JUSTIÇA REVOGA LIMINAR E TRANSFORMA JARBAS E RAUL HENRY EM DOIS PESOS MORTOS NO PALANQUE DE PAULO CÂMARA. COM DECISÃO, FBC ASSUME COMANDO DO MDB E SÓ NÃO SERÁ CANDIDATO SE NÃO QUISER

Um dia depois de ser ignorado pelo vice-governador Raul Henry, que chegou a chamá-lo de "agressor" para justificar o fato de não dirigir a palavra ao ainda companheiro de Partido, durante a posse do novo presidente do TCE/PE,  o senador Fernando Bezerra Coelho obteve significa vitória que lhe garante o comando do MDB no Estado e, consequentemente, transforma tanto Raul Henry, quanto Jarbas Vasconcelos em dois "pesos mortos" no palanque de Paulo Câmara.

Durante a cerimônia de posse do novo
presidente do TCE/PE, ocorrida no último
dia 10/01, apenas o presidente do TJPE,
Leopoldo Raposo separava os hoje 
desafetos Raul Henry e Fernando Bezerra
Coelho que não foi cumprimentado por
Henry que alegou não falar com 
"agressores". A declaração causou 
estranheza porque vinda de alguém que só
existe politicamente por ter vivido eternamente
à sombra e sob a proteção do maior
"agressor" que a política pernambucana
já conheceu, justamente o deputado federal
 e ex-governador Jarbas
Vasconcelos.
É que com a decisão do Juiz de Direito José Alberto de Barros Freitas Filho, dada ontem (11), revogando decisão anterior que impedia que a Executiva Nacional do PMDB, agora MDB, o comando do Partido de Michel Temer passa para as mãos de Fernando Bezerra Coelho e de seu grupo político, deixando Jarbas Vasconcelos e Raul Henry e seu grupo político a ver navios.

A partir da mudança estatutária decidida na Convenção Nacional de dezembro, que mudou o nome do PMDB para MDB e autorizou a Executiva Nacional a dissolver Diretórios Estaduais,  o Juiz José Alberto de Barros Freitas Filho decidiu revogar a liminar que impedia a dissolução e mantinha Raul Henry no comando do (P)MDB e o Partido na base do governo Paulo Camara.

A decisão do magistrado permitindo que o processo de dissolução seja executado pela Comissão Executiva Nacional sem que possa, entretanto, utilizar o “desrespeito a qualquer diretriz ou deliberação regularmente estabelecida pelos órgãos competentes” como causa, mas apenas "a justificativa de desempenho eleitoral", por si só já garante a Fernando Bezerra Coelho o comando do partido. É que Pernambuco em peso sabe que ninguém  do grupo jarbista tem densidade eleitoral, nem mesmo o próprio Jarbas que além de não ter conseguido eleger o próprio filho vereador do Recife - Jarbinhas hoje é cargo comissionado na Prefeitura de Geraldo Júlio -, para conseguir o próprio mandato precisou se aliar com o até então maior inimigo político que era Eduardo Campos, que precisou rifar candidaturas de antigos aliados para transferir bases eleitorais para a eleição de Jarbas, tudo isso em troca da única moeda que Jarbas e seu grupo tinham para oferecer: o enorme tempo de TV que o PMDB tinha e ainda tem para agregar ao candidato que apoiar.

Peso morto: Raul Henry, Paulo Câmara, Jarbas 
Vasconcelos e Geraldo Júlio foram derrotados
por Fernando Bezerra Coelho e não terão o
tempo de TV do PMDB para as eleições de 2018
Sem o (P)MDB e seu tempo de TV, Jarbas, Raul Henry, Jaime Asfora e o resto da patota jarbista, que deixaram de ser oposição ao PSB por puro oportunismo eleitoreiro para serem beneficiados pela estrutura do governismo não passam de peso morto que será carregado pesadamente em 2018. Sem nada a oferecer, os marxistas ainda  continuarão contemplados com cargos estratégicos na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e em SUAPE? Certamente esse questionamento já está sendo cogitado pelos demais Partidos da chamada Frente Popular.

Blog da Noélia Brito