aos protestos de forma a minar esses direitos fundamentais", disse. https://www.plantaobrasil.net/news.asp?nID=110355

A CAMPANHA ELEITORAL SÓ COMEÇA A PARTIR DO DIA 27 DE SETEMBRO. E o Impulsionamento das redes sociais na pré-campanha

Por Diana Câmara*

A campanha eleitoral só começa a partir do dia 27 de setembro e no período de pré-campanha é comum e permitido que os pré-candidatos se apresentem, falem sobre seus projetos, quais bandeiras defendem, além de tecer críticas políticas aos adversários ou a atual administração. Isto faz parte do jogo político e é saudável para a democracia.

Desta forma, o pré-candidato pode expor projetos políticos e enaltecer suas qualidades de modo a credenciá-lo como o mais preparado para representar o eleitor, desde que não haja pedido explícito de votos e não se faça uso de ferramentas, veículos ou formas proibidas na fase de campanha. Exemplos destas expressas proibições são os outdoors, pinturas em muro, uso indiscriminado de carros de som e realização de showmício, dentre outros vedados no período eleitoral. 

Como o impulsionamento das redes sociais é algo lícito durante o período da campanha eleitoral, então não há que se falar em vedação nesta fase que antecede, essa é a posição do TSE até então. Desde que, por óbvio, não haja pedido explícito de voto e nem de forma indireta, ou seja, nada de o candidato postar seu número ou do partido pelo qual virá candidato, sob pena de configurar propaganda extemporânea.

Assim, preocupação maior deve se dar sob o conteúdo da publicação, pois se a comunicação ou a peça examinada for considerada como sendo propaganda eleitoral antecipada, logo estará vedado o impulsionamento neste período de pré-campanha.

O impulsionamento amplia o impacto do conteúdo publicado e o alcance a um número maior de usuários, isto causa maior visibilidade e exposição do material postado nas redes sociais, como o Facebook e o Instagram, que identificam tais postagens como pagas, e trazem a expressão "patrocinado”. 

Recentemente, algumas mídias sociais passaram a pedir a identificação de quem está pagando pelo impulsionamento, que, no caso dos pré-candidatos, devem ser eles mesmo ou o partido político.

Por outro lado, orienta-se que os gastos com impulsionamento sejam realizados de forma comedida. Mormente os valores com esta prática ser bem acessíveis, o que a princípio afastaria qualquer ilação de abuso de poder econômico e quebra do princípio da igualdade, recomenda-se o bom senso e a moderação com estes gastos, sob pena de, em assim não agindo, o futuro candidato vir a ser acionado por eventual abuso de poder econômico.

*Advogada especialista em Direito Eleitoral, presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/PE, membro fundadora e ex-presidente do Instituto de Direito Eleitoral e Público de Pernambuco (IDEPPE), membro fundadora da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (ABRADEP) e autora de livros.

Política de desmonte da Petrobrás é um risco ao futuro do Brasil

594 visitas - Fonte: PT.Org

Parlamentares e trabalhadores lançam campanha “Petrobrás Fica” para impedir a venda de oito refinarias da companhia estatal. Senador critica acerto da estatal com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica. “A sociedade precisa compreender o que essa política de desmonte representa: uma ameaça ao futuro do país”, adverte. Petroleiros cobram investigação do MPF

A campanha nacional #PetrobrásFica começa a correr o país em defesa da empresa petroleira e contra a venda de ativos da companhia imposta pelo governo de Jair Bolsonaro. O presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Petrobras, senador Jean Paul Prates (PT-RN), alertou que o futuro do país está ameaçado pela política suicida implementada pelo ministro Paulo Guedes, que segue de maneira destrutiva a agenda neoliberal.

“É uma defesa da Petrobrás útil aos brasileiros. Nossa campanha é de cuidado e zelo com o Brasil. A sociedade precisa compreender a importância da Petrobras e que essa política de desmonte representa: uma ameaça para o futuro do país”, disse o parlamentar. Os sindicatos de petroleitos estão cobrando investigações sobre as vendas dos ativos pela estatal, cujos valores estão muito abaixo do razoável.

Lançada oficialmente na sexta-feira, 7 de agosto, o movimento #PetrobrásFica conta com a participação de políticos, economistas e sindicalistas. A campanha denuncia a saída da Petrobrás de regiões do Norte e Nordeste, que resultará na desintegração de setores da economia e a completa desverticalização da companhia. “O país está sendo prejudicado porque a empresa deixa de ser nacional para atuar como empresa do Sudeste, subordinada a interesses externos”, adverte Jean Paul.

O senador voltou a denunciar o acordo firmado pela Petrobrás com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em que a empresa se comprometeu a vender oito refinarias para encerrar uma investigação no órgão. “Esse processo precisa ser esclarecido: o Cade nem chegou a concluir por dominação de mercado. Não chegou a investigar nada, e a Petrobras, sem apresentar defesa, foi logo sacrificando metade do seu parque de refino”, advertiu. “É muito grave e o resultado será desastroso”.

Negócio suspeito

Após menos de dois meses de investigação, o presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, que está à frente da diretoria desde janeiro do ano passado, decidiu fechar um acordo com o Cade, antes mesmo que o processo movido pela Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom) fosse julgado.

O acordo foi celebrado sem que o Cade chegasse a investigar as possíveis práticas anti-competitivas e condenar a Petrobrás. Para o senador, o resultado de décadas de luta, trabalho e dedicação do povo brasileiro está se evaporando, graças a um projeto político que tem como um dos seus alicerces a entrega das riquezas nacionais ao capital internacional.



“O plano de privatizar a estatal em fatias não visa garantir o abastecimento ou novos investimentos, mas aumentar a distribuição de lucros aos acionistas, invertendo a lógica da empresa de servir ao país e aos consumidores”, lembrou. Jean Paul Prates lembra que a União detém mais da metade das ações da empresa, mas a companhia é submetida à lógica de atender aos interesses dos acionistas minoritários, sem levar em conta o desenvolvimento do país.

Desmonte acelerado

A Federação Única dos Petroleiros (FUB) denunciou que, nas últimas semanas, a diretoria da Petrobrás anunciou que está concluindo as negociações para entrega da refinaria Landulpho Alves, na Bahia, e arrendou as fábricas de fertilizantes do Nordeste, localizadas na Bahia e em Sergipe.

A diretoria da empresa ainda colocou à venda usinas de biodiesel junto com a subsidiária PBIO e leiloou a preço de banana três plataformas da Bacia de Campos, além de anunciar que está se desfazendo da Gaspetro, com 10 mil km de gasodutos e participação em 22 distribuidoras de gás natural em vários estados do pais. Tudo isso em plena pandemia.

“No caso da Petrobrás e suas subsidiárias, a gestão bolsonarista está destruindo a mola mestra do desenvolvimento nacional”, criticou o coordenador da FUP, Deyvid Bacelar. No último dia de julho, o presidente da Petrobras. A venda das refinarias e das plataformas é considerada um negócio absurdo e um “acinte” por representantes da e do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF).
Investigação necessária

“Cadê o Ministério Público Federal para investigar tudo isso? Quem está levando vantagem nessas privatizações? Quem está ganhando? O Brasil, a Petrobras ou quem está comprando? Ou é quem participa desses negócios, já que ninguém sabe quem são os lobistas?”, questiona Bacelar, a respeito do negócio com as plataformas fechado pela gestão de Castelo Branco.

“Só não doaram as plataformas porque é ilegal. É um absurdo e que demonstra bem a que veio o governo de Jair Bolsonaro e Castello Branco, e a que interesses respondem, os do mercado financeiro. Os interesses são muito escusos”, denuncia o presidente do Sindipetro-NF, Teseu Bezerra. “Na prática, na ponta do lápis, foi um leilão de fachada
para legitimar a doação”.

Pelo cálculo dos petroleiros, somando a produção das três plataformas vendidas na Bacia de Campos, com 25 barris por dia, com o preço do barril atualmente em R$ 227, a receita é de R$ 5,7 milhões por dia. O comprador levará, portanto, dois dias para recuperar o investimento de R$ 7,5 milhões. “Estão privatizando a Petrobras com a venda dos ativos a preço de banana, seja transformando em subsidiárias, seja vendendo esses ativos na bacia das almas. É escandaloso”, alerta Bacelar.  https://www.plantaobrasil.net/news.asp?nID=110345

LULA DESMENTE O JORNAL VALOR ECONÔMICO, QUE PERTENCE À ALIANÇA GLOBO E FOLHA, SEGUNDO QUAL SUSPEIÇÃO DE MORO VAI ANULAR TODA A LAVA JATO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por meio de seus advogados, desmentiram nesta terça-feira (11) que seu habeas corpus, que questiona a falta de imparcialidade do ex-juiz Sérgio Moro, irá anular todas as decisões da operação Lava Jato.

O jornal Valor Econômico, que pertence à aliança Globo e Folha, publicou reportagem hoje intitulada “Acolhimento de tese pode anular toda a operação”.

Pela tese do jornalão, na hipótese de o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitar o argumento da defesa de Lula sobre a parcialidade de Sergio Moro no caso do triplex do Guarujá e anular as ações penais do petista, outros condenados na Lava-Jato poderão solicitar extensão do benefício – provocando um efeito cascata com potencial para afetar todas as condenações decorrentes da operação na Justiça Federal em Curitiba.

Os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, representantes do ex-presidente Lula, desmente o Valor. De acordo com os defensores do petista, o habeas corpus que busca a suspeição de Moro é um remédio constitucional individual de Lula.

Caso o STF reconheça a parcialida de Sérgio Moro, não anulação de todas as ações penais da Lava Jato, apenas a do tríplex que voltaria a fase inicial para a análise de um juiz imparcial e independente –qualidade que faltaram ao ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro (sem partido).

Ou seja, mais uma fake news da velha mídia.

A seguir, leia a íntegra da nota oficial da defesa de Lula.

“Em relação à reportagem do jornal Valor Econômico intitulada “Acolhimento de tese pode anular toda a operação”, publicada em 11/08/2020, é preciso registrar que:

·         O habeas corpus nº 164.493/PR foi impetrado em 1º/11/2018 no Supremo Tribunal Federal pelos advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins (e membros da equipe do escritório Teixeira, Martins & Advogados) em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e tem por objetivo impugnar acórdão proferido pela 5ª. Turma do Superior Tribunal de Justiça no habeas corpus nº 398.570/PR, buscando o reconhecimento da suspeição do ex-juiz Sergio Moro especificamente para que seja anulada a ação penal º 504612-94.2016.4.7000/PR (“ação do triplex”) — de modo que a ação retorne à sua fase inicial e seja analisada por um juiz imparcial e independente; esse habeas corpus diz respeito à situação individual e irrefutável de que Lula não teve direito a um julgamento justo e imparcial;

·         No mesmo habeas corpus, os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins também pediram que uma vez reconhecida a suspeição do ex-juiz Sergio Moro, sejam os efeitos da decisão estendidos especificamente às “ações penais propostas em face de Luiz Inácio Lula da Silva que estão ou estiveram sob a condução do Juiz Federal Sérgio Fernando Moro (Autos nºs 5063130-17.2016.4.04.7000/PR e 5021365- 32.2017.4.04.7000/PR), decretando-se, por conseguinte, a nulidade de todos eles”;

·         Em razão disso, o habeas corpus nº 164.493/PR que poderá ser julgado a qualquer momento pelo STF não tem por objetivo anular toda a operação Lava Jato, já que os impetrantes formularam pedidos específicos em favor do seu constituinte, o ex-presidente Lula, e a ação constitucional (habeas corpus) está relacionada a 3 ações penais especificas que envolvem o ex-presidente; vale dizer, os fundamentos do habeas corpus são individuais e específicos para o caso do ex-presidente Lula;

·         Qualquer manifestação relacionada ao habeas corpus nº 164.493/PR, para ser legítima, deve partir dos impetrantes da ação, seja por questões relacionadas ao Código de Ética da Advocacia, seja em relação à própria estratégia da defesa, conduzida pelos advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins.

Cristiano Zanin Martins e Valeska T. Zanin Martins

JOE BIDEN ESCOLHE SENADORA KAMALA HARRIS COMO SUA VICE, NA DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS.

O democrata Joe Biden anunciou nesta terça-feira (11) que a senadora Kamala Harris, da Califórnia, será sua companheira de chapa na disputa pela presidência dos Estados Unidos.

O anúncio foi feito por meio de uma publicação na rede social Twitter.

“Eu tenho a grande honra de anunciar que escolhi Kamala Harris — uma lutadora destemida pelos pequenos e uma das melhores servidoras públicas do país — como minha parceira de chapa”, escreveu Biden.


Caso vençam o atual presidente Donald Trump nas eleições de novembro, Kamala será a primeira mulher a ocupar o cargo de vice-presidente da poderosa nação norte-americana.

Kamala tem 55 anos e é senadora pela Califórnia desde 2017, foi procuradora do estado da Califórnia de 2004 a 2011, e concorreu pela indicação democrata à presidência dos Estados Unidos, inclusive contra Biden.

Deputada autora de projeto que autoriza a ozonioterapia é internada com Covid-19

O Brasil é o país da piada pronta. A deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF) testou positivo para Covid-19 e foi internada na manhã desta terça-feira (11) em um hospital particular na Asa Sul, em Brasília.

A parlamentar é autora de um projeto de lei que autoriza o uso da ozonioterapia no combate ao novo coronavírus. O procedimento consiste na aplicação de oxigênio e ozônio pelo ânus do paciente. Não há evidências científicas de que o tratamento funcione contra a doença.

O principal propagandista da aplicação de ozônio pelo ânus é o prefeito de Itajaí (SC), Volnei Morastoni (MDB), que publicou um vídeo sobre o tratamento.

Paula Belmonte enviou uma mensagem a colegas dizendo que teve 30% dos pulmões comprometidos pela doença.

“O médico avaliou pela internação. Tenho aneurisma cerebral, uma preocupação. Estou tossindo, me sentindo cansada, mas tranquila. Confesso, quando recebi a notícia da internação, me deu frio na barriga”, escreveu.

A deputada brasiliense é da linha de frente do bolsonarismo. Seu marido, o empresário Luís Felipe Belmonte, apoiador do presidente Jair Bolsonaro, é um entusiasta da criação do novo partido de extrema direita Aliança pelo Brasil.

Quanto ao projeto de lei que autoriza o uso da ozonioterapia no combate ao novo coronavírus, Paula Belmonte diz:

“Salienta-se que é pacífico que ainda não há qualquer evidência científica relacionada à efetividade da ozonioterapia na prevenção ou tratamento para o Coronavírus, entretanto, possibilitar que a comunidade médica utilize o tratamento quando julgar necessário pode se tornar benéfico, afinal, ‘essa terapia vem sendo cada vez mais estudada com intuito de auxiliar em tratamentos de feridas extensas, infecções fúngicas, bacterianas e virais, lesões isquêmicas e várias outras afecções, tendo se mostrado muito eficaz na maioria dos casos'”, diz o texto do projeto. https://www.esmaelmorais.com.br/2020/08/deputada-autora-de-projeto-que-autoriza-a-ozonioterapia-e-internada-com-covid-19/

SALMOS 143 - LIVRA-ME, Ó SENHOR, DOS MEUS INIMIGOS; FUJO PARA TI, PARA ME ESCONDER.

Salmo 143 - O salmista ora para que seja livre de inimigos | Nosso ...

Ó Senhor, ouve a minha oração, inclina os ouvidos às minhas súplicas; escuta-me segundo a tua verdade, e segundo a tua justiça.

E não entres em juízo com o teu servo, porque à tua vista não se achará justo nenhum vivente.
Pois o inimigo perseguiu a minha alma; atropelou-me até ao chão; fez-me habitar na escuridão, como aqueles que morreram há muito.
Pois que o meu espírito se angustia em mim; e o meu coração em mim está desolado.
Lembro-me dos dias antigos; considero todos os teus feitos; medito na obra das tuas mãos.
Estendo para ti as minhas mãos; a minha alma tem sede de ti, como terra sedenta. (Selá.)
Ouve-me depressa, ó Senhor; o meu espírito desmaia. Não escondas de mim a tua face, para que não seja semelhante aos que descem à cova.
Faze-me ouvir a tua benignidade pela manhã, pois em ti confio; faze-me saber o caminho que devo seguir, porque a ti levanto a minha alma.
Livra-me, ó Senhor, dos meus inimigos; fujo para ti, para me esconder.
Ensina-me a fazer a tua vontade, pois és o meu Deus. O teu Espírito é bom; guie-me por terra plana.
Vivifica-me, ó Senhor, por amor do teu nome; por amor da tua justiça, tira a minha alma da angústia.
E por tua misericórdia desarraiga os meus inimigos, e destrói a todos os que angustiam a minha alma; pois sou teu servo.

Salmos 143:1-12

Prefeito de município do RJ morre vítima da Covid-19

 

O prefeito de Duas Barras, na Região Serrana do Rio, morreu, na madrugada de hoje, vítima da Covid-19. Luiz Carlos Botelho Lutterbach (PP) tinha 55 anos, era casado e deixou três filhos.

Lutterbach foi diagnosticado com a Covid-19 no dia 22 de julho e foi transferido, no dia seguinte (23), para o Hospital São José do Avaí, em Itaperuna, no Noroeste Fluminense, após uma avaliação clínica que revelou complicações em seu quadro de saúde.

Com a internação do prefeito, o vice, Dr. Fabrício Luiz Lima Ayres, foi empossado prefeito em exercício no dia 3 de agosto.

No início da pandemia, o então prefeito decretou quarentena na cidade e instalou pias pelas ruas com água, sabonete e álcool gel para a prevenção contra o novo coronavírus.

De acordo com a assessoria da Prefeitura, o traslado do corpo está sendo providenciado e ainda não há informação sobre o horário do sepultamento. Por se tratar de morte por Covid-19, não haverá velório.

O prefeito em exercício, Dr. Fabrício Luiz, decretou luto de 8 dias na cidade. Duas Barras tem 83 casos confirmados e duas mortes pela doença, segundo a secretaria municipal de Saúde. A população estimada do município é de 11 mil habitantes. Por Magno Martins 

GL0B0 ATACA B0LSONARO POR TODOS OS LADOS! ELE É O CHEFÃO!

Temer vai se aproximar ainda mais de Bolsonaro depois de nomeado para missão no Líbano

1860 visitas - Fonte: O Estadão

A escolha de Michel Temer para chefiar a missão brasileira no Líbano deve estreitar um pouco mais a relação entre o ex-presidente e o atual, Jair Bolsonaro. É o que acredita o entorno de ambos. Temer já vinha aconselhando Bolsonaro em questões como o meio ambiente, por exemplo. Agora, ao menos entre a turma moderada do governo, espera-se que o Planalto também passe a ouvi-lo sobre política externa e relações com o Congresso.

Apesar de Marcelo Bretas ter negado anteriormente pedidos de Michel Temer para viajar ao exterior, desta vez o entorno do ex-presidente estava otimista de que o juiz federal do Rio autorizaria, como acabou ocorrendo, a participação dele como líder da missão. Afinal, trata-se de questão de Estado, humanitária. Havia também interesse pessoal de Bretas: de olho em uma vaga no STF, não seria interessante para o juiz constranger Jair Bolsonaro. Temer conseguiu com empresários da Fiesp fechar um avião com toneladas de doações de medicamentos e alimentos.

Somadas a ajuda obtida por Temer e as do governo Bolsonaro, que convidou o ex-presidente para chefiar a missão, o objetivo é tornar o Brasil o maior doador mundial para a recuperação do Líbano. Dois meses após a aprovação da lei Aldir Blanc, que destina R$ 3 bilhões para o setor cultural, Estados e municípios ainda não conseguiram distribuir os recursos por falta de regulamentação federal.

(…). https://www.plantaobrasil.net/news.asp?nID=110337

Antes de enviá-lo ao Líbano, Bolsonaro disse que Temer "já roubou muita coisa aqui” (vídeo)

 247 - Jair Bolsonaro anunciou neste domingo (9), em reunião com líderes mundiais, que havia convidado o ex-presidente e articulador do golpe contra Dilma Rousseff Michel Temer para chefiar uma missão no Líbano pelo governo brasileiro.

Antes deste episódio, Bolsonaro criticou Temer em diversas ocasiões, afirmando inclusive que o ex-presidente "já roubou muita coisa aqui”. Assista:

Lula: Bolsonaro não tratou os 100 mil mortos como seres humanos

Lula, Jair Bolsonaro e cemitério em São Paulo

Lula, Jair Bolsonaro e cemitério em São Paulo (Foto: Reprodução | Reuters | Isac Nóbrega/PR)

247 - O ex-presidente Lula concedeu entrevista à TV 247 na manhã desta terça-feira (11) aos jornalistas Leonardo Attuch, Tereza Cruvinel, Hildegard Angel, Paulo Moreira Leite, Alex Solnik, Marcelo Auler, Nathália Urban e condenou a negligência do governo Bolsonaro no combate à pandemia. “Bolsonaro nunca passou uma ideia de um presidente preocupado com seu povo. Na verdade, ele nunca tratou os 100 mil mortos como seres humanos”, apontou. 

Segundo o ex-presidente, “o governo sempre tratou com desprezo o combate à pandemia”. “Bolsonaro resolveu travar uma batalha com governadores, a desmentir a medicina e ainda defendeu um medicamento [cloroquina] pois Trump também defendeu. Bolsonaro gosta de desfilar sua ignorância”, acrescentou. 

Lula ainda ressaltou que seres humanos não podem ser tratados "apenas como números". 

A entrevista de Lula ao 247 foi concedida na expectativa do julgamento de Sérgio Moro no STF. Segundo o advogado José Roberto Batochio, um dos maiores criminalistas do País, e que integra a defesa do ex-presidente Lula, a eventual suspeição do ex-juiz Sergio Moro não se aplica apenas ao réu mais notório da Lava Jato. Batochio avalia que a eventual declaração de suspeição dos atos de Moro enquanto juiz pode repercutir ao menos para condenados que figurem nas mesmas ações penais que o petista: “Eu acho que o STF, se acolher a tese de que o juiz que sentenciou era suspeito, portanto inabilitado para fazê-lo do ponto de vista técnico-jurídico, o ato é absolutamente nulo. E, sendo nulo, eu tenho comigo que efetivamente se aproveita a todos os que foram alcançados por essa sentença”.

Lula: é lamentável que tantos generais se disponham a trabalhar com um troglodita como o Bolsonaro

Lula, Bolsonaro com generais

Lula, Bolsonaro com generais (Foto: Reprodução/TV 247 | Marcos Corrêa/PR)

247 - O ex-presidente Lula concedeu entrevista à TV 247 na manhã desta terça-feira (11) aos jornalistas Leonardo Attuch, Tereza Cruvinel, Hildegard Angel, Paulo Moreira Leite, Alex Solnik, Marcelo Auler, Nathália Urban e deu um recado direto aos militares: “Estou olhando na cara de vocês: nem o Geisel, nem o Figueiredo, cuidaram das estruturas militares melhor do que eu”. 

O ex-presidente disse que sempre entendeu “o papel das Forças Armadas para combater o inimigo externo”. “Por isso é importante dar estrutura e eu dei, eu queria as Forças Armadas respeitadas, antes de ser eleito tudo era sucata ali”, acrescentou Lula. 

Ele também ressaltou ser “lamentável que tantos generais se disponham a trabalhar com um presidente troglodita como esse”, referindo-se a Bolsonaro. 

Temer vai se aproximar ainda mais de Bolsonaro depois de nomeado para missão no Líbano

195 visitas - Fonte: O Estadão

A escolha de Michel Temer para chefiar a missão brasileira no Líbano deve estreitar um pouco mais a relação entre o ex-presidente e o atual, Jair Bolsonaro. É o que acredita o entorno de ambos. Temer já vinha aconselhando Bolsonaro em questões como o meio ambiente, por exemplo. Agora, ao menos entre a turma moderada do governo, espera-se que o Planalto também passe a ouvi-lo sobre política externa e relações com o Congresso.

Apesar de Marcelo Bretas ter negado anteriormente pedidos de Michel Temer para viajar ao exterior, desta vez o entorno do ex-presidente estava otimista de que o juiz federal do Rio autorizaria, como acabou ocorrendo, a participação dele como líder da missão. Afinal, trata-se de questão de Estado, humanitária. Havia também interesse pessoal de Bretas: de olho em uma vaga no STF, não seria interessante para o juiz constranger Jair Bolsonaro. Temer conseguiu com empresários da Fiesp fechar um avião com toneladas de doações de medicamentos e alimentos.

Somadas a ajuda obtida por Temer e as do governo Bolsonaro, que convidou o ex-presidente para chefiar a missão, o objetivo é tornar o Brasil o maior doador mundial para a recuperação do Líbano. Dois meses após a aprovação da lei Aldir Blanc, que destina R$ 3 bilhões para o setor cultural, Estados e municípios ainda não conseguiram distribuir os recursos por falta de regulamentação federal.

(…). https://www.plantaobrasil.net/news.asp?nID=110337

Paraná faz acordo com a Rússia para ter a Sputnik V, a primeira vacina registrada contra covid-19

 

237 visitas - Fonte: O Tempo

O Governo do Paraná anunciou que vai assinar ainda nesta quarta-feira (12) um acordo com a estatal russa para produzir a vacina Sputnik V. O convênio prevê que o Estado poderá fazer testes, produzir e distribuir a vacina. As duas partes vinham negociando a proposta desde junho.

O acordo deverá ser assinado às 14h desta quarta pelo governador do Estado, Ratinho Júnior (PSD), e o embaixador da Rússia. Segundo o governo, após o convênio ser firmado, haverá o compartilhamento do protocolo russo com a Anvisa, para que a agência libere todas as etapas.

Primeira vacina do mundo

Na manhã desta terça-feira (11), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou que o país desenvolveu a primeira vacina contra o coronavírus, que provoca uma “imunidade duradoura”.

“Esta manhã, pela primeira vez no mundo, foi registrada uma vacina contra o novo coronavírus”, disse Putin. “Sei que é bastante eficaz, que dá uma imunidade duradoura”, completou.

Nas semanas prévias ao anúncio, cientistas estrangeiros expressaram preocupação com a rapidez da criação de uma vacina desse tipo, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu respeito às diretrizes estabelecidas e que a Rússia seguisse “todos os estágios necessários para desenvolver uma vacina segura.

Putin afirmou inclusive, que uma de suas filhas recebeu a vacina.

A vacina será distribuída em 1º de janeiro de 2021, de acordo com o registro nacional de medicamentos do Ministério da Saúde, consultado pelas agências de notícias russas.

Tratativas com o Paraná

No final de julho, o governo paranaense informou que a cooperação técnica com a Rússia estava em andamento. O possível acordo foi tratado em uma reunião, em Brasília, entre o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov.

SALMOS 142:1 - COM A MINHA VOZ CLAMEI AO SENHOR; COM A MINHA VOZ SUPLIQUEI AO SENHOR.

 Salmo 142: Para receber boas influências

Com a minha voz clamei ao SENHOR; com a minha voz supliquei ao SENHOR.

Derramei a minha queixa perante a sua face; expus-lhe a minha angústia.
Quando o meu espírito estava angustiado em mim, então conheceste a minha vereda. No caminho em que eu andava, esconderam-me um laço.
Olhei para a minha direita, e vi; mas não havia quem me conhecesse. Refúgio me faltou; ninguém cuidou da minha alma.
A ti, ó Senhor, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, e a minha porção na terra dos viventes.
Atende ao meu clamor; porque estou muito abatido. Livra-me dos meus perseguidores; porque são mais fortes do que eu.
Tira a minha alma da prisão, para que louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me fizeste bem.

Salmos 142:1-7