PMDB não queria derrubar Dilma por causa das “pedaladas” e sim para livrar-se da Lava Jato

Ex-líder do governo Dilma no Senado, Humberto Costa está apostando que as oposições não terão os 54 votos necessários para afastar a presidente da República em caráter definitivo. Sua expectativa advém do fato de que as conversas gravadas entre Sérgio Machado, José Sarney, Renan Calheiros e Romero Jucá teriam mudado o voto de muitos senadores. Alguns que votaram pela admissibilidade da denúncia, como Cristovam Buarque (PPS-DF), por exemplo, não estariam decididos a votar favoravelmente ao impeachment. A denúncia foi acolhida por 55 votos contra 22, donde se deduz que se esse placar for repetido, Dilma não escapará. Humberto acredita, no entanto, que após o vazamento das gravações o clima no Senado se alterou porque ficou claro que o PMDB não queria derrubar Dilma por causa das “pedaladas” e sim para livrar seus membros da Operação Lava Jato. 

Áudios mostram que partidos financiaram movimentos em atos pró-impeachment

Entenda o motivo pelo qual as panelas ficam mudas quando se trata de Aécio Neves  na Lista de Furnas, na Lava Jato e tantas outras denuncias

Veja por que as panelas estão em silencio diante da corrupção e do  golpe..E por que não batem panelas pedindo Cunha na cadeia. E o mais incrível: O partido do vice presidente financiou grupos para derrubar Dilma, mas juram que não é golpe

Integrantes do MBL (Movimento Brasil Livre) em protesto de maio de 2015 na Esplanada dos Ministérios, em Brasília

O MBL (Movimento Brasil Livre), entidade civil criada em 2014 para combater a corrupção e lutar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), recebeu apoio financeiro, como impressão de panfletos e uso de carros de som, de partidos políticos como o PMDB e o Solidariedade.

O movimento negociou também com a Juventude do PSDB ajuda financeira a suas caravanas, como pagamento de lanches e aluguel de ônibus, e teria tido apoio da "máquina partidária" do DEM.
 Quando fundado, o movimento se definia como apartidário e sem ligações financeiras com siglas políticas. Em suas páginas em redes sociais, fazia campanhas permanentes para receber ajuda financeira das pessoas, sem ligação com partidos.

Os coordenadores do movimento, porém, negociaram e pediram ajuda a partidos pelo menos a partir deste ano. Atualmente, o MBL continua com as campanhas de arrecadação nos seus canais de comunicação, mas se define como "suprapartidário". Aliás, a contribuição financeira concedida é vinculada ao grau de participação do doador com o movimento. A partir de R$ 30, o novo integrante pode ter direito a votos.

Já os partidos políticos que teriam contribuído com o MBL têm versões distintas para explicar o caráter e a forma desses apoios, chegando em alguns casos a negá-los. Conheça cada caso.

PMDB e os panfletos

Cristovam Buarque é alvo de protesto de professores em Fortaleza

"Eu te imploro, até de joelhos, vote contra o impeachment da presidente", pediu, chorando, a educadora Lillian Pacheco, da Chapada da Diamantina (BA), ao senador Cristovam Buarque (PPS-DF). Em visita a Fortaleza, Cristovam Buarque que votou pela abertura do processo foi recebido com protesto de professores em defesa do governo Dilma.

Cristovam participava da Conferência Internacional Saberes para uma Cidadania Planetária. Segundo Lillian, emoção é decorrente da certeza do "golpe", além do "retrocesso" que o governo de Michel Temer (PMDB) representaria para a educação. Para a professora que trabalha em comunidades quilombolas, permanência de Dilma garante programas sociais a "indígenas e pobres". Após palestra, cerca de 20 pessoas levantaram-se e dirigiram-se a ele segurando cartazes que pediam pela volta de Dilma.

Questionado por um deles sobre como seria possível melhorar a educação no governo Temer, o senador respondeu: "É impossível fazer o que eu defendi aqui com esse governo que está aí e também com o que ficou por 13 anos no poder (Lula e Dilma), mas quem escolheu o Temer foi a Dilma". Em entrevista ao jornal O Povo  ele lamentou ocorrido, mas disse que votou pelo impeachment "com convicção".

FHC cancela palestra e foge de Nova York após protestos de intelectuais:“No Coup”

Ex-presidente participaria de debate neste sábado sobre democracia na América Latina. 

Após protestos de intelectuais, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) cancelou sua participação numa palestra neste sábado em Nova York sobre a democracia na América Latina e deixou a cidade apressadamente. O evento foi organizado pela Associação de Estudos Latino-Americanos (LASA) em homenagem aos 50 anos da entidade e FHC dividiria um painel de debate com o ex-presidente do Chile Ricardo Lagos.

Em carta enviada a LASA, FH explica que desistiu da palestra para não dar discurso a “mentes radicais”.

A polêmica em torno do convite a Fernando Henrique Cardoso para falar sobre democracia no congresso começou no fim de abril. Um grupo de membros da LASA, entre intelectuais brasileiros e estrangeiros, encaminhou à entidade uma petição defendendo ser inapropriado o tucano participar do painel no momento em que o partido dele, o PSDB, é apontado como um dos colaboradores de um “golpe” no Brasil pelos partidos que apoiam a presidente afastada Dilma Rousseff.

“Ao convidar o ex-presidente para falar sobre a evolução da democracia exatamente num momento de fragilidade da democracia brasileira, quando o próprio Cardoso, bem como o partido em que ele ocupa um papel central, não hesitou em pôr em perigo a paz doméstica e os mecanismos básicos da democracia como a Constituição, a LASA estaria desrespeitando estudiosos que têm lutado para constituir uma estabilidade democrática na região nos últimos 50 anos”, diz trecho da petição, que foi liderada pela doutoranda da Universidade de Brasília e membro da LASA Mariana Kalil.

Para evitar mais polêmica, a LASA mudou o nome do painel, trocando a palavra democracia por vida pública. A versão final ficou “50 Anos de Vida Pública na América Latina”.

O comunicado sobre a desistência de FHC foi encaminhado pela LASA a seus membros por email na quarta-feira passada. A noite, durante a abertura do congresso da LASA em Nova York, está previsto um protesto de intelectuais contrários ao afastamento da presidente Dilma organizado pelo Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (Clacso). Broches com a bandeira do Brasil e a frase “No Coup” (Sem golpe, em inglês) serão distribuídos aos convidados.

Entidades como a Clacso (Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais) programaram um protesto contra a participação de FHC e planejam distribuir camisetas com as inscrições "Brasil, La Democracia de Luto" e "Não ao Golpe" –nesta última, o slogan aparece escrito também em inglês e espanhol.

"Respeitamos a decisão da Lasa de convidar a um dos maiores instigadores e incentivadores do golpe no Brasil, porém também convocamos a acompanhar a conferência enchendo o auditório de camisetas pretas em sinal de protesto", diz um convocatório da entidade latino-americana, incluída no site da entidade.

Uma petição de 162 membros da entidade latino-americana e 337 pesquisadores não associados pedia o cancelamento da conferência de FHC. "Respeitamos a contribuição passada de Cardoso para o pensamento internacional. Entretanto, esse convite foi feito em um momento infeliz", diz o texto. Ainda segundo o o abaixo-assinado, o convite foi feito num momento em que FHC e seu partido "não hesitaram em colocar em perigo a paz interna nem mecanismos básicos como a Constituição".

Para os pesquisadores, ao dar voz a FHC a entidade pode incorrer em "um desrespeito grosseiro com pesquisadores que têm lutado há tempos para constituir uma estabilidade democrática na região nos dias atuais e nos últimos 50 anos".

Membro da Clacso e um dos organizadores do ato, o argentino Leandro Morgenfeld disse à Folha a entidade se coloca contra a participação de FHC no evento por que "ter sido um do principais articuladores do golpe contra a presidente afastada Dilma". Disse ainda que "é um desatino" chamá-lo para falar em um debate sobre democracia.

Silvio: "Danilo é despreparado para julgar Armando"

Caro Magno,
Todas as vezes que algumas figuras do PSB de Pernambuco, a exemplo do agora deputado federal Danilo Cabral, criticam a gestão do senador Armando Monteiro Neto (PTB) à frente do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do governo da presidente Dilma, mais eu fico preocupado com a qualidade da administração pública do nosso Estado. São figuras tão despreparadas que sequer conhecem a atividade-fim do Ministério.
Recomendo ao deputado Danilo Cabral que procure as lideranças dos setores produtivos de Pernambuco, como o setor de confecção, o setor do polo gesseiro do Araripe, o setor sucroalcooleiro, o setor do Porto Digital e o setor de fruticultura do Vale do São Francisco, mas, também, os gestores da Indústria Fiat, pessoas que verdadeiramente conduzem a economia do Estado, e pergunte o que eles acham do desempenho de Armando Monteiro Neto à frente do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
Procure, também, o setor produtivo nacional, os líderes dos mais variados setores, e faça as mesmas perguntas. Sugiro, ainda, ao deputado Danilo Cabral , que se informe sobre a opinião de grandes economistas brasileiros, a exemplo do Delfim Neto, e procure ler os comentários de importantes articulistas de economia da mídia nacional, como a jornalista Míriam Leitão, e irá perceber que todos, sem exceção, colocam o senador Armando como um dos melhores ministros do governo Dilma.
A arrogância e o debate político desqualificado têm sido a marca das críticas do PSB de Pernambuco ao senador Armando Monteiro Neto. Aliás, a arrogância do ex-todo poderoso secretário Danilo Cabral é tão grande que ele foi capaz de desqualificar todos os deputados federais do seu próprio partido no Estado, quando disse, claramente, que está retomando o mandato de deputado para fazer a articulação com o governo federal interino, numa afronta sem precedentes a toda a bancada do PSB.
Danilo está dizendo: 'vocês são incompetentes. Tive que deixar o governo porque vocês não produzem para o Estado'.
Aproveito para me solidarizar com todos os deputados federais do PSB de Pernambuco. Peço ao pseudo-poderoso deputado Danilo Cabral que respeite a trajetória política do senador Armando Monteiro Neto e informo que estou à disposição para o debate político sobre o Estado.
Silvio Costa
Deputado federal(PTdoB)

Inquérito vai investigar Sarney, Lobão, Jucá e Renan

Matheus Leitão - G 1
Com a homologação do acordo de delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, a Procuradoria Geral da República avalia pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquéritos para investigar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Romero Jucá (PMDB-RR), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e o senador Edison Lobão (PMDB-MA).

Segundo apurou o blog, o pedido de abertura de inquéritos terá como base fatos narrados por Machado em depoimentos que prestou a investigadores da operação Lava Jato. Além da gravação de conversas com as lideranças peemedebistas, o ex-presidente da Transpetro detalhou nesses depoimentos como funcionou um esquema de corrupção na subsidiária da Petrobras destinado a suposto enriquecimento ilícito dos políticos.

De acordo com informações obtidas pelo blog, os áudios gravados por Machado são "poderosíssimos" para demonstrar a intimidade dele com integrantes da cúpula do PMDB, além do modus operandi dos políticos alvos das gravações.

As conversas com os procuradores, nas quais Machado mostrava a intenção de aderir ao instituto da delação premiada, começaram há um mês, mais precisamente no final de abril, apurou o blog. As gravações já tinham sido realizadas e foram entregues por Machado durante esses depoimentos. 

A aceitação das gravações pelos investigadores deve-se a uma decisão de 2013 do Supremo Tribunal Federal, pela qual a gravação ambiental realizada por um interlocutor sem a ciência do outro não depende de prévia ordem judicial.

Procurada pelo blog, assessoria de imprensa de Renan Calheiros afirmou que o senador nega ter cometido irregularidades e continua à disposição da Justiça para quaisquer esclarecimentos.

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que representa Sarney e Lobão, afirmou que não pode responder de forma fragmentada uma delação "claramente induzida" e que pediu nesta sexta-feira (27) uma cópia da delação de Machado. 

blog não conseguiu contato no telefone de Jucá e deixou recado no de sua assessoria.

Homem-bomba envolve Temer "por estar desesperado"

Portal G1
Em nova gravação telefônica divulgada nesta noite, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado aparece conversando com o ex-presidente do Senado José Sarney pedindo ajuda com o presidente interino Michel Temer, por estar 'desesperado'.
Para conquistar a simpatia de Temer, Machado alega que o ajudou na campanha de 2012, na candidatura que os investigadores da Operação Lava Jato consideram ser o peemedebista Gabriel Chalita, que perdeu a disputa pela prefeitura de São Paulo para Fernando Haddad, do PT.
"O Michel, eu contribuí pra ele. Ajudei na campanha do menino. Até falei com ele num lugar inapropriado", diz Sérgio Machado.
Temer nega as acusações do ex-presidente da Transpetro. Diz que não foi candidato em 2012, e que nunca se encontrou com Machado em lugar inapropriado.
Novo homem-bomba da Lava Jato, Machado tem deixado peemedebistas de cabelo em pé. Os áudios de sua delação já derrubaram o homem mais forte na primeira composição do governo interino de Temer, o senador Romero Jucá, que passou apenas 12 dias á frente do Ministério do Planejamento.
As gravações revelam que Sérgio Machado pretendia convencer Sarney a envolver Temer na sua articulação para ser protegido na Lava Jato. O ex-presidente do Senado diz que conversou como quem queria ajudar um amigo, mas negou que tivesse tentado exercer influência sobre os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Teori Zavascki é citado no diálogo entre Machado e Sarney.
Sergio Machado já fez um strike na cúpula do PMDB, derrubando Romero Jucá, e atingindo também os caciques Renan Calheiros (presidente do Senado) e José Sarney.
Ainda não se sabe se ele gravou Michel Temer, mas o presidente interino já admitiu que pode ter se encontrado com o ex-presidente da Transpetro.

O CASAL, MANUEL MARIANO E SOCORRO AGUIAR, FAZ 27 ANOS DE CASADOS, HOJE

Há 27 anos, nossos pais levaram-nos ao altar de Deus para formarmos nossa família. São 27 anos de muito amor,compreensão, alegrias e bênçãos. Vivendo todos os dias as palavras divinas narradas em Mateus 19:6: "Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém separe”.
É uma graça de Deus contarmos mais um ano  na nossa vivência diária e sentir-mo-nos muito felizes por termos nossa família, bem maior, resultado da semente do nosso amor, nossos abençoados filhos Marianne Laís e Matheus Igor. Agradecidos a Deus entreguemos a Ele todos os dias de nossa vida conjugal e peçamos a Maria, nossa Mãe do Céu que passe sempre na frente de todos os nossos dias, nossa família e projetos.
NÓS NOS AMAMOS.  DEUS NOS AJUDE SEMPRE.

Ibope: confiança em Dilma cresce de 18% para 33%

Dilma melhora seu ibope
Por Maurício Dias, na Carta Capital

A expectativa política no Brasil de hoje está ancorada na resposta para a seguinte pergunta: a presidenta Dilma voltará ao poder, ou não voltará, após sofrer um “golpe de Estado suave”, para usar a sublime avaliação sobre o tema feita recentemente pelo papa Francisco?
Não há milagre capaz de sustentar com segurança uma das duas respostas possíveis a essa indagação: não e sim. Nesta ordem. Em princípio, tudo parecia perdido para Dilma, assim como parecia certo para Temer, ganhar a oportunidade de completar o restante do mandato iniciado em 2015.
Antes mesmo de tropeços na ineficiência administrativa do governo provisório e das revelações escandalosas saídas das entranhas do PMDB, surgiu uma mudança importante no comportamento do eleitor favorável à presidenta afastada.
Não é indício. É fato revelado por pesquisa inédita do Ibope, realizada após a consumação do golpe.
“Dilma passou de 18% para 33% de confiança”, diz Carlos Augusto Montenegro, presidente do Ibope, em econômica revelação dos resultados da pesquisa feita em meados de maio. Não foi feita avaliação do governo interino. 
Dilma teve crescimento de 15% comparado com números de duas outras pesquisas anteriores. A primeira, já divulgada, realizada em março, entre os dias 17 e 20, e a segunda, em meados de abril, de 14 a 18 (tabela). Esta última inédita.
Avaliação
As duas mostraram certa estabilidade no porcentual de confiança, mas ainda mantinham extremo o grau de desconfiança dos eleitores. Foram realizadas antes dos resultados da votação de admissibilidade doafastamento de Dilma na Câmara e no Senado.
Números da terceira pesquisa, de maio, indicam um impacto forte nos índices “confia”, para cima, e “não confia”, para baixo. A queda da desconfiança é expressiva. Caiu de 76% para 65%. Porcentuais ainda preocupantes. Projeta, porém, tendência de queda.
O resultado surpreende. Dilma, tudo indica, está em processo de recuperação política. A velocidade  do caminho será ditada pelo possível fracasso do governo provisório de Temer.
Montenegro tem algumas explicações. Ele sabe, no entanto, que o Brasil não está diante de um fenômeno e alerta para um “erro” cometido pela mídia. Ela punha o foco na baixa avaliação do governo. Destacavam o “bom e ótimo” que desceu a 8%. Quase no fundo do poço. Deixava de lado, no entanto, o porcentual da resposta “Regular”.
“Existe o regular positivo. Não se deu atenção a isso. Muita gente veio do regular”, diz Montenegro. Um erro politicamente premeditado. Inserido perfeitamente no contexto do golpe.
Montenegro medita sobre a relação do grupo de eleitores “criados” pela solidariedade à Dilma. “Ainda não sei em que proporção”, admite.
Resta agora aguardar as próximas pesquisas. Elas podem inquietar alguns senadores.

Renan Calheiros ataca Mendonça Filho em conversa com Sérgio Machado

mendonca filho
O pernambucano Mendonça Filho (DEM), atual ministro da Educação, foi citado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em uma das gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado de conversas com lideranças do partido de Renan – que é também o do presidente interino Michel Temer. No áudio, revelado pela TV Globo, Calheiros critica Mendonça.
» Veja o trecho divulgado em reportagem da TV Globo:
Machado – O Aécio é vulnerabilíssimo. Vulnerabilíssimo. Há muito tempo! Como é que você tem cara de pau Renan, aquele cara Pauderney (Avelino, líder do DEM na Câmara) que agora virou herói. Um cara mais corrupto que aquele não existe, Pauderney Avelino.
Renan – Pauderney Avelino, Mendoncinha (Mendonça Filho)
Machado – Mendoncinha (Mendonça Filho), todo mundo pô? Que merda é essa querer ser agora dono da verdade? O Zé (Zé Agripino) é outro que pode ser parceiro, não é possível que ele vá fazer maluquice.
Renan – O Zé nós combinamos de botá-lo na roda. Eu disse ao Aécio e ao Serra. Que no próximo encontro que a gente tiver tem que botar o Zé Agripino e o Fernando Bezerra. Eu acho. Do blog do Jamildo

Aécio Neves é chamado de golpista na praia do Leblon, no Rio; vídeo

Aécio Neves é hostilizado e chamado de golpista na praia do Leblon, no Rio; vídeo

Um vídeo divulgado nas redes sociais nesta quinta-feira mostra o senador Aécio Neves (PSDB/MG) sendo hostilizado na praia do Leblon, Zona Sul do Rio.
"Aqui a gente tá vendo um golpista na praia, com os filhos. Pouco se lixando com o Brasil, que tá pegando fogo. O golpista tá aqui na praia, gente, olha. Parabéns pelo que vocês estão fazendo pelo Brasil". No que Letícia rebate: "Não fala do que você não sabe". Eis, então, a tréplica da mulher que está gravando o vídeo: "Eu falo o que eu sei, eu tenho certeza". Veja


Aecio golpista desmascarado em Ipanema hoje. Citado em conversas

Machado: Aécio é o cara mais vulnerável do mundo

Estadão  conteúdo
Renan Calheiros e Aécio Neves durante sessão do Senado no ano passado
O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, aparece mais uma vez nos diálogos do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado com caciques do PMDB. Em uma das conversas com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), sobre os avanços da Operação Lava Jato, no dia 11 de março, o parlamentar tucano é citado como sendo "o cara mais vulnerável do mundo" nas gravações reveladas nesta quinta-feira (26), pela TV Globo.
Machado - E o PSDB pensava que não (seria atingido pela operação), mas o Aécio agora sabe. O Aécio, Renan, é o cara mais vulnerável do mundo.
Renan - É
O tucano também apareceu na conversa de Machado com Romero Jucá (PMDB) divulgada na segunda-feira, 23, e que acabou derrubando o senador do Ministério do Planejamento com apenas 12 dias do governo interino de Michel Temer (PMDB). Na ocasião, Jucá também afirmou ao ex-presidente da Transpetro que "caiu a ficha" de líderes do PSDB. "Todo mundo na bandeja para ser comido", disse o senador.
O presidente do PSDB aparece no diálogo, como sendo "o primeiro a ser comido". "O Aécio não tem condição, a gente sabia disso, porra. Quem que não sabe? Quem não conhece o esquema do Aécio? Eu, que participei da campanha do PSDB", falou Machado. "A gente viveu tudo", se limitou a dizer Jucá.

Lava Jato: o estrago maior ainda está por vir

Lava Jato deve manter sigilo de delação de Sérgio Machado ainda por algumas semanas
O conteúdo da delação premiada de Sérgio Machado, que gravou conversas embaraçosas com os caciques do PMDB, levará ainda algumas semanas para se tornar público. A Procuradoria-Geral da República avalia que é preciso “amarrar pontas soltas” na história contada pelo ex-presidente da Transpetro antes de levantar o sigilo dos autos. Mas, segundo um investigador, já é possível dizer que a colaboração complica “muito” a situação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).
Um integrante do governo diz que os áudios não são nada perto do estrago que Sérgio Machado pode fazer em Brasília ao narrar para quais autoridades políticas repassava dinheiro.
Machado procurou o Ministério Público há cerca de um mês, já de posse das gravações, o que explica a má qualidade de alguns dos áudios. Diante do material, sua colaboração acabou sendo fechada em tempo recorde.
Um general da Lava Jato, que comemorou os achados trazidos pelo ex-presidente da Transpetro, notou: “O curioso é que essa não estava na lista das delações que mais desejávamos”.  (Folha Painel – Natuza Nery)

Romero Jucá ainda dá as cartas no governo interino de Michel Temer

Palacianos só veem uma forma de o novo titular do Planejamento ser escolhido logo: Romero Jucá concordar com a indicação, pois Temer precisa de seu apoio no Senado.  Ainformação é de Natuza Nery, hoje na coluna Painel da Folha de S.Paulo.
Diz a colunista que, criticado pela ausência de mulheres na Esplanada, o governo não se posicionou sobre o estupro coletivo de uma adolescente no Rio. Temer e Alexandre de Moraes (Justiça) não se manifestaram. Ainda não há titular na secretaria de Mulheres.
Fátima Pelaes, ex-deputada, foi indicada pela bancada do PMDB na Câmara para o cargo, subordinado ao Ministério da Justiça, mas ainda não foi nomeada.
Revanche
Aliados de Eduardo Cunha temem que a derrota de Rodrigo Maia para a liderança do governo respingue no Conselho de Ética. Ressentido, o DEM poderia votar a favor da cassação.

DINO: FICOU PROVADO QUE DILMA CAI PELOS ACERTOS

No dia 6 de abril, antes mesmo da votação na Câmara e bem antes da divulgação de Romero Jucá (PMDB-RJ) sobre a necessidade do impeachment como freio na Lava Jato, o governador do Maranhão, Flávio Dino, já havia batido nessa tecla; "Há interesses de oportunistas que imaginam que derrubar a presidente seja caminho para parar a Lava Jato. Visam se proteger exatamente atacando a presidente, sobre a qual não pesa qualquer acusação", disse ele, em entrevista ao Uol; ontem à noite, nas redes sociais, ele se manifestou pela primeira vez sobre o caso, após os áudios contra o PMDB; "Confirmado: Dilma está sendo vítima dos seus acertos, não dos seus erros. Estes, ela possui. Mas quem não? Só os fariseus farsantes"; ou seja: Dilma foi afastada por não conter investigações contra políticos poderosos

WAGNER: O PAÍS QUER SABER DO QUE AÉCIO TEM MEDO

Diante das referências ao senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, nas conversas entre o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, e os senadores Romero Jucá e Renan Calheiros, o ex-ministro Jaques Wagner (PT) cobrou respostas sobre o caso; "É a segunda vez apenas nesta semana que o nome de Aécio Neves surge em circunstâncias no mínimo suspeitas. O candidato derrotado procurou Renan para saber se haveria alguma coisa a mais contra ele na Lava Jato. Segundo Renan, o tucano estaria com medo. O Brasil, então, quer saber: do que tem medo Aécio Neves? O país aguarda respostas", afirmou; nos áudios divulgados pela Folha, o presidente do Senado afirma que foi procurado pelo tucano para saber se havia "mais alguma coisa" sobre ele na delação de Delcídio Amaral; já Sérgio Machado afirmou que "Aécio será o primeiro a ser comido" pela Lava Jato; "Caiu a ficha", completou Jucá; o tucano permanece em silêncio

Prefeito Vado envia proposta de reajuste dos servidores à Câmara

O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Vado da Farmácia (PTB), encaminhou à Câmara de Vereadores projeto de lei concedendo reajuste salarial de 9,28% a todos os servidores da administração municipal. A proposta de aumento, que deverá ser votada e aprovada em breve pelo Legislativo cabense, aconteceu após o prefeito ter dado um reajuste de 11,36% aos professores da rede municipal a partir de janeiro, sendo um dos primeiros a pagar com aumento o Piso Nacional da categoria.
O projeto de lei do Executivo, quando aprovado, será retroativo ao dia 1º de maio. Com essas medidas, o prefeito mantém uma boa relação com os mais de 6 mil funcionários do Cabo. “Existe um esforço muito grande do prefeito Vado e de toda a equipe para que os servidores sejam contemplados e tenham o reajuste. Esperamos que a Câmara agora aprove a proposta, e o aumento seja implantado na folha de pagamento de junho”, explicou o secretário de Gestão Municipal, Lusivan Oliveira.(Assessoria)

Temer negociou 'certas condições' com oposição, diz Sarney em gravação

Leia a nova  conversa entre Sérgio Machado e José Sarney que a Folha de São paulo acaba de divulgar...Veja como foi construido o golpe para derrubar Dilma..Note que eles falam, falam, mas  mesmo sendo conversas gravadas, clandestinamente, ninguém tem nada a comentar sobre a honestidade de Dilma  Lula...Mais uma conversa em que se pode notar que o golpe foi planejado com ajuda do PSDB....Leiam

O ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) confidenciou ao ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que a oposição no Congresso estava resistindo à ideia de apoiar uma transição com Michel Temer na Presidência da República e que um apoio só foi aceito após "certas condições", as quais ele não detalhou.

A resistência dos opositores, segundo Sarney, foi vencida após uma intervenção do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). "Nem Michel eles queriam, eles querem, a oposição. Eles aceitam o parlamentarismo. Nem Michel eles queriam. Depois de uma conversa do Renan muito longa com eles, eles admitiram, diante de certas condições", disse Sarney a Machado, que assinou um acordo de delação premiada com a PGR (Procuradoria-Geral da República).

Sarney fez os comentários após Sérgio Machado dizer que "para o PSDB a água bateu aqui também. Eles sabem que são a próxima bola da vez", em referência às investigações da Operação Lava Jato.

Sarney respondeu: "Eles sabem que não vão se safar".

Continue lendo...

SÉRGIO MACHADO PROVA QUE "PECADO DE DILMA" FOI NÃO OBSTRUIR A JUSTIÇA

247 -  O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, responsável pelas gravações de José Sarney, Romero Jucá e Renan Calheiros, indica em conversa por que a presidente Dilma Rousseff foi alvo de um processo de impeachment:
"Tá todo mundo se cagando, presidente. Todo mundo se cagando. Então ou a gente age rápido. O erro da presidente foi deixar essa coisa andar. Essa coisa andou muito. Aí vai toda a classe política para o saco. Não pode ter eleição agora", disse ele a Serney, numa referência à Lava Jato.
Audios captados por Machado já derrubaram Jucá, que afirmou que era preciso trocar o governo, colocando Michel Temer no poder, para “parar essa porra” e “estancar essa sangria”.

Cunha e sua governanta

Blog do Riella (Laudelino José Sardá
Vocês têm ideia do salário que a Câmara Federal paga para a governanta do deputado Eduardo Cunha?
Fora os encargos sociais, uma funcionária da própria Câmara ganha salário de R$ 29 mil para “governar” a mansão do presidente afastado do Legislativo.
A mansão ainda tem 16 guardas, que se revezam 24 horas por dia, além de uma equipe de seis cozinheiros e quatro garçons.
Essa mordomia exacerbada é mantida a um custo de R$ 400 mil por mês.
Enquanto isso, o plano de contenção de gastos do governo compromete a saúde e educação.
Por que o Legislativo brasileiro não inicia o processo de moralização, implantando um modelo análogo ao da Finlândia, por exemplo, onde um parlamentar só tem um assessor e um apartamento de 30 m2?
Aqui, um deputado federal tem mais de 80 assessores (divisão do pessoal da casa pelo número de parlamentares).
Mas não precisamos ir longe. O vereador de Florianópolis tem direito a 11 funcionários.

Mesmo afastado Cunha custa R$ 541 mil mensais à União

Do Jornal do Brasil
A bancada do Psol protocolou nesta quarta-feira (25) no Supremo Tribunal Federal (STF) uma Reclamação Constitucional com o objetivo de suspender os benefícios de Eduardo Cunha, afastado do mandato de deputado e de presidente da Câmara pelo Supremo. No documento estão relacionados detalhadamente os custos de manutenção do uso da residência oficial,segurança pessoal, assistência à saúde, transporte aéreo e terrestre, subsídio integral e equipe a serviço do gabinete parlamentar – benefícios que somam mais de R$ 500 mil por mês aos cofres públicos.
 “É um escândalo. Para além dos números escandalosos de gastos, a decisão da Mesa ampara um mandato que não é normal, já que ele está afastado”, afirmou o vice-líder do Psol, Chico Alencar (RJ). “Não é possível manter as regalias de Cunha, que continua atuando, exercendo influência política no Parlamento e no governo interino”, completou.
Na avaliação do Psol, as prerrogativas concedidas pela Mesa Diretora da Câmara são uma "afronta" e descumprimento à decisão do STF. O objetivo é suspender o Ato da Mesa nº 88, de 2016, devido à falta de previsão legal e regimental e à "incompetência" da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados para dispor sobre remuneração de deputado federal afastado do mandato.

Possibilidade de novos áudios preocupa gestão Temer

Folha de S.Paulo - Valdo Cruz e Gustavo Uribe
Assessores do presidente interino, Michel Temer, relatam um clima de apreensão no governo depois de receberem a informação de que o Ministério Público pode ter mais gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado reforçando suspeitas de que a cúpula do PMDB estaria atuando para tentar brecar a Operação Lava Jato.
Como "vacina", auxiliares de Temer defendem que ele se blinde de potenciais dores de cabeça e afaste em até 30 dias ministroscitados na Operação Lava Jato ou que respondam a acusações judiciais, como Henrique Eduardo Alves (Turismo) e Maurício Quintella (Transportes).
Alves é alvo de dois pedidos de inquérito, ainda sem aval da Justiça, por suposto envolvimento no esquema de desvios ligados à Petrobras. Quintella (PR) é suspeito de participação em desvios de verba destinados ao pagamento de merenda escolar em Alagoas. Ambos negam as acusações.
Segundo informações obtidas pela equipe de Temer, as gravações divulgadas até agora pela Folha seriam apenas parte do material entregue por Machado à Procuradoria-Geral da República, com quem ele fechou uma delação premiada, homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Corpus Christi: o que abre e o que fecha hoje

Do JC Online
Repartições públicas transferiram o ponto facultativo para o feriado de São João
O dia de Corpus Christi, comemorado nesta quinta-feira (26), é feriado nacional. Algumas repartições públicas de Pernambuco, no entanto, funcionam normalmente, transferindo o ponto facultativo para os dias 23 e 24 de junho, no São João. 
Os bancos e os Correios estarão fechados na quinta-feira, mas retomam as atividades na sexta-feira (27). A prefeitura de Olinda não terá atendimento na quinta e na sexta-feira, limitando os serviços ao Pronto Atendimento de Peixinhos e ao Hospital do Tricentenário.  
O Governo do Estado, além das prefeituras do Recife, Jaboatão dos Guararapes e Paulista funcionarão normalmente. O Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) também manterá as atividades em funcionamento, assim como o comércio e os shoppings do Grande Recife. 
O Poder Judiciário de Pernambuco atuará em regime de plantão nesta quinta-feira, atendendo apenas demandas urgentes das 13h às 17h. O expediente voltará ao normal em todo o Estado na sexta-feira.

Temer pode ter encontrado com Machado, temem amigos

Aliados do presidente interino Michel Temer admitem que ele pode ter se encontrado com Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro responsável pelas gravações que derrubaram Romero Jucá do governo, nos últimos meses.
Por por isso, há receio, no Palácio do Planalto, que ele também venha a ser atingido por gravações clandestinas. Assessores de Temer relatam um clima de apreensão no governo e defendem que ele afaste em até 30 dias ministros citados na operação ou que respondam a acusações judiciais, como Henrique Eduardo Alves (Turismo), Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e Maurício Quintella (Transportes), na tentativa de conter debandadas na base aliada.
Segundo reportagem de Valdo Cruz, na Folha de S.Paulo, nas palavras de um assessor presidencial, o que preocupa o governo interino é o "fator do imponderável" sobre novas denúncias e a possibilidade de novos áudios causarem debandadas na base aliada às vésperas de votações de medidas econômicas no Congresso.
Leia reportagem de Valdo Cruzna Folha de S.Paulo sobre o assunto