Nova Pesquisa: Vox Populi mostra Lula com 42% vencendo no primeiro turno


Política

Corrida presidencial

CUT/Vox Populi: Lula tem 42%, Bolsonaro, 16%

por Sergio Lirio — publicado 17/11/2017 08h30, última modificação 16/11/2017 14h34
Na nova pesquisa, realizada no fim de outubro, o ex-presidente mantém a liderança folgada, enquanto o deputado firma-se no campo antipetista

inShare
Compartilhar 
CUT/Vox Populi: Lula tem 42%, Bolsonaro, 16%
Por enquanto, é Lula contra Bolsonaro

Apesar do recuo um pouco além da margem de erro de 2,2 pontos percentuais em relação à pesquisa de julho, o ex-presidente Lula continua a liderar com folga as intenções de votos para a presidência da República.

Segundo o levantamento CUT/Vox Populi, realizado entre 27 e 30 de outubro, o petista aparece com 42% das preferências em uma lista com dez presidenciáveis (havia alcançado 47% na enquete anterior). Em segundo lugar, em uma posição aparentemente consolidada, surge o deputado federal Jair Bolsonaro, cujo percentual variou de 13% para 16% entre julho e outubro. Os demais postulantes se engalfinham em um patamar abaixo de 8% de citações.

A pesquisa revela ainda que Lula tem atualmente a menor taxa de rejeição entre os nomes testados. São 39% aqueles que não votariam no ex-presidente. A repulsa a Bolsonaro chega a 60%. Os tucanos João Doria e Geraldo Alckmin têm os piores índices (72%, igualmente). O Sudeste é a região que mais rejeita o petista: 51% dos entrevistados se recusariam a votar nele se as eleições fossem hoje. No Nordeste, o percentual é de apenas 20%.

Diretor do instituto Vox Populi, Marcos Coimbra acredita que só uma nova rodada de pesquisa (a próxima está marcada para dezembro) irá permitir avaliar a tendência do eleitorado. O levantamento de julho, lembra o cientista político, foi realizado ainda sob o impacto da decisão do juiz Sergio Moro de condenar o ex-presidente a 9 anos e meio de cadeia pelo suposto recebimento de vantagens indevidas no apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo. Imóvel, ressalte-se, que nunca pertenceu ao petista. “Uma parte expressiva da sociedade considerou exagerada e persecutória a decisão do Moro e essa percepção pode, naquele momento, ter impulsionado o apoio a Lula”, avalia. http://www.plantaobrasil.net/news.asp?nID=99140&po=s

Lula ao ‘Nocaute’: MP invade minha casa e não encontra nada, mas não investiga a Globo?


lulamorais
Reproduzo o vídeo, ao final do post, e a transcrição da primeira parte da entrevista feita ontem com Lula  e veiculada hoje por Fernando Morais em seu blog Nocaute. Imperdível.
Fernando Morais: Boa tarde, presidente Lula. É uma alegria estar aqui com o senhor. O presidente Lula nos deu a honra de ser o primeiro entrevistado aqui do estúdio, o nosso modesto estúdio do Nocaute. Vamos conversar um pouco sobre ele e sobre o Brasil. Antes, porém, eu queria que ele fizesse a gentileza de grudar ali do lado do Cassius Clay a nossa plaquinha.
Lula: Está inaugurado. Um pouco torto, mas está inaugurado.
Fernando Morais: Presidente, primeiro eu queria começar com as coisas mais suaves: caravana. O senhor tinha feito antes uma caravana para o Nordeste, mais demorada, que eu não pude ir. Mas eu fui na segunda, a de Minas Gerais e eu fiquei muito bem impressionado. Eu queria saber a sua impressão. Qual é o saldo que fica para o senhor dessas duas caravanas, que vão continuar semana que vem.
Lula: Primeiro eu pensei que você ia começar no dia dezesseis de novembro me perguntando da vitória do Corinthians ontem. Porque ontem o Corinthians antecipadamente se tornou pela sétima vez consecutiva campeão brasileiro, que não é pouca coisa. E como no Brasil nós temos duas coisas: um partido político é o PT e o resto é antipetista. E no futebol você tem o time de futebol que é o Corinthians, o resto é anticorintiano. Então, eu só posso estar feliz porque eu trabalho com muito palmeirense.
Fernando Morais: Você assustou na hora que o Fluminense fez o gol?
Lula: Me assustei. Te confesso que me assustei. Pensei: não é possível que vai dar urucubaca. Mas depois a gente mostrou que a gente estava em primeiro lugar porque o time tinha estabilidade emocional, tinha autocontrole. Porque o nosso time não é dos melhores. O Corinthians já teve time melhor, mas na draga que está o futebol brasileiro, o Corinthians mereceu esse título. Vamos pensar agora no terceiro título mundial.
Fernando Morais: Beleza! Deus te ouça.
Lula: A caravana.
Fernando Morais: A caravana. Primeiro a do Nordeste.
Lula: Fernando, a caravana teve como objetivo. Eu tinha duas coisas na cabeça quando pensei a caravana. Primeiro, fazer um reencontro com o Brasil. O Brasil é muito grande, muito heterogêneo, é uma diversidade cultural, econômica e social muito grande. E eu tinha noção do que nós tínhamos feito no período que governamos o Brasil e queria ver, nesse momento de desmonte do Brasil, o que estava acontecendo com os setores da sociedade que tinham sido os setores mais beneficiados com os programas de inclusão social.
Então, resolvi fazer esse reencontro com o Brasil e uma tentativa de fazer com que o PT recuperasse a sua imagem diante da sociedade brasileira, porque os meninos do Ministério Público resolveram criar a ideia de criminalizar o PT. A ponto de tentarem dizer que o PT é uma organização criminosa. Era preciso recuperar a moral da tropa, recuperar o PT, fazer o PT ir pra rua. E mostrar para o PT que ninguém vai defender o PT, a não ser o próprio PT. Ou seja, ou o PT se conscientiza que a acusação que se faz ao PT na perspectiva de criminalizá-lo e tirá-lo da legalidade política, como já fizeram com o Partido Comunista no auge do PC no Brasil, inventaram essa mentira do Power Point para tentar no fundo acabar com essa coisa que começou a ser conhecida pela sociedade que são as políticas de inclusão social. Fazer com que as pessoas possam subir um degrau na escala social. Que as pessoas possam comer melhor, trabalhar melhor, ganhar melhor. Sabe? Que as pessoas possam conquistar a cidadania. Então, era esse o objetivo. E o sucesso foi extraordinário.
A do Nordeste, eu sou suspeito porque eu sou nordestino, então o pessoal fala que eu gosto muito do nordeste e o nordeste gosta muito de mim. Eu tenho orgulho de ser nordestino e tentei fazer para o Nordeste, não uma política de privilégio, tentei fazer com que aquela distorção que vinha existindo desde que D. João VI chegou ao Brasil e foi para o Rio de Janeiro. Porque até então, Pernambuco era o estado rico do Brasil e começou a fazer com que os investimentos saíssem do Nordeste e viessem para o Sul e para o Sudeste. Nós queríamos fazer que o Nordeste tivesse um pouco mais de ajuda do estado brasileiro para que o Brasil se tornasse mais igual, mais equânime. Para que o desenvolvimento ficasse espraiado por todo o território nacional e não apenas no eixo Rio-São Paulo-Minas Gerais. E isto eu fiz com muito gosto. Tanto no campo da saúde, da educação, da ciência e tecnologia e no campo da geração de oportunidade. Então, foi extraordinária essa caravana. Eu acho que o resultado foi extraordinário.
Aí eu queria fazer uma no Sudeste. Eu resolvi fazer numa região que eu tenho verdadeira paixão que é aquela parte mais empobrecida da região, não que seja pobre, mas um pouco mais empobrecida de Minas Gerais que é o Vale do Jequitinhonha. Eu tenho uma admiração pela capacidade cultural daquele povo. Mesmo vivendo em adversidade social é um povo muito criativo. Resolvi estar perto e para mim foi uma surpresa agradável, foi uma emoção o companheirismo, a presença das pessoas. Terminei Minas Gerais, eu agora vou fazer uma outra pelo Espírito Santo e pelo Rio de Janeiro e deixar para depois do carnaval fazer os estados do Sudeste e do Sul, começar pelos estados do Sul. E depois fazer a caravana do Norte, a caravana do centro-oeste. Aí eu termino e vamos ver o que vai acontecer no Brasil.
Fernando Morais: Dez entre dez brasileiros gostariam de saber o que é que o senhor acha que vai acontecer em 2018 no Brasil.
Lula: Primeiro um desejo pessoal: eu espero que o povo brasileiro esteja melhor, que tenha diminuído o número de pobres e aumentado o número de emprego, que as pessoas estejam comendo melhor, morando melhor e tendo mais expectativa de vida. E que a gente tenha eleições livres e democráticas. O que eu espero é que o jogo democrático no país que foi truncado durante tanto tempo na história do Brasil da forma mais vergonhosa possível, com uma mentira inventada de uma pedalada, desrespeitando 54 milhões de seres humanos que foram votar na Dilma. Fora aqueles que foram votar no Aécio e que, portanto, queriam democracia. Desrespeitaram mais de 100 milhões de votos para fazer com que uma pessoa que tenha assumido o cargo de deputado, sub judice, porque nem isso ele tinha eleito, assumisse a Presidência da República, para prestar serviço ao mercado e tentar desmontar toda a estrutura de desenvolvimento que o Brasil conseguiu construir ao longo de tantos anos. Espero que a gente chegue nas eleições, não importa quantos candidatos tenha, o importante é que as eleições sejam democráticas e que vença o que tiver mais votos e que respeitem o resultado das eleições como eu respeitei em 89, 94 e 98.
Então eu acho que eleição é feita para isso. Você fala a verdade, você conta mentira, faz o que você quiser, mas o importante é que tem o dia D que é o dia de abrir as urnas. Ali tem o resultado, o resultado tem que ser acatado e governo quem ganhou as eleições. Isso é consolidar a democracia no Brasil.
Fernando Morais: O senhor tem expectativa de que vão permitir que o senhor disputa as eleições?
Lula: Eu nem discuto isso. Porque se eu ficar discutindo: será que eles vão deixar, será que eu posso? Aí eu estou fazendo o jogo deles. Eu sei o que eles querem e eu sei o que eu quero. Eles não querem que eu seja candidato. Então, não tem nada melhor do que perguntar para o povo. O povo pode me condenar, ou o povo pode me eleger de novo presidente da República desse país. Eu só quero livremente provar a minha inocência, aliás eu já provei a minha inocência em cada processo. Eles que têm que encontrar provas de que eu sou culpado. E tentar tocar a vida e cuidar desse povo. Porque esse povo está precisando de cuidado. Esse povo não está precisando ser governado, esse povo está precisando de cuidado. E cuidado significa você cuidar da saúde, da educação, da segurança, da creche, universidade. Significa você cuidar do investimento em Ciência e Tecnologia, cuidar do emprego, cuidar das pessoas que ganham menos. Significa você respeitar o exercício da democracia e ao invés de tomar decisões palacianas com meio dúzia de pessoas. Voltar a fazer as conferências nacionais que eu fazia, voltar a fazer as políticas públicas que a sociedade quer que sejam implantadas. Fazer com que o Brasil seja respeitado na África, na Ásia, nos Estados Unidos. Porque respeito é bom. Eu gosto de receber e gosto de dar também. É isso que eu quero que aconteça no Brasil. E é por isso que eu tenho a firme convicção e muita vontade de concorrer nas eleições na expectativa de que o que nós fizemos é o passaporte para que esse povo nos dê mais uma autorização de uma viagem de 4 anos governando esse país. 
Fernando Morais: Agora presidente, a perspectiva, a possibilidade de que a Justiça impeça o senhor de ser candidato já está permitindo muita gente, sorrateiramente, de querer tomar o seu legado de voto, de apoio popular. Como que o senhor vê essa mobilização? Porque a esquerda vai ter que ter candidato. Se não for o senhor, o que vai acontecer?
Lula: O povo não pode ser visto, tratado e pensado como gado, rebanho, que alguém é dono, que pode dizer “Vai pra lá, vai pra cá”. Não. Obviamente que, se eu puder ter influência num eleitor para votar em mim, eu vou ter. Se eu não for ser candidato, eu faria o que eu fiz a vida inteira: ser cabo eleitoral daquela pessoa que eu achar mais justo para concorrer. Eu trabalho com a seguinte ideia. Primeiro eu trabalho com a convicção e a certeza de que eu vou ser candidato à presidência da República. Se eu for candidato, eu tenho muita, mas muita certeza que as possibilidades de ganhar são enormes e eu confio muito que o povo vai compreender o que nós fizemos nesse país e o que ele pode esperar, porque vamos dizer às claras o que nós queremos fazer no Brasil. E esse país tem que voltar a crescer, o povo tem que voltar a ser feliz, o povo tem que acreditar no futuro, o povo tem que ter esperança. E o povo brasileiro sabe de uma coisa.
Se tem uma coisa que eu aprendi a fazer com o próprio povo foi a cuidar dele com carinho, a saber quem mais precisa, saber para quem o Estado tem que governar. Obviamente o Estado tem que ser de todos. Mas dentre esse “todos” você tem aqueles que precisam mais do que o outro. Você vai dar água para quem tem sede. Quem tem fartura de água vai ter que emprestar um pouco para quem tem sede. Você vai dar mais comida para quem tem fome. Quem tem muita comida vai ter que dar um pouco. É assim que a gente vai construir um mundo mais solidário, uma sociedade mais humanista. Um povo com uma concepção de solidariedade maior. Eu sonho.
Agora, o que está acontecendo? Eu acho que quem está numa encalacrado não sou eu. Eu acho que há uma perspectiva e uma tentativa de julgar os 12 anos do PT no governo. E para fazer esse julgamento eles construíram uma mentira monstruosa. Construíram uma mentira, criando a ideia e apresentando em rede nacional de que o PT era uma organização criminosa, de que o PT nasceu para ser uma quadrilha, que o PT pensou em ganhar para poder roubar. E que quando eu ganhei, montei para roubar.
Eles querem julgar porque eu indiquei, porque eu não escolhi você para ser secretário de comunicação, porque eu escolhi o Franklin Martins, porque que eu indiquei não sei quem. Como se alguma pessoa soubesse anteriormente que um cidadão vai roubar. Ninguém tem escrito na testa que é ladrão. Às vezes as pessoas mesmo sendo ladras elas parecem as mais honestas do planeta.
Eu estou sendo acusado de uma série de bobagens. Eu fico até irritado com os depoimentos porque são de uma cretinice sem tamanho. E como esse processo, tem coisas sérias nele. É importante aproveitar o Nocaute para dizer que eu não sou contra a Lava Jato, de combate à corrupção. Tem coisa muito importante. O povo brasileiro fica feliz de saber que rico está indo para a cadeia, de saber que, se o político roubou, vai para a cadeia. Porque antes só ia para a cadeia o cara que roubava um Melhoral na farmácia, o cara que roubava um pão, uma galinha. Esse coitado vai preso e passa 3 anos na cadeia e tem que ter um advogado que faça assistência pra ele. Então isso é importante. Mas é importante separar o joio do trigo. Todo processo, para rico e para pobre, ele tem que ter um determinado critério. As pessoas têm que ter direito à defesa. As pessoas não podem ser acusadas e condenadas pelos meios de comunicação. Porque no caso do PT, eu já apresentei todas as minhas defesas, todas as provas da minha inocência e eles até agora não apresentaram uma única prova de culpa.
Aliás, o promotor que é o chefe do PowerPoint nunca apareceu em nenhuma audiência. As audiências não são levadas em conta. Só para você ter ideia, essa audiência agora, no caso da Zelotes que fala dos caças, nada menos do que Dilma Rousseff foi testemunha, Nelson Jobim, que foi ministro da Defesa, companheiro Celso Amorim, foi ministro da Defesa também, o brigadeiro Saito e os militares responsáveis pela escolha técnica. Então eu não sei em que momento de loucura alguém imaginou: “Bom, o Lula teve influência na escolha dos caças”. E por aí vai.
Eu fui prestar depoimento sobre o estádio do Corinthians. Eles não leem jornal e só aqueles que eles querem ler, e não sabem que eu defendia que a Copa do Mundo fosse realizada no Morumbi. Que eu levei no Morumbi o Serra, o Kassab, o Alckmin, a Confederação Brasileira, que era para todo mundo ver: temos um estádio pronto, vamos fazer.
Eu defendia que São Paulo, como era o estado mais importante da federação, o mais rico, o que tem o melhor futebol, não poderia ficar de fora da abertura da Copa do Mundo. Era até uma coisa engraçada porque o Sergio Cabral falava: “Eu quero que o encerramento da Copa do Mundo seja no Rio de Janeiro”. E eu falava: “Sergio, o encerramento você não sabe se o Brasil vai estar. Na abertura você sabe, então é melhor você querer fazer a abertura no Maracanã”. O que aconteceu é que o Brasil nem jogou no Maracanã.
Essa acusação de corrupção
praticada pela Globo, eu nem sei se é verdade.
Mas alguém tem que investigar.

Então é por isso que eu tenho consciência de que eu vou ser candidato. Eu acho que em algum momento as coisas vão clarear. Acho que em algum momento as pessoas vão perceber alguma coisa errada nessa coisa contra o PT. E eu digo para todo mundo: se no PT tiver alguém culpado, se no PT tiver alguém que roubou, essa pessoa tem que pagar. Mas essa pessoa tem que ter um julgamento certo. Isso vale para mim, para você, para qualquer um. Ninguém está acima da lei. Eu quero que todo mundo seja tratado em igualdade de condições, sem mentira.
Eu não quero falar mal de ninguém aqui, acho que todo mundo é inocente até que prove o contrário. Mas eu não sei se o Jornal Nacional vai dar o mesmo destaque que deu a mim durante 30 horas, desde que começou a operação Lava Jato, à acusação desse empresário argentino que diz da corrupção praticada pela Globo. Eu nem sei se é verdade. Eu defendo que a Globo tenha direito de defesa, que seja apurado corretamente, e ela será inocente até que prove o contrário. Mas alguém tem que investigar. O que eu acho estranho é que o Ministério Público até agora, o mesmo MP que invadiu o Instituto Lula, que invadiu a minha vida, até agora não falou nem fez nada. Espero que faça para a gente descobrir se é verdade que teve influência de um canal de televisão que deteve o monopólio seja na Copa das Confederações, seja na Copa do Mundo, seja no Sul-Americano, seja na Copa Brasil. O que é importante é que o futebol é uma paixão nacional e eu acho que está na hora dos jogos serem transmitidos ao vivo em todos os canais para todo mundo que possa ver e não só para quem possa pagar uma TV a cabo.
Sinceramente, eu poderia estar mais nervoso, mas estou tranquilo. Estou tranquilo porque tenho consciência do que eles querem, do que eu fiz, do que eu posso fazer por esse país, e quero jogar. E, com todo respeito aos demais candidatos, não sou contra ninguém que seja de direta, de centro, extrema direita, extrema esquerda, tem espaço para todo mundo, e o povo será o nosso juiz.  POR FERNANDO BRITO 

NINGUÉM LIGA PARA FHC, DIZ PESQUISA

Resultado de imagem para FHC E AECIOCom o PSDB cada vez mais desgastado pelo contínuo envolvimento de membros da cúpula da legenda em delações da Lava Jato e pelo apoio dado ao golpe que alçou Michel Temer ao poder, o eleitorado brasileiro quer distância de uma das principais lideranças tucanas: o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso; levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas aponta que 70% dos brasileiros não dá valor algum às opiniões de FHC a respeito das crises política e econômica; outros 40% relataram que podem até deixar de votar em alguém apoiado pelo tucano; posições de FHC só repercutem dentro do próprio PSDB e junto a grande mídia. Continue...

Em entrevistas na Alemanha, Dilma denuncia o terceiro ato do golpe


A presidente Dilma Rousseff em viagem pela Alemanha deu entrevista Deutsche Welle, na qual ela disse perdoar quem bateu panela, e em outras entrevistas em outros principais jornais do país denunciou o golpe que sofreu e denunciou o que esta por vir

No semanal Die Zeit, de Hamburgo, o título entre aspas foi "O golpe de Estado ainda não terminou".

No diário "Frankfurter Allgemeine Zeitung", reproduzido acima, "Este é o terceiro ato do golpe", sobre a eventual proibição da candidatura de Lula.

Sua viagem foi acompanhada de outras reportagens sobre o Brasil, por exemplo, cobrindo a crítica de uma ex-ministra alemã à politização da Justiça. http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

MPF quer bloquear dinheiro que Lula não tem


Nesta quinta-feira (16/11), outra jogada publicitária da Lava Jato contra Lula. O procurador Hebert Reis Mesquita, do MPF (Ministério Público Federal), pediu o bloqueio de R$ 21,4 milhões em bens e valores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de outros R$ 2,5 milhões de seu filho Luis Claudio Lula da Silva, totalizando 23,9 milhões.
Em julho, Moro, após condenar Lula a 9 anos de prisão, queria arrancar dele 10 milhões de reais. Uma ninharia para aquele que a Lava Jato diz ser um bandidão. Porém, só encontraram 600 mil nas contas de um ex-presidente.
Desta vez, o espetáculo encenado pelo MPF foi maior: quer 24 milhões de Lula. Porém, a declaração de renda do ex-presidente e os ativos de que ele dispõe não chegam nem perto dos 34 milhões de reais que o Partido da Justiça quer do ex-presidente.
À época da condenação (sem provas) de Lula por Sergio Moro, no meio do ano, após pedir para sequestrar 10 milhões de reais do ex-presidente, o super-herói dos fascistas de Curitiba só encontrou 600 mil.
Constrangido, Moro mandou bloquear a previdência privada dos ex-funcionários e do ex-presidente.

NASSIF: A DRA DODGE VAI PEITAR A GLOBO? Ou a Globo não vem ao caso?


bessinha (4).jpg

Conversa Afiada reproduz trecho de xadrez do Nassif:
Dia desses saiu a notícia, sem muito alarde, de que o ex-procurador Marcelo Miller vibrou quando a Lava Jato chegou em Aécio Neves. Miller não era um petista, longe disso; nem um anti-aecista. Mas estava nítido, para parte relevante da corporação, que a blindagem de Aécio tornava o MPF uma instituição de segunda categoria, porque restrita a um espaço delimitado.
Pelas redes sociais foi visível o alívio de procuradores, tirando de si (na opinião deles) a carga de terem espaço para agir apenas contra o PT.
Agora, se chegou à hora da verdade em relação à Globo.
As evidências de crime são enormes, e não apenas na confissão do lobista Alejandro Burzaco, à corte de Nova York. Há os inquéritos na Espanha, batendo direto na Copa Brasil. Há as investigações na Suíça.
E há uma nova Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, no maior desafio que um PGR enfrentou, provavelmente desde a Constituição: provar que o MPF é um poder de Estado de fato, e que não existem intocáveis na República.
São tão abundantes as informações que jorram do exterior, que não será possível esconder o fato debaixo do tapete, como foi feito em outros tempos com tantos inquéritos.
Do desafio de investigar a Globo se saberá se o MPF se assumirá como poder de Estado, ou se continuará atrelado a uma organização criminosa.
​(...)

O MARCELO É O PONTO FRACO DA GLOBO. Vive como se fosse numa prisão domiciliar...


Sem Título-4.jpg

Marcelo e Del Nero - os fracos e os fortes que nocautearão a Globo (Reprodução/Máquina do Esporte)
De um amigo navegante que conhece as entranhas da Globo Overseas:
O alvo vai ser o Marcelo Campos Pinto.
Ele é o elo fraco da cadeia Globo.
Por isso, a Globo vai tentar enforcá-lo para salvar o pescoço.
Aposentado compulsoriamente, desde que a Globo o demitiu quando estourou o escândalo da FIFA, ele vive em casa, trancado.
Assumiu funções na CBF, ajuda o Del Nero e se dedica, quando pode, a trabalhar contra a Globo.
Ele tentou vender os direitos dos jogos da seleção para fora da Globo, mas não conseguiu.
Parece que a Globo foi mais convincente e o Del Nero sucumbiu aos argumentos globais.
É o que você diz naquela matéria "a Globo inventou o mercado futuro da propina".
O Marcelo vive como numa prisão domiciliar em São Conrado por decisão e/ou acordo com a Globo…
(Quem também vive em São Conrado, como numa "domiciliar", é o Ricardo Teixeira, aquele a quem você sugeriu "fala, Teixeira, fala".)
Entre fortes e fracos, a Globo nunca se viu tão perto sofrer um nocaute. https://www.conversaafiada.com.br/pig/o-marcelo-e-o-ponto-fraco-da-globo

Globo tinha contrato com delator que a acusa de pagar 50 milhões em propinas


A Globo comprava os direitos de transmissão da Libertadores da empresa Torneos Y Competencias, que era controlada pelo executivo Alejandro Burzaco, que acusou a emissora de pagar propina a cartolas sul-americanos. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 15, pelo jornalista Rodrigo Mattos, do UOL. 

Segundo Mattos, a Torneos, empresa de Burzaco, era dona de parte da empresa T & T Sports Marketing BV, com sede na Holanda. Essa empresa adquiriu todos os direitos da Libertadores. Documentos obtidos no caso ’’Panama Papers’’ mostram que a Globo e a T & T mantinham relação contratual por 11 anos, de 2005 a 2016 quando foi rompido elo pelo escândalo na Conmebol.

Em média, a emissora pagou US$ 16 milhões por ano pela Libertadores. Segundo o jornalista, a emissora brasileira pagava um valor abaixo do padrão do mercado brasileiro pela competição.

Ainda de acordo com o jornalista Rodrigo Mattos, o último contrato entre as partes gerou uma disputa judicial no Brasil. Pelo acordo, a emissora só pagava o valor de US$ 10,8 milhões anuais entre 2015 e 2018 por toda a Libertadores. Era metade do montante dado pela Globo pelo Campeonato Paulista neste período.

Quando estourou o escândalo na Conmebol, a Globo foi à Justiça para tentar manter seu contrato com a T & T como válido, apesar de a empresa já figurar como envolvida em corrupção. Ao final, a Conmebol reformou os contratos da Libertadores e a Globo fechou novo acordo diretamente com a Fox. A disputa judicial foi extinta. Não se sabe o valor atual pago pela emissora pela competição sul-americana.

Veja cópia do contrato entre a Globo e a T & T:

PT DENUNCIA CRIME DA GLOBO À DRA DODGE! A Globo é a dona da bola do MPF?


Sem Título-5.jpg
Ele vai bater palmas se o Galvão sair do ar? (Reprodução)
Da Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores:

O Partido dos Trabalhadores decidiu apresentar à Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, Representação Criminal para que seja apurada oficialmente a notícia de que a Rede Globo praticou crimes em série, valendo-se de empresas e bancos em paraísos fiscais, para obter vantagens ilícitas na compra de direitos de transmissão de torneios internacionais de futebol.
A representação tem base nos depoimentos do empresário argentino Alejandro Burzaco à corte de Nova Iorque. O delator coloca a Rede Globo no centro do escândalo da FIFA mencionando pagamento de propinas de US$ 15 milhões a dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol, da Conmebol e da Fifa.

GLOBO DEU PROCURAÇÃO A DIRETOR ACUSADO DE PAGAR PROPINA NO FUTEBOL


247 - Marcelo Campos Pinto, responsável pela aquisição dos eventos esportivos da Rede Globo nas últimas décadas, tinha procuração para negociar os contratos no Brasil e no exterior em nome da família Marinho, dona da emissora.
O documento, obtido pelo Jornal da Record, é datado de 12 de março de 2013. No mesmo mês da procuração, a Rede Globo, a Televisa e a Torneos concordaram em pagar US$ 15 milhões de propina para garantir os direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030, segundo o ex-presidente da empresa Torneos Y Competencias, Alejandro Burzaco.
A revelação foi feita nesta quarta-feira (15) na audiência de julgamento do ex-presidente da CBF José Maria Marin, em Nova York.
A operação do FBI para investigar a FIFA, deflagrada em maio de 2015, tirou o executivo das sombras e colocou os negócios dele no foco do FBI. A procuração, para tratar exclusivamente da negociação dos direitos de transmissão dos torneios da entidade máxima do futebol, demonstra o poder e a autonomia de que gozava Campos Pinto, então diretor de esportes da Globo.

Lula saúda Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não pôde comparecer, mas enviou uma mensagem para a abertura da Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo, que ocorre em Montevidéu, no Uruguai, até o próximo sábado (18). O evento reúne partidos e movimentos sociais de toda a América Latina.
Assista a mensagem do ex-presidente:

TACLA DURAN DIZ QUE VAI DESMASCARAR COM DOCUMENTOS INDÚSTRIA DE DELAÇÕES DA LAVA JATO

Paulo Pimenta
Joaquim de Carvalho, do Diário do Centro do Mundo - Em uma nova matéria sobre a industria de delações premiadas da Lava jato, produzida conjuntamente pelo Diário do Centro do Mundo e o Jornal GGN, o advogado Rodrigo Tacla Durán falou com exclusividade ao jornalista Joaquim de Carvalho em Madri, onde ele mora desde o ano passado.
O advogado, que já trabalhou para as empreiteiras UTC e Odebrecht e teve a prisão preventiva decretada quatro vezes pelo juiz federal Sergio Moro, que, no entanto, não conseguiu sua detenção, uma vez que ajustiça espanhola não autorizou sua extradição.
Durán vem denunciando irregularidades e fraudes nps acordos de delação premiada e a tentativa de um advogado amigo do juiz Sergio Moro de lhe vender facilidades para se tornar colaborador.
O advogado diz que mostrará à CPI da JBS todos os documentos, incluindo cópias de conversas em aplicativos que diz possuir e que comprovariam suas denúncias. Seu depoimento está marcado para o próximo dia 30.
"No dia 30 vou poder esclarecer ao Brasil o que já esclareci para diversos países. Vou continuar colaborando de forma plena e eficaz", afirma. "Nenhum crime é perfeito. Vocês vão ver dia 30", ressalta.

Pedido de bloqueio de bens de Lula feito pelo MPF deve ser indeferido



Nota à imprensa

A respeito do pedido de bloqueio de bens do MPF/DF, a defesa do ex-presidente Lula esclarece que:
“Não tem qualquer base jurídica e materialidade o pedido de bloqueio de bens formulado pelo Ministério Público Federal contra o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu filho Luis Claudio Lula da Silva nos autos do Processo nº 0076573-40.2016.4.01.3400, em trâmite perante a 10ª. Vara Federal de Brasília. 
O pedido foi apresentado em 27/09/2017, quando já tinham sido ouvidas as testemunhas selecionadas pela acusação (22/06) e parte das testemunhas selecionadas pela defesa (18/07, 1º/08, 10/08; 17/08 e 23/08). Como não poderia deixar de ser, nenhum dos depoimentos coletados ao longo das audiências confirmou as descabidas hipóteses acusatórias descritas na denúncia e por isso sequer foram referidos no requerimento. 
Não há no pedido apresentado pelo MPF indicação de provas a respeito das afirmações ali contidas, que partem de certezas delirantes sobre a “influência” de Lula na compra de caças pelo País e na ausência de veto em relação a um dos artigos de uma medida provisória (MP 627/2013).

VALE A PENA VER DE NOVO!

O patrimônio de Lula não é de 24 milhões de reais

Leia a nota da assessoria de imprensa do ex-presidente Lula

Nota à imprensa

Sobre o pedido de bloqueio de bens do ex-presidente Lula pelo Ministério Público Federal de Brasília, é importante informar que sequer a denúncia do Ministério Público acusa o ex-presidente Lula de ter recebido qualquer valor ilegal. Nenhuma testemunha confirmou a tese da acusação de que ele teria influenciado na compra dos caças suecos e o patrimônio de Lula não é de 24 milhões de reais. Todo o patrimônio de Lula tem origem legal, registrada e rastreada e já se encontra bloqueado por decisão do juiz Sérgio Moro.


Assessoria de Imprensa do ex-presidente Lula

FHC: "Um dos candidatos propôs me matar quando eu estava na Presidência"

"Você só vai mudar, infelizmente, quando nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. Matando 30 mil, e começando por Fernando Henrique Cardoso", declarou.
"Um dos candidatos propôs me matar quando eu estava na Presidência"
Ex-presidente não cita nome de presidenciável durante palestra em universidade americana, mas faz referência a uma declaração antiga do parlamentar e afirma que 'há pessoas da direita que são pessoas perigosas'
O Estado de S.Paulo – Cláudia Trevisan
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta quinta-feira, 16, que não pode descartar a possibilidade de o Brasil repetir a experiência italiana depois da Operação Mãos Limpas e eleger um presidente de direita similar a Silvio Berlusconi na esteira da Lava Jato. Embora não tenha citado nomes, ele deixou claro que considera o deputado e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) a principal ameaça nas eleições do próximo ano.
"Eu não quero entrar em detalhes, mas há pessoas da direita que são pessoas perigosas", disse FHC em evento na Universidade Brown, nos EUA. "Um dos candidatos propôs me matar quando eu estava na Presidência. Na época, eu não prestei atenção. Mas hoje eu tenho medo, porque agora ele tem poder, ainda não, ele tem a possibilidade do poder."
Em entrevista à TV Bandeirantes em 1999, Bolsonaro afirmou que seria impossível realizar mudanças no Brasil por meio do voto. "Você só vai mudar, infelizmente, quando nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. E fazendo um trabalho que o regime militar não fez. Matando 30 mil, e começando por FHC", declarou.
Segundo o ex-presidente, há um "debate sério" no Brasil sobre o assunto, inclusive entre os juízes responsáveis pela Lava Jato. "Eles estão comparando, eles sabem o que aconteceu na Itália, todo mundo sabe das consequências em termos de Berlusconi. Se você olha a situação atual do Brasil, eu não posso dizer que isso não é possível.". Por Magno

JESSÉ SOUZA ANTEVIU A DERROCADA DA REDE GLOBO


247 - A Rede Globo conseguiu derrubar Dilma Rousseff, mas o clã Marinho não logrou o que mais desejava. A empresa deles não vai ficar imune ao escândalo de corrupção internacional que eles mesmos patrocinaram, escreve Fábio Ribeiro no Jornal GGN.
Para Ribeiro, "quem apoiar ou se apoiar na TV do clã Marinho será automaticamente associado à corrupção da FIFA e isto certamente aumentará o poder de foto dos adversários da onda neoliberal imposta ao país pelo golpe político/jurídico/midiático de 2016". Outra consequência da visibilidade da corrupção da Rede Globo será o interesse maior despertado pela obra de Jesse Souza. No livro A Elite do Atraso o estudioso foi profético:
“Como a condução do processo golpista é, em grande parte, externa, existe, inclusive, a bem fundada suspeita de alguns de nossos melhores jornalistas investigativos de que a Globo já esteja em mãos do serviço de espionagem americano que tudo sabe, posto que espiona, controla e tem acesso a toda a informação trocada de modo digital no planeta. Tendo a Globo sido a emissora eleita parceira da CBF e da FIFA durante décadas, resta ao cidadão, ainda não feito de completo imbecil, imaginar o que a CIA e a NSA têm na manga potencialmente contra a Globo, depois da devassa que realizaram nos negócios escusos da entidade maior do futebol mundial.” (A Elite do Atraso, editora  Casa da Palavra, Rio de Janeiro, 2017, p. 227)

RESPOSTA A TEMER: “AUTORITÁRIO É VOCÊ, CARA PÁLIDA!”


Ricardo Stuckert | Divulgação

Michel Temer já disse que não ligava para a própria impopularidade. Ontem, fez uma afirmação inaceitável:
– Se não prestigiarmos certos princípios constitucionais, nossa tendência é caminhar para o autoritarismo. Nós brasileiros temos tendência para a centralização -, disse ele, na quarta-feira, 15 de novembro, ano 128 da República.
Alvo de uma rejeição popular que é recorde histórico, Temer esconde atrás de um sujeito coletivo ("nós, brasileiros") as próprias responsabilidades pela tragédia na qual mergulhou o Brasil e os brasileiros. Hanna Arendt, uma das mestres do pensamento político moderno, produziu uma distinção básica para o debate, separando governantes que exercem a autoridade permitida pelo cargo. E aqueles que ultrapassam os limites autorizados por sua legitimidade. Alguma dúvida sobre o caso Temer?
Para começar, não custa lembrar que foram Temer, Eduardo Cunha & Cia que não "prestigiaram certos princípios constitucionais", encaminhando um golpe de Estado contra uma presidente eleita, sem que se apontasse um crime de responsabilidade.
A seguir Temer traiu o programa de governo que garantiu os votos da chapa na qual era vice. Aprovou uma sucessão de reformas contrarias ao interesse do país e especialmente covardes, fosse para derrubar direitos dos trabalhadores,  fosse para entregar o pré-sal. Hoje só se mantém no cargo pela clássica barganha de verbas + empregos por votos no Congresso -- o que não deixa de ser uma forma autoritária, ilegítima, de preservação do próprio poder. Em outubro, fingiu que não ouviu a escabrosa palestra do general Mourão numa reunião da maçonaria, na qual informou aos interessados que uma intervenção militar estava a caminho, calculada como se fosse uma taboa de logaritmos.
O ponto é que, apesar do esforço incansável de Temer para desmoralizar as instituições democráticas, o brasileiro permanece firme em suas convicções históricas. Nada menos que 83% querem eleições diretas para tirar o país da crise, informa a pesquisa mais recente do DataFolha, de junho. Entre eles, 37% pretendem votar em Lula.

NÃO PERCA!



Gilmar defende devolução de delação de marqueteiro

REUTERS/Roberto Jayme:

Ministro do STF Gilmar Mendes disse que a devolução da delação premiada do marqueteiro Renato Pereira à PGR não vai de encontro ao entendimento firmado pela Corte referente ao assunto em junho deste ao; nesta terça-feira (14), o ministro Ricardo Lewandowski devolveu à PGR com um pedido de readequação o acordo de colaboração firmado com Renato Pereira; a delação, o marqueteiro citou fatos que envolvem a alta cúpula do PMDB do Rio, incluindo o governador Luiz Fernando Pezão, o ex-governador Sérgio Cabral e o ex-prefeito Eduardo Paes; "O que o ministro Lewandowski chama atenção é de que tem de seguir a lei. Este é o roteiro. O roteiro é o que está na lei", disse Gilmar. BR 247

LULA DIZ NÃO TER R$ 24 MI E AFIRMA QUE O QUE TEM ESTÁ BLOQUEADO POR MORO

Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

247 - Em nota, a assessoria de imprensa do ex-presidente Lula comentou o pedido da Procuradoria de Brasília à Justiça Federal de bloqueio de bens e valores no valor de R$ 24 milhões dele e de seu filho caçula, Luís Claudio.
Segundo a assessoria, Lula nem tem o valor que foi pedido o bloqueio, uma vez que seu patrimônio não é de R$ 24 milhões, e o restante está bloqueado pelo juiz Sergio Moro, por conta dos processos da Lava Jato.
A nota lembra ainda que Lula não é acusado pelo Ministério Público, na Operação Zelotes - que baseou o pedido do bloqueio nesta quinta-feira 16 - "de ter recebido qualquer valor ilegal". Leia a íntegra:
Nota à imprensa
Sobre o pedido de bloqueio de bens do ex-presidente Lula pelo Ministério Público Federal de Brasília, é importante informar que sequer a denúncia do Ministério Público acusa o ex-presidente Lula de ter recebido qualquer valor ilegal. Nenhuma testemunha confirmou a tese da acusação de que ele teria influenciado na compra dos caças suecos e o patrimônio de Lula não é de 24 milhões de reais. Todo o patrimônio de Lula tem origem legal, registrada e rastreada e já se encontra bloqueado por decisão do juiz Sérgio Moro. Assessoria de Imprensa do ex-presidente Lula

CASO GLOBO DESAFIA O MP A PROVAR QUE TRABALHA PARA O ESTADO, E NÃO PARA OS MARINHO, DIZ NASSIF


Coppe/UFRJ | REUTERS/Ueslei Marcelino:

247 - Jornalista Luis Nassif, do Jornal GGN, escreve a trajetória de procuradores do Ministério Público Federal com a Globo, que não vem de hoje, mas das décadas de 1990 e 2000, e consolidada no caso do 'mensalão'.
"Com a Lava Jato consolida-se definitivamente o novo padrão de parceria. E o MPF se torna um instrumento da Globo, conduzido pela cenoura e o chicote. Bastava dar foco nas investigações de seu interesse, e jogar no limbo as investigações que não interessavam, para tornar o MPF um instrumento dócil de seus objetivos políticos", afirma.
Um novo episódio, destaca Nassif, foi a delação da JBS, "o corolário dessa atuação". "Ocorreu dias depois do Ministério Público espanhol denunciar Ricardo Teixeira por corrupção na venda dos direitos de transmissão da Copa Brasil - da qual a única compradora foi a Globo", lembra.
"Têm-se, portanto, um poder de Estado sendo conduzido por uma organização privada, a Globo", constata o colunista. Para ele, "há uma nova Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, no maior desafio que um PGR enfrentou, provavelmente desde a Constituição: provar que o MPF é um poder de Estado de fato, e que não existem intocáveis na República".
"São tão abundantes as informações que jorram do exterior, que não será possível esconder o fato debaixo do tapete, como foi feito em outros tempos com tantos inquéritos", escreve ainda, em referência às últimas denúncias de corrupção contra a Globo, de que pagou propina para obter direitos de transmissões de jogos de futebol.