DATAFOLHA: 59% DIZEM QUE NÃO VOTARIAM EM BOLSONARO. É O MAIOR ÍNDICE ENTRE TODOS OS NOMES COLOCADOS NA CORRIDA ELEITORAL DE 2022

247 - A nova pesquisa Datafolha apontou que a rejeição a Jair Bolsonaro na eleição de 2022 continua em alta, pois 59% dos eleitores não votariam de forma alguma nele, o maior índice entre todos os nomes colocados na corrida eleitoral. Na pesquisa anterior, de julho, Bolsonaro tinha os mesmos 59% de rejeição. As estatísticas foram publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a pesquisa, os dois nomes em quem o brasileiro afirmou não votar na sequência são o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 38%, e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 37%. Em seguida apareceram o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com rejeição de 30%, ante 31% há dois meses.

Foram entrevistados 3.667 eleitores em 190 cidades nos dias 13 a 15 de setembro, em um levantamento presencial que registra margem de erro de dois pontos percentuais.

Lula lidera

A pesquisa mostrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) alcançou 44% da preferência do eleitorado. Em segundo lugar ficou Bolsonaro, com 26%. Na simulação de segundo turno, o petista obteve mais de 20 pontos percentuais em relação a Bolsonaro

Datafolha Mostra Lula Com 44% Das Intenções De Voto. No 2º Turno, Ele Derrota Bolsonaro Por 56% A 31%. Os Demais Candidatos Permanecem Estagnados, Bem Atrás.

Lula em entrevista coletiva

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém larga vantagem sobre Jair Bolsonaro da disputa eleitoral, segundo pesquisa Datafolha.

Segundo o instituto, que ouviu 3.667 eleitores de forma presencial em 190 cidades, Lula tem 44% da preferência do eleitorado, contra 26% de Jair Bolsonaro. No cenário em que  João Doria é o candidato tucano, ele obtém apensa 4%. Nesse cenário, Ciro Gomes (PDT) segue em terceiro, com 9%. 

Na sondagem sobre o segundo turno, Lula obtém 56% contra 31% de Jair Bolsonaro. Veja a íntegra da pesquisa na Folha de S.Paulo

PESQUISA APONTA LULA LIDERANDO CENÁRIO ELEITORAL NO AMAZONAS. BOLSONARO VENCEU NO ESTADO EM 2018 POR UMA MARGEM PEQUENA DE VOTOS

Por Mário Adolfo Filho

Uma pesquisa da empresa Perspectiva Mercado e Opinião divulgada em Manaus nesta terça-feira (14) aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com 36,6% das intenções de voto, à frente de Jair Bolsonaro, com 34,1%, na corrida eleitoral ao Palácio do Planalto que ocorrerá em 2022. Os dados foram coletados em 10 cidades do Amazonas e a margem de erro é de 2,3% para mais ou para menos.

Nas eleições de 2018, Bolsonaro, à época no PSL, obteve 885.401 votos (50,27%), enquanto 875.845 (49,73%) optaram por Fernando Haddad, do PT. Entretanto, mesmo vencendo por pouca diferença no estado, Bolsonaro ficou à frente apenas em três cidades: Manaus, Guajará e Apuí. 

De acordo com os números da pesquisa estimulada, Lula lidera o cenário atual com vantagem de 2,5% sobre Bolsonaro. Na terceira posição aparece Sério Moro, com 5,3%, seguido por Ciro Gomes, com 4,4%, e Datena, com 2,8%. João Dória, que esteve em Manaus no fim de semana, é lembrado por apenas 2,6% do eleitorado consultado.

Na rejeição, Bolsonaro é o candidato em que os participantes da pesquisa assinalam que não votariam de “jeito nenhum”. Ele é rejeitado por 35,2%, enquanto Lula aparece com 31,8% no mesmo indicador.

Dados técnicos

A pesquisa ouviu eleitores de Manaus e mais 10 cidades, com uma amostra de 1.800 entrevistados, divididos da seguinte forma: 1.000 em Manaus, 121 em Manacapuru, 120 em Itacoatiara, 114 em Parintins, 79 em Tefé, 79 em Coari, 61 em Maués, 60 em Iranduba, 56 em São Gabriel da Cachoeira, 55 em Manicoré e 55 em Tabatinga. 

De acordo com a Perspectiva, essa amostra representa 73,6% do eleitorado do Amazonas.

NO CEARÁ, O GOVERNADOR CAMILO SANTANA (PT), CABO ELEITORAL DE LULA LIDERA DISPUTA PELO SENADO COM (54,0%)

No Ceará, Camilo Santana, cabo eleitoral de Lula lidera disputa pelo Senado. Foto: Ricardo Stuckert

Se a eleição fosse hoje, o governador Camilo Santana (PT), principal cabo eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência, venceria a disputa pela única vaga ao Senado com 54% das intenções de voto. O levantamento é da Paraná Pesquisas.

Segundo o instituto, o atual senador Tasso Jeirissati (PSDB) tem 17,7% enquanto Dra. Mayra Pinheiro, a “Capitão Cloroquina“, vem em terceiro lugar com 6%. Ela já disputou o Senado em 2018, quando obteve 11,37% dos votos válidos.

Veja os números para o Senado pelo estado do Ceará:

·         Camilo Santana (54,0%)

·         Tasso Jereissati (17,7%)

·         Dra. Mayra Pinheiro (6,0%)

·         Domingos Filho (3,3%)

·         Anna Karina (1,0%)

·         Gaudêncio Lucena (0,5%)

A Paraná Pesquisas ouviu 1540 eleitores no estado do Ceará entre os dias 11 e 15 de setembro. A margem de erro é de 2,5% para mais ou para menos.

HADDAD LIDERA A CORRIDA PARA O GOVERNO DE SÃO PAULO COM 20,7%

Haddad pode ser o puxador de votos para Lula em São Paulo, diz pesquisa. Foto: Ricardo Stuckert.

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), poderá ser um importante puxador de votos para a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva na eleição presidencial de 2022. É o que diz pesquisa do Instituto Badra.

Segundo levantamento realizada na semana passada, Haddad lidera a corrida pelo Palácio dos Bandeirantes com 20,7% das intenções de voto, seguido do ex-governador Márcio França (PSB), com 17,6%. Fruto do entendimento nacional entre PT e PSB, França e Haddad ainda poderão compor chapa na disputa pelo governo de São Paulo.

O líder do MTST, Guilherme Boulos (PSOL), em terceiro, tem 10%, enquanto Geraldo Alckmin, de saída do PSDB, aparece com 9,8%. Assim como França, Boulos tem ótimas relações com Haddad, Lula e PT.

O vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB), que deve assumir o cargo no ano que vem e disputar a reeleição, tem 1,3%. Pela amostragem do Instituto Brada, a esquerda vencerá a disputa pelo governo de São Paulo. https://www.esmaelmorais.com.br/2021/09/haddad-pode-ser-o-puxador-de-votos-para-lula-em-sao-paulo-diz-pesquisa/

LULA VENCE ELEIÇÃO NO 1º TURNO NO CEARÁ, DIZ PARANÁ PESQUISAS

A Paraná Pesquisas é que o ex-governador cearense Ciro Gomes (PDT) perde até em casa do ex-presidente Lula (PT).

Paraná Pesquisas assegura que Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, vence a eleição presidencial de 2022 já no primeiro turno no estado do Ceará. O petista tem 45,2% das intenções de voto, ante 39,9% de todos os adversários juntos.

Se retirar a candidatura do ex-juiz Sergio Moro do cenário pesquisado, o segundo turno fica ainda mais distante e a vitória mais perto de Lula.

O que chama atenção na sondagem da Paraná Pesquisas é que o ex-governador cearense Ciro Gomes (PDT) perde em casa do ex-presidente Lula, o que ajuda dificultar a manutenção em da pré-candidatura do pedetista.

·         Lula (45,2%)

·         Jair Bolsonaro (20,3%)

·         Ciro Gomes (16,6%)

·         Sergio Moro (1,9%)

·         João Doria (1,4%)

·         Mandetta (0,6%)

·         Simone Tebet (0,5%)

A Paraná Pesquisas ouviu 1540 eleitores no estado do Ceará entre os dias 11 e 15 de setembro. A margem de erro é de 2,5% para mais ou para menos.

Clique aqui para ler a íntegra do relatório do levantamento da Paraná Pesquisas.

BOLSONARISTAS FIÉIS REPRESENTAM HOJE APENAS 11%, DIZ DATAFOLHA

Bolsonaro e ato golpista

247 - Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (16) mostra um cenário desfavorável para Jair Bolsonaro. Além do recorde de reprovação, que chega a 53%, "a maioria dos eleitores quer seu impeachment e o rejeita como candidato para 2022, uma disputa ainda liderada com folga por Luiz Inácio Lula da Silva (PT)", destaca a Folha de S. Paulo.

Em comparação com dezembro de 2020, o crescimento da reprovação a Bolsonaro totaliza 21 pontos percentuais. A queda nas taxas de ótimo ou bom soma 15 pontos.

O texto do jornal por trás do Datafolha ainda diz que "para quem ficou surpreso com o número de manifestantes pelas ruas do país no último 7 de setembro, vale o alerta: o índice de eleitores que querem seu impeachment e dos que o rejeitam como candidato à reeleição é cerca de cinco vezes maior do que o de bolsonaristas fiéis".

O levantamento, pela segmentação de escala elaborada, que considera variáveis como voto declarado, mostra que os bolsonaristas raiz correspondem atualmente a 11% dos brasileiros, número que já chegou a representar 17% no passado. Dentre este grupo, a maioria é formada por homens, com idade e renda acima da média da população.

REPROVAÇÃO A BOLSONARO BATE RECORDE E CHEGA A 53%. EM JULHO, ELE JÁ HAVIA ATINGIDO SEU ÁPICE DE REPROVAÇÃO, CHEGANDO A 51%, DIZ DATAFOLHA

247 - Jair Bolsonaro continua em declínio de popularidade. Sua reprovação bateu novo recorde, chegando a 53%, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (16).

O levantamento ouviu presencialmente 3.667 pessoas entre 13 e 15 de setembro, uma semana após as manifestações golpistas convocadas pelo chefe do governo federal, realizadas em 7 de setembro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

Em julho, Bolsonaro já havia batido recorde no quesito reprovação: 51%. O movimento crescente acontece desde dezembro de 2020. A oscilação da última pesquisa para a nova está dentro da margem de erro.

Somente 22% avaliam Bolsonaro como ótimo ou bom, uma queda de dois pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, que já indicava o pior índice de seu mandato. O consideram regular 24%, mesmo índice de julho.

REJEIÇÃO DE EVANGÉLICOS A BOLSONARO CRESCE E CHEGA A 41%, APONTA DATAFOLHA

Michelle e Jair Bolsonaro

247 - Nova pesquisa Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (16), mostra um novo recorde de reprovação a Jair Bolsonaro: 53%. O declínio na popularidade do chefe do governo federal também acontece em uma fatia importante da população para ele, a evangélica.

Os evangélicos, tidos como base de apoio da gestão atual, estão se descolando cada vez mais do bolsonarismo. Desde janeiro de 2021 a reprovação a Bolsonaro subiu 11 pontos percentuais dentre este público.

Atualmente, de acordo com o novo levantamento, 41% dos evangélicos reprovam Bolsonaro, enquanto 29% aprovam. Na rodada anterior da pesquisa havia empate técnico: 34% reprovavam e 37% aprovavam. O recente salto, destaca o instituto, "ocorre em meio à campanha por ora frustrada de emplacar o ex-advogado-geral da União André Mendonça, que é pastor, para uma vaga no Supremo".

O Datafolha ouviu presencialmente 3.667 pessoas entre 13 e 15 de setembro, uma semana após as manifestações golpistas convocadas pelo chefe do governo federal, realizadas em 7 de setembro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos. https://www.brasil247.com/brasil/rejeicao-de-evangelicos-a-bolsonaro-cresce-e-chega-a-41-aponta-datafolha

PESQUISA: 62% desaprovam a administração do governo Bolsonaro, e 29%, aprovam

Pesquisa PoderData, realizada nesta semana, mostra que a avaliação da população sobre a imagem do governo federal não mudou depois dos atos pró-Bolsonaro realizados no feriado de 7 de Setembro.

Segundo o levantamento, 62% desaprovam a administração bolsonarista, e 29%, aprovam. Os números eram de 63% e 27%, respectivamente, no estudo realizado 15 dias antes. Como a margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, não houve variações significativas.

Milhares de pessoas saíram às ruas no Dia da Independência para manifestar apoio ao presidente da República. Em São Paulo e Brasília, locais com as maiores concentrações de manifestantes, Bolsonaro discursou e atacou o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Com a temperatura alta e a repercussão negativa das declarações, o chefe do Executivo divulgou uma nota 2 dias depois em que afirma nunca ter tido “nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes”.

Mesmo depois do recuo e do momento difícil, com alta inflação e resistência na taxa de desemprego, o governo mantém cerca de 1/3 de apoio entre os eleitores. Clique aqui e confira a matéria do portal Poder 360 na íntegra.

O EX-PRESIDENTE LULA DISSE A UM GRUPO DE ALIADOS QUE, SE SAIR VITORIOSO DO EMBATE ELEITORAL NO ANO QUE VEM, NOMEARÁ UM POLÍTICO PARA O COMANDO DA ECONOMIA.

Foto: Andrew Medichini/AP Photo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou a um grupo de aliados que, se sair vitorioso do embate eleitoral no ano que vem, nomeará um político para o comando da economia em seu eventual terceiro mandato.

Ontem Lula acumulou mais duas importantes vitórias judiciais, com o arquivamento de investigações contra ele na Justiça Federal em São Paulo e no Distrito Federal.

Durante a visita a Pernambuco, Lula afirmou em reuniões com aliados que diante do grave cenário de estagnação econômica e crise no setor elétrico, será necessário nomear um político, e não um economista, para conduzir o Ministério da Economia.

Nos dias 15 e 16 de agosto, Lula se reuniu em Recife com a cúpula do PSB, com lideranças regionais do PT e com deputados federais de partidos de centro que integram a aliança local, como MDB, Republicanos, Avante e o PP do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Nas conversas com essas lideranças, Lula ressaltou que o político que vier a comandar a pasta da Economia terá de se cercar dos melhores economistas. Segundo relato de um dos participantes, Lula está apreensivo com o cenário de deterioração econômica, escalada da inflação, agravado pela crise hídrica. Ele acredita que somente um político habilidoso e com amplo trânsito no Congresso seria capaz de conduzir uma agenda complexa de reformas e medidas amargas.

Esse perfil evoca o ex-ministro Antonio Palocci, político que no comando do Ministério da Fazenda entre 2003 e 2006, impôs uma austera política fiscal. Anos depois, condenado pela Lava-Jato, Palocci assinou uma delação premiada que comprometia Lula, mas o documento acabou rejeitado pela Polícia Federal e excluído pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de processo contra o ex-presidente. Procurada, a assessoria de Lula não quis comentar.

Ontem o ministro Ricardo Lewandowski do STF suspendeu duas ações penais em tramitação na Justiça Federal no Distrito Federal contra o ex-presidente, relativas a doações da Odebrecht ao Instituto Lula, inclusive de um terreno onde seria construída a nova sede da entidade.

Também ontem veio a público uma carta de próprio punho do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro retratando-se de acusações que havia feito contra Lula em delação premiada com a Lava-Jato. O desmentido levou ao arquivamento de inquérito contra o petista na Justiça Federal em São Paulo, que apurava suposto tráfico de influência internacional em favor da empreiteira.

Valor Econômico  

NO GOVERNO BOLSONARO, ATIVIDADE ECONÔMICA CONTINUA CAINDO.

Foto: Christiano Antonucci/Secom-MT/Divulgação

A atividade econômica do Brasil acelerou 0,6% em julho deste ano, segundo o IBC-Br, medido pelo Banco Central. O resultado apesar que melhor do que o esperado pelo mercado, indica desaceleração em relação ao mês anterior, quando o crescimento foi de 1,14%.

Conhecido como a prévia do Produto Interno Bruto (PIB), o IBC-Br avalia a evolução da economia com informações sobre o nível de atividade dos setores de indústria, comércio, serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

No acumulado dos últimos 12 meses, o indicador registra alta de 3,26%. Com o avanço da vacinação e maior circulação de pessoas, os dados mostram que há um avanço da atividade após a quebra na oferta e demanda ocorrida no ano passado, porém, os ruídos políticos ocorridos pela instabilidade política e o risco fiscal deixaram o ritmo da economia mais lento.

Divulgado mensalmente, o IBC-Br é considerado um termômetro do Produto Interno Bruto (PIB), que é divulgado trimestralmente pelo IBGE. Por ter formas diferentes de calcular a evolução da economia, nem sempre o IBC-Br e o PIB vêm com resultados semelhantes. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. O IBC-Br usa estimativa das áreas e também dos impostos. O resultado do PIB do segundo trimestre, por exemplo, trouxe recuo de -0,1%, enquanto o IBC-Br do mesmo período subiu 0,12%. Veja   https://blogdacidadania.com.br/2021/09/atividade-economica-continua-caindo/

CPI da Covid denunciará Bolsonaro ao Tribunal Penal Internacional por crime contra a humanidade. Com base principal a crise de oxigênio em Manaus durante a pandemia.

Jair Bolsonaro e a CPI da Covid

247 - CPI da Covid enviará ao Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, na Holanda, uma cópia do seu relatório final, produzido pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), denunciando Jair Bolsonaro por crime contra a humanidade, segundo o Congresso em Foco.

A decisão foi acertada entre Calheiros (MDB-AL) e o grupo majoritário da comissão, apelidado de "G7", que faz oposição ao governo no colegiado. A denúncia terá como pilares a crise de desabastecimento de oxigênio em Manaus e a falta de políticas para a proteção dos povos indígenas durante a pandemia.

“No estado do Amazonas teve implantação clara da imunidade de rebanho. Chegou a ter mais de 200 mortes em apenas um dia. A população clama por oxigênio, em vez de mandarem oxigênio, mandaram 120 mil comprimidos de cloroquina. Isso é crime contra a humanidade, isso é crime grave. O relatório deverá ser enviado ao Tribunal de Haia”, disse ao site a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) nesta quarta-feira (15).

Caracteriza-se por crime contra humanidade atos deliberadamente cometidos como parte de um ataque generalizado ou sistemático contra qualquer população civil. https://www.brasil247.com/cpicovid/cpi-da-covid-denunciara-bolsonaro-ao-tribunal-penal-internacional-por-crime-contra-a-humanidade

DEFESA DE LULA VAI À JUSTIÇA PARA OAS CUMPRIR DECISÃO E DEVOLVER DINHEIRO DE APARTAMENTO NO GUARUJÁ

247 - A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que cuida do espólio da ex-primeira-dama Marisa Letícia, ingressou com ação no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) contra a empreiteira OAS para que ela restitua R$ 662,4 mil referente a cotas da compra do apartamento no edifício Solaris, no Guarujá.  Segundo o advogado Cristiano Zanin, a defesa entrou com pedido após o TJSP reconhecer a existência do crédito em favor do espólio de Dona Marisa até o momento a empreiteira não ter devolvido o dinheiro.

A Lava Jato acusou falsamente Lula de ter recebido um triplex no Guarujá como suposta retribuição por contratos assinados entre o Grupo OAS e o governo federal, mas os advogados do petista provaram que ele nunca recebeu nem foi dono do imóvel, que pertencia à OAS e foi inclusive dado em garantia de um empréstimo feito à Caixa Econômica Federal.

Os advogados ainda demonstraram que dona Marisa Letícia pagou, em prestações à cooperativa Bancoop, parte de uma cota que lhe daria direito a um apartamento no local, mas desistiu do negócio quando o empreendimento foi transferido à OAS. Ainda viva, a ex-esposa de Lula requereu a devolução dos valores pagos ao banco, que deverá ser feita diante de determinação do TJSP.

“Requer-se seja dado início à execução provisória da sentença, com a intimação da ré OAS, na pessoa de seus advogados constituídos, para que pague o valor atualizado da condenação, que em setembro de 2021 é de R$ 662.473.32 (seiscentos e sessenta e dois mil, quatrocentos e setenta e três reais e trinta e dois centavos), conforme cálculo descritivos anexos, sob pena da aplicação de multa de dez por cento e, também, de honorários de advogado de dez por cento”, diz a defesa no pedido.

SENADORES APROVORAM A CONVOCAÇÃO DE ANA CRISTINA SIQUEIRA VALLE, EX-ESPOSA DE JAIR BOLSONARO PARA DEPOR NA CPI DA COVID NO SENADO.

Ana Cristina Siqueira Valle

Além disso, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), autor do requerimento de convocação, aponta para a ligação da ex-mulher de Bolsonaro com o esquema das "rachadinhas" na Alerj. 

A convocação de Valle foi aprovada pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Apenas o senador Marcos Rogério (DEM-RO) divergiu dos outros parlamentares.  https://www.brasil247.com/cpicovid/cpi-aprova-convocacao-de-ana-cristina-valle-ex-mulher-de-jair-bolsonaro

ONU EXIGIRÁ COMPROVANTE DE VACINAÇÃO CONTRA COVID PARA ASSEMBLEIA GERAL, QUE TERÁ DISCURSO DE BOLSONARO

247 - A Organização das Nações Unidas (ONU) comunicou nesta quarta-feira (15) aos diplomatas do mundo todo que exigirá comprovante de vacinação contra Covid-19 para o acesso ao plenário onde ocorrerá a 76ª Assembleia Geral da entidade, marcada para semana que vem. 

Jair Bolsonaro, que desde o surgimento das vacinas coloca em dúvida a eficácia e a segurança dos imunizantes e que tem dito que será o último dos brasileiros a receber a substância, planeja participar do fórum, que acontecerá em Nova York. 

Tradicionalmente, o Brasil fica encarregado de fazer o discurso de abertura do debate.

O presidente da Assembleia Geral, Abdullah Shahid, informou que recebeu duas cartas da prefeitura de Nova York, pelas quais foi comunicado que “a prova de vacinação é exigida para certas atividades em ambientes internos, incluindo a sede das Nações Unidas. Consequentemente, a prova de vacinação deveria ser exigida para permitir a entrada no salão da Assembleia Geral”.

“Eu apoio fortemente essa medida como um importante passo no nosso retorno a uma Assembleia Geral totalmente funcional”, disse Shahid. Ele não deixou claro, no entanto, se os chefes de Estado também serão submetidos à exigência.

HADDAD DIZ QUE LUTA DOS NEGROS E DAS MULHERES É DAS MAIORIAS, E NÃO "PAUTA IDENTITÁRIA"

247 - O ex-prefeito de São Paulo e ex-candidato a presidente da República, Fernando Haddad (PT), disse à TV 247 na noite desta quarta-feira (15) ser preciso debater de maneira enfática durante a próxima campanha eleitoral e durante um eventual próximo governo petista a luta dos negros e das mulheres.

Ele disse ser “deprimente ver pessoas que podem imaginar que a luta antirracista pode ser adiada”. "Nós não vamos falar disso na campanha? Existe racismo nesse país. Não tem condição de não enfrentar. A violência contra a mulher, você não vai enfrentar? Vai dizer que não existe?".

Haddad negou a ideia de que tais lutas - a antirracista e pelos direitos das mulheres - sejam "pautas identitárias". Para ele, estes temas pertencem à "maioria". "As mulheres são 52% do Brasil, os negros são 54%. Não estamos falando de outra coisa, estamos falando da maioria da sociedade brasileira". 

OS POETAS CANCIONEIROS DE OROBÓ - RAMOS DA SAUDADE E MANUEL MARIANO ESTARÃO NA RÁDIO JORNAL AM DE LIMOEIRO, SÁBADO.

NO PRÓXIMO SÁBADO, DIA 18/09/21, NO PROGRAMA "ART NA JORNAL", DA RÁDIO JORNAL AM 660 DE LIMOEIRO - PE, A PARTIR DAS 10 HORAS DA MANHÃ, OS POETAS CANCIONEIROS; RAMOS DA SAUDADE E MANUEL MARIANO, DARÃO UM BELO SHOW DE CANÇÕES DE VIOLA E CONCEDERÃO ENTREVISTA AO JORNALISTA E APRESENTADOR ALFREDO NETO.  NÃO PERCA!!!

CORTES DO TIO REI: O JANTAR DA CONSPIRAÇÃO QUE NÃO HOUVE, DIZ O JORNALISTA REINALDO AZEVEDO

QUEBRA-PAU ENTRE O PASTOR MALAFAlA, B0LSONARO E O DEPUTADO FELICIANO FERVEU E QUASE EXPLODE!!

DEPUTADO ALEXANDRE FROTA (PSDB), EX- ALIADO DE BOLSONARO, PROPÕE CPI DA FACADA

NO DIA EM QUE FOI REVELADA CARTA DE LÉO PINHEIRO, O MINISTRO DO STF LEWANDOWSKI GARANTE NOVA VITÓRIA A LULA.

Um dia depois de a Justiça Federal de São Paulo determinar o arquivamento de inquérito sobre um suposto tráfico de influência em prol da empreiteira OAS, foi a vez do Supremo Tribunal Federal (STF) garantir uma nova vitória ao ex-presidente Lula. O ministro Ricardo Lewandowski determinou a suspensão de dois processos que a corte já havia determinado anulação.

A defesa de Lula, comandada Cristiano Zanin e Valeska Martins, pediu a suspensão de dois processo relativos ao Instituto Lula alegando que o Ministério Público Federal (MPF) tentou reaproveitar material que havia sido anulado pelo STF. O processo está entre os que foram impactados pelas decisões que reconheceram a suspeição do ex-juiz Sergio Moro e a incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba para processar o ex-presidente.

Lewandowski reconhece “dano irreparável” nas investigações conduzidas anteriormente e concedeu liminar em favor da suspensão. “Este quadro fático empresta plausibilidade ao direito invocado pelo reclamante, considerado o risco iminente de instauração de nova persecução penal, ou mesmo de imposição de medidas cautelares diversas, utilizando-se como fundamento os fatos aqui discutidos com ampla verticalidade, quais sejam, o amplo e irrestrito uso do Acordo de Leniência da Odebrecht e dos elementos de prova oriundos de tal pacto de cooperação”, afirma.

O plenário da corte ainda vai dar parecer sobre a anulação dos processos.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), celebrou a decisao. “Importante decisão do STF hoje, para evitar reabertura de ações contra Lula q já foram anuladas. Impressionante como lavajatistas tentam burlar a Justiça com acusações sem fundamento. Seguir a lei e respeitar o direito nunca foi o método deles”, tuitou.

A decisão saiu no mesmo dia em que veio à público carta em que o empreiteiro Léo Pinheiro admite que mentiu em delação para incriminar o presidente. A carta foi escrita em maio e foi incluída nos autos do processo que foi arquivado na segunda-feira (13) sobre suposto tráfico de influencia em favor da OAS. Confira aqui a íntegra da decisão de Lewandowski, obtida pelo blog Fausto Macedo, no Estadão Com informações do Estadão e do G1

LEIA CARTA DO EMPRESÁRIO LÉO PINHEIRO DA OAS, ESCRITA DO PRÓPRIO PUNHO

Informações da Revida Fórum

EM CARTA DE PRÓPRIO PUNHO, LÉO PINHEIRO DA OAS CONFESSA QUE MENTIU EM DELAÇÃO DA LAVA JATO PARA INCRIMINAR O EX-PRESIDENTE LULA.

Em carta de próprio punho escrita em maio deste ano, anexada ao processo um mês depois, o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, confessou que mentiu ao acusar Lula de corrupção e tráfico de influência junto ao governo da Costa Rica no processo que foi arquivado pela Justiça nesta segunda-feira (13).

“A empresa OAS não obteve nenhuma vantagem, pois inclusive não foi beneficiada por empréstimos do BCIE – Banco Centro Americano de Integração Econômica. Não sabendo informar se houve efetividade da solicitação do Presidente do BCIE, senhor Nick Rischbieth junto ao senhor Ex. Presidente Lula e demais autoridades citadas”, escreveu Pinheiro, desmentindo a acusação contra o ex-presidente. A informação foi divulgada por Bela Megale, no jornal O Globo.

No acordo de delação premiada junto à Lava Jato, o ex-executivo havia sido contratado pela OAS para realizar uma palestra na Costa Rica a fim de influenciar os dirigentes daquele país a fazer negócios com a construtora.

Pinheiro também narrou uma suposta reunião na suíte onde Lula estava hospedado e que contou com a presença e dele de outro executivo da OAS, o diretor Augusto Uzeda, que negou que tenha havido o encontro.

Na carta, Pinheiro disse que nunca autorizou ou teve conhecimento de pagamentos de propina às autoridades citadas no caso.

Vitória

MICHEL TEMER FAZ REVELAÇÃO BOMBÁSTICA!! O STF VAI PRENDER TODO MUNDO!! OS BOLSONARISTAS CHORAM EM DESESPERO!! VÍDEO

Programa Nacional de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual é aprovada no Senado e Marília Arraes comemora

Proposta foi iniciativa da deputada federal Marília Arraes

O Senado aprovou por unanimidade nesta terça-feira (14) o projeto de lei 4968/2019 de autoria da deputada federal Marília Arraes que cria o Programa Nacional de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual. 

O projeto foi relatado no Senado pela senadora Zenaide Maia (PROS-RN). Após a histórica aprovação, o PL aguarda pela sanção presidencial.

Com a aprovação, hoje, pelo Senado Federal, o Brasil passará a ter, pela primeira vez na história,  um programa destinado à proteção e promoção da saúde menstrual. 

Em 2019, a deputada pernambucana apresentou a primeira iniciativa de combate à pobreza menstrual na Câmara, com o foco na distribuição gratuita de absorventes para estudantes, em situação de vulnerabilidade, de escolas públicas de todo o país. Na sequência, outras dezenas de propostas foram sendo somadas ao longo dos meses. 

O PL aprovado nesta terça-feira irá beneficiar cerca de 5.6 milhões de mulheres em todo o País, entre estudantes de baixa renda matriculadas em escolas públicas; mulheres em situação de rua ou em situação de vulnerabilidade social extrema; presidiárias e apreendidas, recolhidas em unidades do sistema penal e pacientes internadas em unidades para cumprimento de medida socioeducativa. Na Câmara, quem relatou o substitutivo foi a deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO).

Autora do projeto que deu início à construção do Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual, Marília Arraes destaca a importância da aprovação da matéria. 

“O combate à pobreza menstrual é um compromisso que abracei há anos e ao qual tenho me dedicado desde o primeiro dia de trabalho na Câmara dos Deputados. Esse é o primeiro passo para que possamos efetivamente criar uma política nacional de superação da pobreza menstrual. A partir daí, poderemos atender a outros grupos de mulheres. Quando você não tem dinheiro nem mesmo para comprar comida, itens de higiene como absorventes se transformam em artigos de luxo. Imagine essa realidade no Brasil da pandemia, que tem 19 milhões de pessoas passando fome”, apontou a parlamentar. 

O Programa funcionará como estratégia para promoção da saúde e atenção à higiene, com os objetivos principais de  combater a precariedade menstrual, identificada como a falta de acesso ou a falta de recursos que possibilitem a aquisição de produtos de higiene e outros recursos necessários ao período da menstruação feminina; oferecer garantia de cuidados básicos de saúde e desenvolver meios para a inclusão das mulheres em ações e programas de proteção à saúde menstrual.

Precariedade 

PADRES DE OROBÓ CONVOCAM OS FILHOS DA IMACULADA CONCEIÇÃO PARA CONTRIBUIR COM A PINTURA DA MATRIZ

 por Edinho Soares 

Foto: EGM Stúdio-Orobó
A Igreja Matriz de Orobó passará por uma restauração, na qual será contemplada com pintura interna e externa. Para que isso se torne realidade é preciso que todos os filhos da Imaculada Conceição contribuam com a pintura.

A Casa da Mãe da Conceição de Orobó é uma edificação antiga e já apresenta alguns pontos críticos que necessitam de devidos reparos, como na torre dos sinos e laterais.

Os padres solicitam que a comunidade Paroquial colabore financeiramente para que se torne realidade à pintura, e assim, na festa da Padroeira, a casa mãe esteja belíssima!

Para fazer sua doação, coloque sua contribuição em um envelope, escreva nele "Para a pintura da Matriz" e coloque em alguma das urnas da Igreja, levar na secretaria paroquial ou até mesmo entregar aos padres.